Garoto que descobriu câncer raro após teste de gravidez de brincadeira pede ajuda para tratamento
SOLIDARIEDADE

Garoto que descobriu câncer raro após teste de gravidez de brincadeira pede ajuda para tratamento

Gerardo Júnior tem tumor de células germinativas, diagnóstico que veio após um teste de gravidez dar positivo. Família precisa arrecadar R$ 200 mil

Por Lucas Barbosa em Saúde

6 de julho de 2017 às 12:40

Há 2 semanas

Em um mês de campanha, R$ 17 mil foram arrecadados (FOTO: Divulgação)

O estudante cearense Gerardo Júnior, de 18 anos, busca nas redes sociais o dinheiro que pagará uma cirurgia importante em seu tratamento contra um câncer raro, o tumor de células germinativas (TCG), do tipo coriocarcinoma.

Como a família dele não tem condições de pagar a operação, foi criada uma “vaquinha” virtual e dados de uma conta bancária para doações estão sendo divulgados. O objetivo é arrecadar R$ 200 mil. O valor não é necessário apenas para a cirurgia — realizada por especialistas do Hospital Beneficência Portuguesa de São Paulo —, mas também custos como hospedagem, passagens, medicações e exames. Na internet, ainda são anunciadas rifas feitas especialmente para ajudar Gerardo Júnior.

A mãe dele, Lígia Soares, comemora a repercussão da campanha. Os humoristas Tirullipa e Whindersson Nunes, por exemplo, gravaram um vídeo convocando doações. Até mesmo os arquirrivais Ceará e Fortaleza se uniram na divulgação em suas redes sociais. Mas, até agora, apenas R$ 17 mil foram levantados em um mês de campanha.

A batalha contra a doença vem desde fevereiro de 2017, data do diagnóstico. O estudante sentia dores na região mediastinal — localizada no tórax, próximos aos pulmões — que imaginava ser efeito da musculação. Os analgésicos receitados por médicos não surtiam efeito e, pouco tempo depois, Gerardo começou a expectorar sangue. Tuberculose foi outro diagnóstico que se mostrou equivocado.

Certo dia, Gerardo resolveu fazer — por “gaiatice”, como conta a mãe —, um teste de gravidez de farmácia, em uma de suas aulas do curso técnico em enfermagem. Por incrível que pareça, o teste deu positivo. 

O conhecimento em enfermagem o fez desconfiar do resultado: se a alta do hormônio BHCG indica gravidez em mulheres, em homens pode indicar complicações sérias, como alguns tipo de câncer — embora não seja uma regra. Ele, então, buscou auxílio médico e uma biópsia confirmou o câncer.

As células germinativas são aquelas que dão origem aos espermatozódes e óvulos. Os tumores são um acúmulo anormal das células. As variações denominadas coriocarcinomas são, em forma pura, os mais raros tumores de células germinativas, apontam os médicos Wilson José Couto, Jefferson Luiz Gross, Daniel Deheinzelin e Riad Naim Younes, no artigo Tumores de células germinativas primários do mediastino, publicado no Revista da Associação Médica Brasileira.

No estudo Tumor mediastinal de células germinativas e sua relação com anormalidades hematológicas, datado de 2000o médico Carlos R. Medeiros afirmava que entre 2% e 10% dos TCGs se dão na região mediastinal, sendo que cerca de 100 casos do tipo são registrados anualmente.

Gerardo passou a receber sessões de quimioterapia no hospital Peter Pan. Uma importante melhora clínica foi registrada, conta a mãe dele, mas, para ter certeza que o câncer foi extirpado, é necessário fazer uma biópsia que só pode ser feita com a cirurgia. A família, então, resolveu buscar os especialistas de São Paulo.

“Diante da confiança na equipe e na estrutura hospitalar de São Paulo, é que a família está lutando para conseguir o valor necessário para viabilizar ao jovem Gerardinho o tratamento acima mencionado”, consta no site feito para a campanha.

“Ainda estamos buscando alternativas, avaliações com médicos da mesma especialidade (cirurgia torácica) em Fortaleza para ver se estes profissionais concordam com a cirurgia proposta, pois, caso não consigamos o valor total a ser arrecadado, tentaremos fazer a cirurgia por aqui”. Mesmo que o valor não seja alcançado e a cirurgia for feita em Fortaleza, o montante levantado seria usado para custear reavaliações com o oncologista em São Paulo.

Como ajudar

Vaquinha virtual

https://www.vakinha.com.br/vaquinha/todos-pelo-gerardo

Depósito bancário:

José Gerardo Soares Filho
AGÊNCIA: 3253-0
CONTA POUPANÇA: 38823-8
Variação: 51
Banco do Brasil 001
Saiba mais no site criado para a campanha http://todospelogerardo.com.br/.

Publicidade

Dê sua opinião

SOLIDARIEDADE

Garoto que descobriu câncer raro após teste de gravidez de brincadeira pede ajuda para tratamento

Gerardo Júnior tem tumor de células germinativas, diagnóstico que veio após um teste de gravidez dar positivo. Família precisa arrecadar R$ 200 mil

Por Lucas Barbosa em Saúde

6 de julho de 2017 às 12:40

Há 2 semanas

Em um mês de campanha, R$ 17 mil foram arrecadados (FOTO: Divulgação)

O estudante cearense Gerardo Júnior, de 18 anos, busca nas redes sociais o dinheiro que pagará uma cirurgia importante em seu tratamento contra um câncer raro, o tumor de células germinativas (TCG), do tipo coriocarcinoma.

Como a família dele não tem condições de pagar a operação, foi criada uma “vaquinha” virtual e dados de uma conta bancária para doações estão sendo divulgados. O objetivo é arrecadar R$ 200 mil. O valor não é necessário apenas para a cirurgia — realizada por especialistas do Hospital Beneficência Portuguesa de São Paulo —, mas também custos como hospedagem, passagens, medicações e exames. Na internet, ainda são anunciadas rifas feitas especialmente para ajudar Gerardo Júnior.

A mãe dele, Lígia Soares, comemora a repercussão da campanha. Os humoristas Tirullipa e Whindersson Nunes, por exemplo, gravaram um vídeo convocando doações. Até mesmo os arquirrivais Ceará e Fortaleza se uniram na divulgação em suas redes sociais. Mas, até agora, apenas R$ 17 mil foram levantados em um mês de campanha.

A batalha contra a doença vem desde fevereiro de 2017, data do diagnóstico. O estudante sentia dores na região mediastinal — localizada no tórax, próximos aos pulmões — que imaginava ser efeito da musculação. Os analgésicos receitados por médicos não surtiam efeito e, pouco tempo depois, Gerardo começou a expectorar sangue. Tuberculose foi outro diagnóstico que se mostrou equivocado.

Certo dia, Gerardo resolveu fazer — por “gaiatice”, como conta a mãe —, um teste de gravidez de farmácia, em uma de suas aulas do curso técnico em enfermagem. Por incrível que pareça, o teste deu positivo. 

O conhecimento em enfermagem o fez desconfiar do resultado: se a alta do hormônio BHCG indica gravidez em mulheres, em homens pode indicar complicações sérias, como alguns tipo de câncer — embora não seja uma regra. Ele, então, buscou auxílio médico e uma biópsia confirmou o câncer.

As células germinativas são aquelas que dão origem aos espermatozódes e óvulos. Os tumores são um acúmulo anormal das células. As variações denominadas coriocarcinomas são, em forma pura, os mais raros tumores de células germinativas, apontam os médicos Wilson José Couto, Jefferson Luiz Gross, Daniel Deheinzelin e Riad Naim Younes, no artigo Tumores de células germinativas primários do mediastino, publicado no Revista da Associação Médica Brasileira.

No estudo Tumor mediastinal de células germinativas e sua relação com anormalidades hematológicas, datado de 2000o médico Carlos R. Medeiros afirmava que entre 2% e 10% dos TCGs se dão na região mediastinal, sendo que cerca de 100 casos do tipo são registrados anualmente.

Gerardo passou a receber sessões de quimioterapia no hospital Peter Pan. Uma importante melhora clínica foi registrada, conta a mãe dele, mas, para ter certeza que o câncer foi extirpado, é necessário fazer uma biópsia que só pode ser feita com a cirurgia. A família, então, resolveu buscar os especialistas de São Paulo.

“Diante da confiança na equipe e na estrutura hospitalar de São Paulo, é que a família está lutando para conseguir o valor necessário para viabilizar ao jovem Gerardinho o tratamento acima mencionado”, consta no site feito para a campanha.

“Ainda estamos buscando alternativas, avaliações com médicos da mesma especialidade (cirurgia torácica) em Fortaleza para ver se estes profissionais concordam com a cirurgia proposta, pois, caso não consigamos o valor total a ser arrecadado, tentaremos fazer a cirurgia por aqui”. Mesmo que o valor não seja alcançado e a cirurgia for feita em Fortaleza, o montante levantado seria usado para custear reavaliações com o oncologista em São Paulo.

Como ajudar

Vaquinha virtual

https://www.vakinha.com.br/vaquinha/todos-pelo-gerardo

Depósito bancário:

José Gerardo Soares Filho
AGÊNCIA: 3253-0
CONTA POUPANÇA: 38823-8
Variação: 51
Banco do Brasil 001
Saiba mais no site criado para a campanha http://todospelogerardo.com.br/.