Idosa precisa ficar 4 noites na porta de hospital para conseguir consulta de reumatologia

OH DOR!

Idosa precisa ficar 4 noites na porta de hospital para conseguir consulta de reumatologia

A má notícia para Maria de Lourdes é: só há vaga para atendimento em dezembro. Ela não consegue se deitar de tanta dor

Por TV Jangadeiro em Saúde

21 de junho de 2017 às 07:15

Há 6 meses
A idosa precisa de atendimento (FOTO: Reprodução/TV Jangadeiro)

A idosa precisa de atendimento (FOTO: Reprodução/TV Jangadeiro)

Uma idosa de 75 anos precisou ir quatro vezes ao hospital Walter Cantídio, no Bairro Rodolfo Teófilo, em Fortaleza, em busca de atendimento especializado de um reumatologista, para só então receber um “sim” como resposta. Maria de Lourdes Pereira Carvalho passou quatro noites em pé em frente ao hospital, para conseguir marcar a consulta que tanto precisa.

Após a reportagem do programa Barra Pesada, da TV Jangadeiro/SBT, registrada na noite desta segunda-feira (19), a senhora recebeu o retorno de que seguirá ser consultada. Porém, a informação dada já na manhã desta terça não é lá muito boa: só há vaga no dia 5 de dezembro de 2017.

Doente dos ossos, nem mesmo se deitar ela consegue,e por isso passa das 23h até 6h30 em pé. “Passo a noite sem dormir, nem deitar, eu passo a noite acordada. É muito sofrimento”, lamenta.

Maria de Lourdes precisa de um tratamento especializado para viver um pouco melhor e sem tantas dores. “Fui encaminhada para cá, pois já fui atendida aqui por muitos anos, mas estou esperando há muito tempo e até agora nada. Vim aqui e a desculpa deles foi que existiu um imprevisto e por isso não podia ver um dia de consulta para mim”, afirma.

A senhora foi encaminhada do posto médico do seu bairro, na qual ficou esperando por quatro anos, para o hospital. “Eu já me tratava antes aqui, mas como não andava de cadeiras de rodas, nem fazia hemodiálise, me deram alta. Mas eu tomo remédio diariamente. Tem dias que eu não sinto nada, mas tem dias que eu sinto muitas dores e preciso saber o que tenho, porque deve ter piorado a minha situação”, desabafa.

Antes de ir para o local e esperar o atendimento, a aposentada fica nas imediações do hospital. “A mulher que vende os lanches me dá uma cadeira para sentar e fico sentada até a hora que ela sai, aí eu vou para a porta do hospital e fico aqui esperando até 6h30 quando as portas abrem, e ainda espero mais uma hora sentada porque o atendimento só tem início 7h30”.

Em nota, o Hospital Universitário Walter Cantídio (HUWC) informa que a paciente Maria de Lourdes Pereira Carvalho está com consulta agendada para o Serviço de Reumatologia no dia 5 de dezembro de 2017. A unidade de saúde acrescenta, ainda, que a paciente apresenta perfil para atendimento na atenção primária da rede pública de saúde e que, no HUWC, são priorizados aqueles pacientes com perfil do hospital, ou seja, da atenção terciária.

Publicidade

Dê sua opinião

OH DOR!

Idosa precisa ficar 4 noites na porta de hospital para conseguir consulta de reumatologia

A má notícia para Maria de Lourdes é: só há vaga para atendimento em dezembro. Ela não consegue se deitar de tanta dor

Por TV Jangadeiro em Saúde

21 de junho de 2017 às 07:15

Há 6 meses
A idosa precisa de atendimento (FOTO: Reprodução/TV Jangadeiro)

A idosa precisa de atendimento (FOTO: Reprodução/TV Jangadeiro)

Uma idosa de 75 anos precisou ir quatro vezes ao hospital Walter Cantídio, no Bairro Rodolfo Teófilo, em Fortaleza, em busca de atendimento especializado de um reumatologista, para só então receber um “sim” como resposta. Maria de Lourdes Pereira Carvalho passou quatro noites em pé em frente ao hospital, para conseguir marcar a consulta que tanto precisa.

Após a reportagem do programa Barra Pesada, da TV Jangadeiro/SBT, registrada na noite desta segunda-feira (19), a senhora recebeu o retorno de que seguirá ser consultada. Porém, a informação dada já na manhã desta terça não é lá muito boa: só há vaga no dia 5 de dezembro de 2017.

Doente dos ossos, nem mesmo se deitar ela consegue,e por isso passa das 23h até 6h30 em pé. “Passo a noite sem dormir, nem deitar, eu passo a noite acordada. É muito sofrimento”, lamenta.

Maria de Lourdes precisa de um tratamento especializado para viver um pouco melhor e sem tantas dores. “Fui encaminhada para cá, pois já fui atendida aqui por muitos anos, mas estou esperando há muito tempo e até agora nada. Vim aqui e a desculpa deles foi que existiu um imprevisto e por isso não podia ver um dia de consulta para mim”, afirma.

A senhora foi encaminhada do posto médico do seu bairro, na qual ficou esperando por quatro anos, para o hospital. “Eu já me tratava antes aqui, mas como não andava de cadeiras de rodas, nem fazia hemodiálise, me deram alta. Mas eu tomo remédio diariamente. Tem dias que eu não sinto nada, mas tem dias que eu sinto muitas dores e preciso saber o que tenho, porque deve ter piorado a minha situação”, desabafa.

Antes de ir para o local e esperar o atendimento, a aposentada fica nas imediações do hospital. “A mulher que vende os lanches me dá uma cadeira para sentar e fico sentada até a hora que ela sai, aí eu vou para a porta do hospital e fico aqui esperando até 6h30 quando as portas abrem, e ainda espero mais uma hora sentada porque o atendimento só tem início 7h30”.

Em nota, o Hospital Universitário Walter Cantídio (HUWC) informa que a paciente Maria de Lourdes Pereira Carvalho está com consulta agendada para o Serviço de Reumatologia no dia 5 de dezembro de 2017. A unidade de saúde acrescenta, ainda, que a paciente apresenta perfil para atendimento na atenção primária da rede pública de saúde e que, no HUWC, são priorizados aqueles pacientes com perfil do hospital, ou seja, da atenção terciária.