#Conjunturas: Parlamentares discutem expectativa de Tasso Jereissati ser candidato ao Governo

ELEIÇÕES 2018

#Conjunturas: Parlamentares discutem expectativa de Tasso Jereissati ser candidato ao Governo

A candidatura de Tasso Jereissati teria sido proposta pela base de oposição e pode ser um divisor de águas no cenário político-eleitoral

Por Tribuna do Ceará em Política

9 de outubro de 2017 às 16:29

Há 2 meses
Tasso Jereissati é o principal nome da oposição no Ceará. (Foto: Agência Senado)

Tasso Jereissati é o principal nome da oposição no Ceará. (Foto: Agência Senado)

A possibilidade de o senador Tasso Jereissati (PSDB) disputar o Governo do Estado em 2018 é o tema do Conjunturas desta segunda-feira (9). O programa vai ao ar todas as segundas, quartas e sextas-feiras, na rádio Tribuna BandNews FM. Participam do debate os deputados federal Cabo Sabino (PR), estadual Carlos Matos (PSDB) e o vereador de Fortaleza Guilherme Sampaio (PT).

A candidatura de Tasso teria sido proposta pela base de oposição no Ceará e pode ser um divisor de águas no cenário político-eleitoral do próximo ano.

“A pressão da base está enorme. Provavelmente não estava nem nos planos do senador essa hipótese, mas, diante dessa necessidade, do clamor das bases, vai depender do senador essa decisão”, pontuou Carlos Matos. Ele ressaltou a longevidade política de Tasso e a “honradez e competência” do ex-governador.

“Se diz que se quer o novo, é verdade, mas, entre o novo e aquele que há mais tempo já demonstrou competência e capacidade de na vida pública, ter honradez e dar resultado, (Tasso) fica muito forte”, afirmou o correligionário.

O petista Guilherme Sampaio pontuou que a trajetória política de Tasso o “legitima a postular uma candidatura ao Governo do Estado. No entanto, ele disse que a estratégia “demonstra a falta de renovação política no Ceará”. “Apresentar uma alternativa com algum reconhecimento popular em função da vida pública já registrada é também um sintoma da falta de construção de novos quadros”, afirmou.

Em contrapartida, Carlos Matos lembrou o pré-candidato do PT à presidência, o ex-presidente Lula, e criticou que o partido também não renovou quadros.

Cabo Sabino disse que se o cenário fosse composto por Tasso governador, em vez de Camilo Santana (PT); o grupo político do atual governador não escolheria o petista para disputar em 2018. Para Sabino, o ex-governador Cid Gomes seria o escolhido para o pleito.

“Tasso representa um nome mais sério, mais forte, mais competente. Hoje, no cenário cearense, seria o nome que confronta com quem vem de uma oligarquia, que é o grupo dos Ferreira Gomes que, ao longo de praticamente 16 anos, está com poder nas mãos e quer se perpetuar. Tasso vai entrar para quebrar essa hegemonia”, afirmou Sabino.

Confira o debate completo:

Publicidade

Dê sua opinião

ELEIÇÕES 2018

#Conjunturas: Parlamentares discutem expectativa de Tasso Jereissati ser candidato ao Governo

A candidatura de Tasso Jereissati teria sido proposta pela base de oposição e pode ser um divisor de águas no cenário político-eleitoral

Por Tribuna do Ceará em Política

9 de outubro de 2017 às 16:29

Há 2 meses
Tasso Jereissati é o principal nome da oposição no Ceará. (Foto: Agência Senado)

Tasso Jereissati é o principal nome da oposição no Ceará. (Foto: Agência Senado)

A possibilidade de o senador Tasso Jereissati (PSDB) disputar o Governo do Estado em 2018 é o tema do Conjunturas desta segunda-feira (9). O programa vai ao ar todas as segundas, quartas e sextas-feiras, na rádio Tribuna BandNews FM. Participam do debate os deputados federal Cabo Sabino (PR), estadual Carlos Matos (PSDB) e o vereador de Fortaleza Guilherme Sampaio (PT).

A candidatura de Tasso teria sido proposta pela base de oposição no Ceará e pode ser um divisor de águas no cenário político-eleitoral do próximo ano.

“A pressão da base está enorme. Provavelmente não estava nem nos planos do senador essa hipótese, mas, diante dessa necessidade, do clamor das bases, vai depender do senador essa decisão”, pontuou Carlos Matos. Ele ressaltou a longevidade política de Tasso e a “honradez e competência” do ex-governador.

“Se diz que se quer o novo, é verdade, mas, entre o novo e aquele que há mais tempo já demonstrou competência e capacidade de na vida pública, ter honradez e dar resultado, (Tasso) fica muito forte”, afirmou o correligionário.

O petista Guilherme Sampaio pontuou que a trajetória política de Tasso o “legitima a postular uma candidatura ao Governo do Estado. No entanto, ele disse que a estratégia “demonstra a falta de renovação política no Ceará”. “Apresentar uma alternativa com algum reconhecimento popular em função da vida pública já registrada é também um sintoma da falta de construção de novos quadros”, afirmou.

Em contrapartida, Carlos Matos lembrou o pré-candidato do PT à presidência, o ex-presidente Lula, e criticou que o partido também não renovou quadros.

Cabo Sabino disse que se o cenário fosse composto por Tasso governador, em vez de Camilo Santana (PT); o grupo político do atual governador não escolheria o petista para disputar em 2018. Para Sabino, o ex-governador Cid Gomes seria o escolhido para o pleito.

“Tasso representa um nome mais sério, mais forte, mais competente. Hoje, no cenário cearense, seria o nome que confronta com quem vem de uma oligarquia, que é o grupo dos Ferreira Gomes que, ao longo de praticamente 16 anos, está com poder nas mãos e quer se perpetuar. Tasso vai entrar para quebrar essa hegemonia”, afirmou Sabino.

Confira o debate completo: