"Médicos do IJF mataram meu filho", diz mãe de menino que morreu após complicações
AMPUTAÇÕES

“Médicos do IJF mataram meu filho”, diz mãe de menino que morreu após complicações

Garoto de 9 anos deu entrada no hospital com os braços quebrados, passou por amputações e acabou morrendo

Por Matheus Ribeiro em Saúde

6 de janeiro de 2017 às 10:55

Há 5 meses

Quando chegou ao hospital a mãe registrou que o menino estava vem aguardando atendimento (FOTO: Arquivo pessoal)

A mãe do garoto de 9 anos Diego Rauã Silva dos Santos, que morreu após complicações médicas ao dar entrada no Instituto Dr. José Frota (IJF) com os braços quebrados, não aceita a morte do filho. Durante o velório do garoto, Daliete Silva acusou nesta quinta-feira (5), em entrevista ao programa Barra Pesada, da TV Jangadeiro/SBT, os médicos do hospital de serem responsáveis pela morte do garoto.

Conforme a mãe da criança, o atendimento ao seu filho foi negligenciado. “Chegamos lá e fomos completamente mal atendidos. Quando falei que o médico tinha falado que meu filho tinha que fazer cirurgia, os enfermeiros alegaram que não seria possível porque no hospital só eram feitas cirurgias nas segundas e quartas-feira. Meu filho entrou com os braços quebrados, sem nenhum hematoma e saiu de lá morto e o braço. Eles mataram o meu filho”, desabafou Daliete.

5 cirurgias

Diego Rauã ficou internado no hospital de Fortaleza durante seis dias, e passou por cinco processos cirúrgicos. Segundo a mãe, os enfermeiros e médicos não quiseram atender seu filho. 

“No quarto dia internado, meu filho estava delirando de dor. Não estava tomando nenhum medicamento. Quando eu chamava as enfermeiras, elas falavam assim: ‘Calma, mãezinha, aqui não funciona assim não. Tem que esperar’; Teve uma, inclusive, que falou ‘mulher, deixa pelo menos a gente respirar, porque acabamos de entrar no plantão'”, detalhou Daliete.

O caso se tornou confuso e nem os próprios médicos souberam explicar como menino foi a óbito, relata Daliete. Segundo o médico que falou com a mãe do garoto, ele teria morrido de ataque cardíaco, contudo a Perícia Forense ainda irá divulgar o laudo com a causa da morte da criança. O menino foi velado nesta quinta-feira (5), o enterro do garoto acontecerá no fim da manhã desta sexta (6).

Em nota, o IJF esclareceu que Diego Rauã Silva dos Santos foi acolhido na emergência do hospital no último dia 30 de dezembro, e prontamente atendido para o tratamento de diversas lesões sofridas após uma queda, conforme relatos de familiares.

“Com a evolução do quadro, o paciente sofreu complicações e, infelizmente, o óbito foi confirmado no dia 4 de janeiro de 2017. As informações obtidas até o momento indicam que todas as condutas adotadas pelo hospital e seus profissionais estão de acordo com as rotinas padrões de atendimento, no entanto, o IJF vai reavaliá-las para fazer a devida apuração”, finaliza a nota.

Publicidade

Dê sua opinião

AMPUTAÇÕES

“Médicos do IJF mataram meu filho”, diz mãe de menino que morreu após complicações

Garoto de 9 anos deu entrada no hospital com os braços quebrados, passou por amputações e acabou morrendo

Por Matheus Ribeiro em Saúde

6 de janeiro de 2017 às 10:55

Há 5 meses

Quando chegou ao hospital a mãe registrou que o menino estava vem aguardando atendimento (FOTO: Arquivo pessoal)

A mãe do garoto de 9 anos Diego Rauã Silva dos Santos, que morreu após complicações médicas ao dar entrada no Instituto Dr. José Frota (IJF) com os braços quebrados, não aceita a morte do filho. Durante o velório do garoto, Daliete Silva acusou nesta quinta-feira (5), em entrevista ao programa Barra Pesada, da TV Jangadeiro/SBT, os médicos do hospital de serem responsáveis pela morte do garoto.

Conforme a mãe da criança, o atendimento ao seu filho foi negligenciado. “Chegamos lá e fomos completamente mal atendidos. Quando falei que o médico tinha falado que meu filho tinha que fazer cirurgia, os enfermeiros alegaram que não seria possível porque no hospital só eram feitas cirurgias nas segundas e quartas-feira. Meu filho entrou com os braços quebrados, sem nenhum hematoma e saiu de lá morto e o braço. Eles mataram o meu filho”, desabafou Daliete.

5 cirurgias

Diego Rauã ficou internado no hospital de Fortaleza durante seis dias, e passou por cinco processos cirúrgicos. Segundo a mãe, os enfermeiros e médicos não quiseram atender seu filho. 

“No quarto dia internado, meu filho estava delirando de dor. Não estava tomando nenhum medicamento. Quando eu chamava as enfermeiras, elas falavam assim: ‘Calma, mãezinha, aqui não funciona assim não. Tem que esperar’; Teve uma, inclusive, que falou ‘mulher, deixa pelo menos a gente respirar, porque acabamos de entrar no plantão'”, detalhou Daliete.

O caso se tornou confuso e nem os próprios médicos souberam explicar como menino foi a óbito, relata Daliete. Segundo o médico que falou com a mãe do garoto, ele teria morrido de ataque cardíaco, contudo a Perícia Forense ainda irá divulgar o laudo com a causa da morte da criança. O menino foi velado nesta quinta-feira (5), o enterro do garoto acontecerá no fim da manhã desta sexta (6).

Em nota, o IJF esclareceu que Diego Rauã Silva dos Santos foi acolhido na emergência do hospital no último dia 30 de dezembro, e prontamente atendido para o tratamento de diversas lesões sofridas após uma queda, conforme relatos de familiares.

“Com a evolução do quadro, o paciente sofreu complicações e, infelizmente, o óbito foi confirmado no dia 4 de janeiro de 2017. As informações obtidas até o momento indicam que todas as condutas adotadas pelo hospital e seus profissionais estão de acordo com as rotinas padrões de atendimento, no entanto, o IJF vai reavaliá-las para fazer a devida apuração”, finaliza a nota.