Clínicas particulares de Fortaleza têm longas filas em busca de vacina contra H1N1

PRECAUÇÃO

Clínicas particulares de Fortaleza têm longas filas em busca de vacina contra H1N1

Oito casos com três óbitos foram confirmados no Ceará em 2018, segundo a Secretaria de Saúde. Campanha nacional tem início na próxima segunda-feira

Por Jangadeiro FM em Saúde

19 de Abril de 2018 às 13:30

Há 4 meses
vacina, h1n1

Pessoas fazem filas enormes em busca da vacina. (FOTO: Dorian Girão)

A campanha nacional de vacinação contra a gripe terá início apenas na próxima segunda-feira (23), mas a procura pela imunização contra a H1N1 já tem mostrado a preocupação do cearense com a doença. Longas filas têm se formado em clínicas particulares de Fortaleza.

Centenas de pessoas aguardam com senhas em uma clínica no bairro Aldeota, antes das 10 horas da manhã. A rotina tem se repetido nesta semana. Procurando manter-se imune à doença por conta da idade, a aposentada Clara Aguiar logo procurou o serviço.

“O medo é de pegar a gripe, não estar a imunizada e complicar a situação, já que eu tenho 71 anos e não tenho mais resistência. A idade faz com que a gente perca a imunidade. Vou viajar e tenho medo”, revelou.

Nesta terça-feira (17), a Secretaria de Saúde do Estado confirmou oito casos de influenza A H1N1 e 1 de influenza B neste ano, com 3 mortes. De acordo com o diretor técnico da clínica, João Cláudio, as vacinas custam R$ 140 na unidade. Apesar da grande quantidade de pessoas em busca da imunização, ele garante estoque de vacinas para os próximos dias.

“Nós estamos tentando atender da melhor maneira possível. Ontem, chegamos a fazer 1.600 doses da vacina influenza quadrivalente. Hoje estamos aqui com a clÍnica lotada novamente. Nosso estoque é suficientE pra garantir, mesmo com o movimento, com a atual demanda, eu acredito que pelo menos nos próximos cinco dias não vá haver falta da vacina”, explicou o diretor.

Ana Vilma Leite, coordenadora de imunização da Sesa, avisa que a campanha nacional de vacinação que começa na próxima segunda é restringida aos grupos de risco.

“Nós temos as crianças, menores de 5 anos, trabalhadores de saúde, gestantes, população indígena, pessoas que têm morbidade, doença cronica, privados de liberdade e os professores que entraram ano passado, uma população grande, de mais de 2 milhoes de pessoas sadias. Quem estiver doente tem que aguardar. Quem tiver febre ou qualquer outro sintoma tem que aguardar. Não pode tomar a vacina doente”.

Febre alta, acima de 39 graus, dores intensas nos músculos, nas articulações e na cabeça, fraqueza e problemas no sistema respiratório são alguns dos sintomas da gripe H1N1, segundo os especialistas. Para se prevenir, além da vacina, é importante tomar cuidados como lavar as mãos, ter boa alimentação e evitar aglomerações.

Confira a reportagem da Tribuna Band News:

Publicidade

Dê sua opinião

PRECAUÇÃO

Clínicas particulares de Fortaleza têm longas filas em busca de vacina contra H1N1

Oito casos com três óbitos foram confirmados no Ceará em 2018, segundo a Secretaria de Saúde. Campanha nacional tem início na próxima segunda-feira

Por Jangadeiro FM em Saúde

19 de Abril de 2018 às 13:30

Há 4 meses
vacina, h1n1

Pessoas fazem filas enormes em busca da vacina. (FOTO: Dorian Girão)

A campanha nacional de vacinação contra a gripe terá início apenas na próxima segunda-feira (23), mas a procura pela imunização contra a H1N1 já tem mostrado a preocupação do cearense com a doença. Longas filas têm se formado em clínicas particulares de Fortaleza.

Centenas de pessoas aguardam com senhas em uma clínica no bairro Aldeota, antes das 10 horas da manhã. A rotina tem se repetido nesta semana. Procurando manter-se imune à doença por conta da idade, a aposentada Clara Aguiar logo procurou o serviço.

“O medo é de pegar a gripe, não estar a imunizada e complicar a situação, já que eu tenho 71 anos e não tenho mais resistência. A idade faz com que a gente perca a imunidade. Vou viajar e tenho medo”, revelou.

Nesta terça-feira (17), a Secretaria de Saúde do Estado confirmou oito casos de influenza A H1N1 e 1 de influenza B neste ano, com 3 mortes. De acordo com o diretor técnico da clínica, João Cláudio, as vacinas custam R$ 140 na unidade. Apesar da grande quantidade de pessoas em busca da imunização, ele garante estoque de vacinas para os próximos dias.

“Nós estamos tentando atender da melhor maneira possível. Ontem, chegamos a fazer 1.600 doses da vacina influenza quadrivalente. Hoje estamos aqui com a clÍnica lotada novamente. Nosso estoque é suficientE pra garantir, mesmo com o movimento, com a atual demanda, eu acredito que pelo menos nos próximos cinco dias não vá haver falta da vacina”, explicou o diretor.

Ana Vilma Leite, coordenadora de imunização da Sesa, avisa que a campanha nacional de vacinação que começa na próxima segunda é restringida aos grupos de risco.

“Nós temos as crianças, menores de 5 anos, trabalhadores de saúde, gestantes, população indígena, pessoas que têm morbidade, doença cronica, privados de liberdade e os professores que entraram ano passado, uma população grande, de mais de 2 milhoes de pessoas sadias. Quem estiver doente tem que aguardar. Quem tiver febre ou qualquer outro sintoma tem que aguardar. Não pode tomar a vacina doente”.

Febre alta, acima de 39 graus, dores intensas nos músculos, nas articulações e na cabeça, fraqueza e problemas no sistema respiratório são alguns dos sintomas da gripe H1N1, segundo os especialistas. Para se prevenir, além da vacina, é importante tomar cuidados como lavar as mãos, ter boa alimentação e evitar aglomerações.

Confira a reportagem da Tribuna Band News: