Fila para cirurgias de lábio leporino estão zeradas no Ceará

OPERAÇÃO SORRISO

Fila para cirurgias de lábio leporino estão zeradas no Ceará

A marca alcançada pelo estado do Ceará foi festejada em uma festa que destacou os 20 anos da parceria com a Operação Sorriso

Por Tribuna do Ceará em Saúde

29 de outubro de 2017 às 16:00

Há 2 meses
A festa aconteceu neste domingo (FOTO: Carlos Gibaja e Marcos Studart)

A festa aconteceu neste domingo (FOTO: Carlos Gibaja e Marcos Studart)

Se o sorriso é uma forma de expressão dos sentimentos positivos, o significado tinha um valor ainda maior para centenas de pessoas presentes no Parque Estadual do Cocó na manhã deste domingo (29). Em evento marcado por muitas atividades recreativas, com a presença do governador Camilo Santana, foram comemorados os 20 anos de parceria do Hospital Infantil Albert Sabin (Hias), do Governo do Ceará, e a organização médica voluntária Operação Sorriso (OS). Ação integrada que, em 2017, conseguiu com que o Estado zerasse a fila para cirurgias de lábio leporino.

“Quero agradecer a todos aqueles que, voluntariamente, dedicam suas vidas a garantir o sorriso de crianças. Isso significa garantir não só o sorriso físico, mas também a autoestima. O lábio leporino gera problemas de fala, problemas psicológicos”, disse o governador Camilo Santana.

A alegria das crianças animou a manhã, que foi marcada por muitas brincadeiras, contação de histórias, pula-pula, pintura no rosto, rapel, tirolesa, entre outras atividades. Profissionais, gestores e instituições que fizeram parte da história dos 20 anos da missão no Ceará foram homenageados com entrega de comendas realizada pelas próprias crianças e adolescentes que foram ou ainda são pacientes do Albert Sabin.

Marfisa Portela, diretora do Hospital Infantil Albert Sabin, destacou o número de cirurgias realizadas, que só cresce ao longo dos anos. “Estamos aqui para celebrar a realização de 2.500 cirurgias de lábio leporino. Estamos cumprindo a nossa missão.

Em 1997, por iniciativa da Dra. Ana Maria Cavalcante, identificando o grave problema social de crianças que tinham vergonha de sair de casa, tive a oportunidade de presenciar a primeira operação, em que foi montado um esquema nunca visto até então. Hoje essas crianças têm vida normal e muitos estão na faculdade. Durante todos esse anos, graças à sensibilidade dos diretores que passaram pela instituição, governadores e secretários, o programa foi mantido e hoje são realizadas mais de 400 cirurgias por ano”.

A adolescente Gabriela Alencar, 12 anos, fez a operação quando ainda era bebê e deixa o recado para as crianças que estão na mesma situação não se sintam inferiores. “Eu era muito pequena quando fiz a cirurgia, não me lembro bem. Mas eu tenho certeza que hoje eu seria feliz de qualquer jeito, pois não é um problema desse que define a pessoa. Eu digo para quem tem a oportunidade para se cuidar. Eu vim de Campos Sales com minha mãe justamente para me tratar e sei que valeu a pena. A Operação Sorriso representa tudo para mim pois vejo o quanto eu e minha família somos felizes”.

Publicidade

Dê sua opinião

OPERAÇÃO SORRISO

Fila para cirurgias de lábio leporino estão zeradas no Ceará

A marca alcançada pelo estado do Ceará foi festejada em uma festa que destacou os 20 anos da parceria com a Operação Sorriso

Por Tribuna do Ceará em Saúde

29 de outubro de 2017 às 16:00

Há 2 meses
A festa aconteceu neste domingo (FOTO: Carlos Gibaja e Marcos Studart)

A festa aconteceu neste domingo (FOTO: Carlos Gibaja e Marcos Studart)

Se o sorriso é uma forma de expressão dos sentimentos positivos, o significado tinha um valor ainda maior para centenas de pessoas presentes no Parque Estadual do Cocó na manhã deste domingo (29). Em evento marcado por muitas atividades recreativas, com a presença do governador Camilo Santana, foram comemorados os 20 anos de parceria do Hospital Infantil Albert Sabin (Hias), do Governo do Ceará, e a organização médica voluntária Operação Sorriso (OS). Ação integrada que, em 2017, conseguiu com que o Estado zerasse a fila para cirurgias de lábio leporino.

“Quero agradecer a todos aqueles que, voluntariamente, dedicam suas vidas a garantir o sorriso de crianças. Isso significa garantir não só o sorriso físico, mas também a autoestima. O lábio leporino gera problemas de fala, problemas psicológicos”, disse o governador Camilo Santana.

A alegria das crianças animou a manhã, que foi marcada por muitas brincadeiras, contação de histórias, pula-pula, pintura no rosto, rapel, tirolesa, entre outras atividades. Profissionais, gestores e instituições que fizeram parte da história dos 20 anos da missão no Ceará foram homenageados com entrega de comendas realizada pelas próprias crianças e adolescentes que foram ou ainda são pacientes do Albert Sabin.

Marfisa Portela, diretora do Hospital Infantil Albert Sabin, destacou o número de cirurgias realizadas, que só cresce ao longo dos anos. “Estamos aqui para celebrar a realização de 2.500 cirurgias de lábio leporino. Estamos cumprindo a nossa missão.

Em 1997, por iniciativa da Dra. Ana Maria Cavalcante, identificando o grave problema social de crianças que tinham vergonha de sair de casa, tive a oportunidade de presenciar a primeira operação, em que foi montado um esquema nunca visto até então. Hoje essas crianças têm vida normal e muitos estão na faculdade. Durante todos esse anos, graças à sensibilidade dos diretores que passaram pela instituição, governadores e secretários, o programa foi mantido e hoje são realizadas mais de 400 cirurgias por ano”.

A adolescente Gabriela Alencar, 12 anos, fez a operação quando ainda era bebê e deixa o recado para as crianças que estão na mesma situação não se sintam inferiores. “Eu era muito pequena quando fiz a cirurgia, não me lembro bem. Mas eu tenho certeza que hoje eu seria feliz de qualquer jeito, pois não é um problema desse que define a pessoa. Eu digo para quem tem a oportunidade para se cuidar. Eu vim de Campos Sales com minha mãe justamente para me tratar e sei que valeu a pena. A Operação Sorriso representa tudo para mim pois vejo o quanto eu e minha família somos felizes”.