Praia de Iracema receberá nova manifestação cobrando a renúncia de Temer
ONDA VERMELHA

Praia de Iracema receberá nova manifestação cobrando a renúncia de Temer

A manifestação acontecerá no próximo domingo (21), e o pedido é para a saída do atual presidente e novas eleições

Por Lyvia Rocha em Política

19 de maio de 2017 às 09:08

Há 2 meses
Manifestação anti-Temer é realizada no Centro de Fortaleza

(FOTO: Carlos Henrique Costa/Tribuna Band News FM)

As manifestações contra o presidente Michel Temer irão continuar em Fortaleza. Após um ato na última quinta-feira (18), no Centro, um novo protesto já tem data marcada para o próximo domingo (12), desta vez no Aterro da Praia de Iracema, às 15h.

No ato que terá concentração na Estátua de Iracema, o pedido é que o presidente renuncie e tenha novas eleições diretas para presidente. “Não vamos esperar o Temer cair, vamos as ruas exigir: #RenunciaTemer“, diz o cartaz exibido nas redes sociais.

Na última quinta-feira (18), após o pronunciamento de Michel Temer, que afirmou não ter envolvimento em nenhuma esquema de corrupção e que não irá renunciar ao cargo, milhares de brasileiros foram as ruas pedindo: “Fora Temer”. Em Fortaleza, o ato aconteceu na Praça da Bandeira e foi pacífico. A manifestação na Capital foi organizada pelo grupo Frente Povo Sem Medo.

Denúncias e gravações

Michel Temer se pronunciou por conta da informação publicada na quarta-feira (17) pelo colunista do jornal O Globo Lauro Jardim. Segundo a reportagem, o presidente teria sido gravado, em março deste ano, pelo presidente da empresa JBS, Joesley Batista, consentindo pagamento ao ex-deputado federal Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e ao seu operador Lúcio Funaro para que não denunciassem irregularidades.

“No Supremo, mostrarei que não tenho nenhum envolvimento com esses fatos. Não renunciarei. Repito: não renunciarei. Sei o que fiz e sei a correção dos meus atos. Exijo investigação plena e muito rápida para os esclarecimentos ao povo brasileiro. Essa situação de dubiedade e de dúvida não pode persistir por muito tempo”, declarou Michel Temer.

Publicidade

Dê sua opinião

ONDA VERMELHA

Praia de Iracema receberá nova manifestação cobrando a renúncia de Temer

A manifestação acontecerá no próximo domingo (21), e o pedido é para a saída do atual presidente e novas eleições

Por Lyvia Rocha em Política

19 de maio de 2017 às 09:08

Há 2 meses
Manifestação anti-Temer é realizada no Centro de Fortaleza

(FOTO: Carlos Henrique Costa/Tribuna Band News FM)

As manifestações contra o presidente Michel Temer irão continuar em Fortaleza. Após um ato na última quinta-feira (18), no Centro, um novo protesto já tem data marcada para o próximo domingo (12), desta vez no Aterro da Praia de Iracema, às 15h.

No ato que terá concentração na Estátua de Iracema, o pedido é que o presidente renuncie e tenha novas eleições diretas para presidente. “Não vamos esperar o Temer cair, vamos as ruas exigir: #RenunciaTemer“, diz o cartaz exibido nas redes sociais.

Na última quinta-feira (18), após o pronunciamento de Michel Temer, que afirmou não ter envolvimento em nenhuma esquema de corrupção e que não irá renunciar ao cargo, milhares de brasileiros foram as ruas pedindo: “Fora Temer”. Em Fortaleza, o ato aconteceu na Praça da Bandeira e foi pacífico. A manifestação na Capital foi organizada pelo grupo Frente Povo Sem Medo.

Denúncias e gravações

Michel Temer se pronunciou por conta da informação publicada na quarta-feira (17) pelo colunista do jornal O Globo Lauro Jardim. Segundo a reportagem, o presidente teria sido gravado, em março deste ano, pelo presidente da empresa JBS, Joesley Batista, consentindo pagamento ao ex-deputado federal Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e ao seu operador Lúcio Funaro para que não denunciassem irregularidades.

“No Supremo, mostrarei que não tenho nenhum envolvimento com esses fatos. Não renunciarei. Repito: não renunciarei. Sei o que fiz e sei a correção dos meus atos. Exijo investigação plena e muito rápida para os esclarecimentos ao povo brasileiro. Essa situação de dubiedade e de dúvida não pode persistir por muito tempo”, declarou Michel Temer.