Manifestação em Fortaleza pede a renúncia do presidente Michel Temer
NESTA QUINTA-FEIRA

Manifestação em Fortaleza pede renúncia do presidente Michel Temer

Evento ocorre no fim da tarde desta quinta-feira (18), no Centro de Fortaleza, e é parte das manifestações contra o presidente em todo o País

Por Lucas Barbosa em Política

18 de maio de 2017 às 10:40

Há 5 dias

Manifestação pede renúncia de Temer e eleições diretas para presidente (FOTO: Reprodução/Facebook)

Após a divulgação de denúncias contra o presidente da República Michel Temer (PMDB), diversos protestos Brasil a fora foram marcados, pedindo a saída do presidente do cargo. Fortaleza não é exceção. Um desses ocorre a partir das 16 horas desta quinta-feira (18), na Praça da Bandeira, no Centro.

O evento é puxado pelo grupo Frente Povo Sem Medo, que reúne diversas organizações de esquerda. “Não vamos esperar o Temer cair, vamos às ruas exigir: #renunciatemer” é o slogan da movimentação, que ainda pede eleições diretas para presidente. Até as 9 horas desta manhã, 675 pessoas haviam confirmado presença em página no Facebook feita para divulgar o evento.

A revolta se dá após informação publicada na quarta-feira (17) pelo colunista do jornal O Globo Lauro Jardim. Segundo a reportagem, Michel Temer teria sido gravado, em março deste ano, pelo presidente da empresa JBS, Joesley Batista, consentindo pagamento ao ex-deputado federal Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e ao seu operador Lúcio Funaro para que não denunciassem irregularidades.

Além disso, segundo Lauro Jardim, Temer foi flagrado sugerindo o nome do deputado federal Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) para a resolução de “problemas” da J&F, holding que controla a JBS. Em seguida, o parlamentar é filmado recebendo 500 mil reais pagos por Joesley. As informações foram confirmadas por outros jornais, como a Folha de São Paulo.

Em nota à imprensa, Temer admitiu ter se reunido com o presidente da JBS, mas negou ter tido conhecimento do suborno. Ele ainda afirmou defender “ampla e profunda investigação para apurar todas as denúncias veiculadas pela imprensa, com a responsabilização dos eventuais envolvidos em quaisquer ilícitos que venham a ser comprovados”.

A gravação faz parte da delação premiada de Joesley Batista, uma “ação controlada” feita pela Polícia Federal, mecanismo previsto na Lei Nº 12.850/2013.

Publicidade

Dê sua opinião

NESTA QUINTA-FEIRA

Manifestação em Fortaleza pede renúncia do presidente Michel Temer

Evento ocorre no fim da tarde desta quinta-feira (18), no Centro de Fortaleza, e é parte das manifestações contra o presidente em todo o País

Por Lucas Barbosa em Política

18 de maio de 2017 às 10:40

Há 5 dias

Manifestação pede renúncia de Temer e eleições diretas para presidente (FOTO: Reprodução/Facebook)

Após a divulgação de denúncias contra o presidente da República Michel Temer (PMDB), diversos protestos Brasil a fora foram marcados, pedindo a saída do presidente do cargo. Fortaleza não é exceção. Um desses ocorre a partir das 16 horas desta quinta-feira (18), na Praça da Bandeira, no Centro.

O evento é puxado pelo grupo Frente Povo Sem Medo, que reúne diversas organizações de esquerda. “Não vamos esperar o Temer cair, vamos às ruas exigir: #renunciatemer” é o slogan da movimentação, que ainda pede eleições diretas para presidente. Até as 9 horas desta manhã, 675 pessoas haviam confirmado presença em página no Facebook feita para divulgar o evento.

A revolta se dá após informação publicada na quarta-feira (17) pelo colunista do jornal O Globo Lauro Jardim. Segundo a reportagem, Michel Temer teria sido gravado, em março deste ano, pelo presidente da empresa JBS, Joesley Batista, consentindo pagamento ao ex-deputado federal Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e ao seu operador Lúcio Funaro para que não denunciassem irregularidades.

Além disso, segundo Lauro Jardim, Temer foi flagrado sugerindo o nome do deputado federal Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) para a resolução de “problemas” da J&F, holding que controla a JBS. Em seguida, o parlamentar é filmado recebendo 500 mil reais pagos por Joesley. As informações foram confirmadas por outros jornais, como a Folha de São Paulo.

Em nota à imprensa, Temer admitiu ter se reunido com o presidente da JBS, mas negou ter tido conhecimento do suborno. Ele ainda afirmou defender “ampla e profunda investigação para apurar todas as denúncias veiculadas pela imprensa, com a responsabilização dos eventuais envolvidos em quaisquer ilícitos que venham a ser comprovados”.

A gravação faz parte da delação premiada de Joesley Batista, uma “ação controlada” feita pela Polícia Federal, mecanismo previsto na Lei Nº 12.850/2013.