Líder da direita no Ceará acusa a esquerda de tumultuar o cenário político para voltar ao poder
POSIÇÃO POLÍTICA

Líder da direita no Ceará acusa a esquerda de tumultuar o cenário político para voltar ao poder

Apesar de achar que a esquerda quer se favorecer no momento, Fredy Bezerra de Menezes tem a opinião de que o presidente Michel Temer deve renunciar

Por Ana Clara Jovino em Política

19 de maio de 2017 às 16:09

Há 5 meses

Fred Bezerra de Lima é associado do Instituto Democracia e Ética (FOTO: Tribuna do Ceará)

O associado do Instituto Democracia e Ética, Fredy Bezerra de Menezes, deu sua opinião sobre o atual momento pelo qual a política brasileira passa, com escândalos vindo à tona desde quarta-feira (17).

Tudo começou quando ocorreu a delação do presidente da empresa JBS, Joesley Batista. O empresário entregou gravações ao Ministério Público Federal (MPF), em que o atual presidente do Brasil, Michel Temer (PMDB) consente pagamento ao ex-deputado federal Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e ao seu operador Lúcio Funaro para que não denunciassem irregularidades.

Além disso, as gravações também registram pedidos de propina de Michel Temer e do presidente nacional licenciado do PSDB, o senador Aécio Neves.

Fredy acredita que nas gravações não fica claro que Michel Temer quis comprar o silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha. “É algo que a gente conclui pelas entrelinhas, não está tão evidente”, opina.

Mesmo assim, a liderança de direita no Ceará tem a opinião de que o atual presidente do país deve renunciar. “Seria um gesto de grandeza, até para evitar um próximo momento tenso”, justifica.

Se acontecer de Temer ser afastado do cargo de presidente, quem assume é o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ). Porém, se o presidente for considerado culpado, ele deixa definitivamente o cargo e devem ser realizadas eleições indiretas, ou seja, quem escolhe o novo presidente são os parlamentares, de acordo com a Constituição.

Fredy defende a Constituição e declara que não crê que a solução para a crise política que o Brasil passa seja eleições diretas, como pedem os militantes de esquerda.

“Eu tenho certeza de que o outro lado [esquerda] não quer combater a corrupção. Eles se aproveitam do que está acontecendo para retomar o poder. Eles pedem eleições diretas porque é uma forma de colocar os representantes deles no poder novamente”, enfatiza Fredy.

Publicidade

Dê sua opinião

POSIÇÃO POLÍTICA

Líder da direita no Ceará acusa a esquerda de tumultuar o cenário político para voltar ao poder

Apesar de achar que a esquerda quer se favorecer no momento, Fredy Bezerra de Menezes tem a opinião de que o presidente Michel Temer deve renunciar

Por Ana Clara Jovino em Política

19 de maio de 2017 às 16:09

Há 5 meses

Fred Bezerra de Lima é associado do Instituto Democracia e Ética (FOTO: Tribuna do Ceará)

O associado do Instituto Democracia e Ética, Fredy Bezerra de Menezes, deu sua opinião sobre o atual momento pelo qual a política brasileira passa, com escândalos vindo à tona desde quarta-feira (17).

Tudo começou quando ocorreu a delação do presidente da empresa JBS, Joesley Batista. O empresário entregou gravações ao Ministério Público Federal (MPF), em que o atual presidente do Brasil, Michel Temer (PMDB) consente pagamento ao ex-deputado federal Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e ao seu operador Lúcio Funaro para que não denunciassem irregularidades.

Além disso, as gravações também registram pedidos de propina de Michel Temer e do presidente nacional licenciado do PSDB, o senador Aécio Neves.

Fredy acredita que nas gravações não fica claro que Michel Temer quis comprar o silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha. “É algo que a gente conclui pelas entrelinhas, não está tão evidente”, opina.

Mesmo assim, a liderança de direita no Ceará tem a opinião de que o atual presidente do país deve renunciar. “Seria um gesto de grandeza, até para evitar um próximo momento tenso”, justifica.

Se acontecer de Temer ser afastado do cargo de presidente, quem assume é o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ). Porém, se o presidente for considerado culpado, ele deixa definitivamente o cargo e devem ser realizadas eleições indiretas, ou seja, quem escolhe o novo presidente são os parlamentares, de acordo com a Constituição.

Fredy defende a Constituição e declara que não crê que a solução para a crise política que o Brasil passa seja eleições diretas, como pedem os militantes de esquerda.

“Eu tenho certeza de que o outro lado [esquerda] não quer combater a corrupção. Eles se aproveitam do que está acontecendo para retomar o poder. Eles pedem eleições diretas porque é uma forma de colocar os representantes deles no poder novamente”, enfatiza Fredy.