Cearense é morta e cimentada na parede de casa em São Paulo

DESAPARECIDA HÁ 2 MESES

Cearense é morta e cimentada na parede de casa em São Paulo

O autor do crime fez um buraco na parede, colocou o corpo, concreto, areia, madeira, mais concreto e, em seguida, fechou o local

Por Roberta Tavares em Segurança Pública

11 de dezembro de 2016 às 10:17

Há 1 ano
Josefa estava desaparecida há cerca de 2 meses (FOTO: Reprodução/Facebook)

Josefa estava desaparecida há cerca de 2 meses (FOTO: Reprodução/Facebook)

Uma cearense foi encontrada morta e cimentada na parede de casa, em São Paulo. Josefa Alves do Nascimento, de 45 anos, mais conhecida como Vera, morava na Zona Leste de São Paulo, mas era natural de Quixelô, a 390 quilômetros de Fortaleza.

A Polícia Civil localizou o corpo da mulher cimentado embaixo da escada da casa onde morava, em Lageado, São Paulo. Apesar de estar sepultado há semanas, o corpo foi encontrado preservado, na última quinta-feira (8).

De acordo com a polícia, o autor do crime fez um buraco na parede, colocou o corpo, concreto, areia, madeira, mais concreto e, em seguida, fechou o local.

Dois cães da Guarda Civil Metropolitana ajudaram nas buscas. Eles farejaram a casa e detectaram que havia algo na parede. A polícia, com a ajuda do Corpo de Bombeiros, quebrou a estrutura e localizou o corpo.

Josefa Alves estava desaparecida há dois meses. Família e amigos pediam ajuda nas redes sociais para encontrar a cearense. “Senhor, estou passando por um momento muito triste, pois minha irmã sumiu. Não sei onde ela está. Vera, me dê notícias. Onde você está, minha irmã?”, dizia uma das publicações no perfil do Facebook da irmã da vítima, Euleni Alves.

O principal suspeito da morte de Josefa é o marido, que foi encontrado morto em um hotel da cidade, na noite de quarta-feira (7). A polícia de São Paulo investigará o caso.

Cães da Guarda Metropolitana ajudaram nas buscas pelo corpo da vítima (FOTO: Divulgação/Guarda Metropolitana)

Cães da Guarda Metropolitana ajudaram nas buscas pelo corpo da vítima (FOTO: Divulgação/Guarda Metropolitana)

Publicidade

Dê sua opinião

DESAPARECIDA HÁ 2 MESES

Cearense é morta e cimentada na parede de casa em São Paulo

O autor do crime fez um buraco na parede, colocou o corpo, concreto, areia, madeira, mais concreto e, em seguida, fechou o local

Por Roberta Tavares em Segurança Pública

11 de dezembro de 2016 às 10:17

Há 1 ano
Josefa estava desaparecida há cerca de 2 meses (FOTO: Reprodução/Facebook)

Josefa estava desaparecida há cerca de 2 meses (FOTO: Reprodução/Facebook)

Uma cearense foi encontrada morta e cimentada na parede de casa, em São Paulo. Josefa Alves do Nascimento, de 45 anos, mais conhecida como Vera, morava na Zona Leste de São Paulo, mas era natural de Quixelô, a 390 quilômetros de Fortaleza.

A Polícia Civil localizou o corpo da mulher cimentado embaixo da escada da casa onde morava, em Lageado, São Paulo. Apesar de estar sepultado há semanas, o corpo foi encontrado preservado, na última quinta-feira (8).

De acordo com a polícia, o autor do crime fez um buraco na parede, colocou o corpo, concreto, areia, madeira, mais concreto e, em seguida, fechou o local.

Dois cães da Guarda Civil Metropolitana ajudaram nas buscas. Eles farejaram a casa e detectaram que havia algo na parede. A polícia, com a ajuda do Corpo de Bombeiros, quebrou a estrutura e localizou o corpo.

Josefa Alves estava desaparecida há dois meses. Família e amigos pediam ajuda nas redes sociais para encontrar a cearense. “Senhor, estou passando por um momento muito triste, pois minha irmã sumiu. Não sei onde ela está. Vera, me dê notícias. Onde você está, minha irmã?”, dizia uma das publicações no perfil do Facebook da irmã da vítima, Euleni Alves.

O principal suspeito da morte de Josefa é o marido, que foi encontrado morto em um hotel da cidade, na noite de quarta-feira (7). A polícia de São Paulo investigará o caso.

Cães da Guarda Metropolitana ajudaram nas buscas pelo corpo da vítima (FOTO: Divulgação/Guarda Metropolitana)

Cães da Guarda Metropolitana ajudaram nas buscas pelo corpo da vítima (FOTO: Divulgação/Guarda Metropolitana)