Governador do Ceará quer criar lei para obrigar bancos a adotar medidas de segurança contra assaltos
PRESSÃO

Camilo Santana quer criar lei para obrigar bancos a adotar medidas de segurança contra assaltos

O governador do Ceará ressaltou que há dispositivos que detectam ataques a caixas eletrônicos e destroem e inutilizam as cédulas

Por Jéssica Welma em Política

11 de julho de 2017 às 15:15

Há 3 meses
Governador Camilo Santana foi entrevista na rádio BandNews FM. (Foto: Adriano Paiva/Tribuna do Ceará)

Governador Camilo Santana foi entrevista na rádio BandNews FM. (Foto: Adriano Paiva/Tribuna do Ceará)

O governador do Ceará, Camilo Santana (PT), quer reforçar a pressão sobre os bancos para aumentarem a segurança de suas agências. Só em 2017, 35 bancos já foram alvos de bandidos, principalmente no interior do Estado. Camilo concedeu entrevista à rádio Tribuna BandNews FM, nesta terça-feira (11).

O chefe do Executivo estadual falou também sobre a nova forma de contratação de viaturas da forças de segurança a partir do aluguel de carros, a transposição do Rio São Francisco, as operações do Centro de Formação Olímpica (CFO) e as expectativas para 2018.

O governador foi questionado, durante o programa, sobre ações de combate a explosões de agências bancárias, principalmente em municípios do Interior. “Esse é um debate que nós, governadores, temos feito. Quem mais ganha dinheiro hoje são os bancos. Por que os bancos não aumentam a segurança nas suas agências bancárias?”, pontuou Camilo.

Uma das ações, segundo o governador, é criar uma lei no Estado para obrigar os bancos a reforçar a segurança das agências.
“Sei que vou ser questionado no STF (Supremo Tribunal Federal), mas vou fazer para chamar atenção”, afirmou. Camilo lembrou que há tecnologias que detectam ataques e destroem as cédulas, o que não é praticado atualmente.

Ele criticou a ausência de uma política nacional de segurança pública. Camilo ressaltou que há a previsão de construção de uma cadeia de segurança máxima no Estado, mas as ações ficam paradas diante da falta de repasses. “Todos os investimentos que faço no sistema penitenciário são do Ceará”, disse o governador, citando também verba de R$ 52 milhões aprovada pelo Governo Federal, mas nunca enviada.

Eleições 2018
Camilo evitou falar sobre seus planos para possível reeleição em 2018. “Nesse momento a minha preocupação é trabalhar, superar os desafios que o momento está nos impondo. Hoje somos um estado equilibrado financeiramente. Temos tido bons resultados na área da educação, avanços na economia, a preocupação mesmo é com a água. Isso tem tirado toda a minha energia, meu foco. Eleição é próximo ano”, afirmou.

O governador também não deu detalhes sobre seu posicionamento em relação aos pré-candidatos à presidência da República Ciro Gomes (PDT) e Lula (PT). Camilo esteve com o ex-presidente da República recentemente e disse que a visita foi uma forma de prestar solidariedade ao petista diante da perda da esposa, a ex-primeira-dama Maria Letícia, e da crise política em que está envolvido.

> Leia também: Camilo Santana tem expectativa de chapa com Ciro Gomes e Lula em 2018

Transposição do São Francisco
O governador reforçou que a expectativa é de que as obras de transposição do rio São Francisco sejam aceleradas nos próximos meses. A meta é concluir maior parte da obra até o começo de 2018.

Com as poucas chuvas na região do Vale do Jaguaribe, onde está localizado o açude Castanhão, aumentou o risco de colapso hídrico no Estado. Camilo destacou que o Governo tem investido na escavação de poços profundos e exportado tecnologia para uso eficiente das águas de aquíferos. Ele citou a ação pioneira de cavar poços horizontais no aquífero do Cumbuco, em Caucaia.

“Quero deixa todo o Pecém independente da água do Castanhão. Perfuramos 42 poços interligados para atender a siderúrgica, pouca água está indo para o Pecém. Choveu razoável na bacia metropolitana. Estamos fazendo um esforço muito grande para evitar que haja qualquer tipo de racionamento”, frisou.

Governador Camilo Santana foi entrevistado na rádio BandNews FM. (Foto: Adriano Paiva/Tribuna do Ceará)

Governador Camilo Santana foi entrevistado na rádio BandNews FM. (Foto: Adriano Paiva/Tribuna do Ceará)

Aluguel de viaturas
Camilo ressaltou a entrega de 329 novas viaturas às forças de segurança e pontuou que a meta é adquirir mais 600 carros tanto através da compra como do aluguel. Para reduzir os custos do Governo e a demora na devolução de veículos quebrados às ruas, o governador quer apostar no formato de aluguel dos veículos.

> Leia tambémQuatro viaturas novas da Polícia Militar batem antes mesmo da entrega no Cariri

“Parte vai ser alugada. Você bate uma viatura hoje e ela passa um mês, dois meses na oficina. Quando é locada, a empresa é obrigada a substituir a viatura em até 24 horas, ter uma viatura reserva. Não vou precisar mais comprar pneu, não vou mais fazer locação de oficina e isso garante que o trabalho da Polícia não tenha descontinuidade”, afirmou.

O governador destacou a crise na segurança pública e disse que o acirramento entre as facções criminosas tem aumentado por causa da ofensiva do Governo. “Está tendo mais disciplina dentro dos presídios no Ceará, a rebelião de ontem teria sido causada pela ampliação das disciplinas, que são mais rigorosas, estamos fazendo vistoria mais frequentemente”, disse.

CFO e Copa América 2019
Camilo frisou que o CFO aguarda certificação nacional de todas as modalidades olímpicas. O Governo também tem discutido patrocínios de grandes bancos para o funcionamento do equipamento. Uma das parcerias a ser firmada deve ser com o Clube Unesco, uma entidade sem fins lucrativos ligada à Organização das Nações Unidas (ONU), que trabalha para tornar o acesso a educação, esporte, ciência e cultura mais democrático para a população carente.

O Governo também já oficializou o interesse em ser sede da Copa América 2019. “Coloquei que o que fosse necessário por parte do Estado estaríamos dispostos a fazer”, afirmou.

Publicidade

Dê sua opinião

PRESSÃO

Camilo Santana quer criar lei para obrigar bancos a adotar medidas de segurança contra assaltos

O governador do Ceará ressaltou que há dispositivos que detectam ataques a caixas eletrônicos e destroem e inutilizam as cédulas

Por Jéssica Welma em Política

11 de julho de 2017 às 15:15

Há 3 meses
Governador Camilo Santana foi entrevista na rádio BandNews FM. (Foto: Adriano Paiva/Tribuna do Ceará)

Governador Camilo Santana foi entrevista na rádio BandNews FM. (Foto: Adriano Paiva/Tribuna do Ceará)

O governador do Ceará, Camilo Santana (PT), quer reforçar a pressão sobre os bancos para aumentarem a segurança de suas agências. Só em 2017, 35 bancos já foram alvos de bandidos, principalmente no interior do Estado. Camilo concedeu entrevista à rádio Tribuna BandNews FM, nesta terça-feira (11).

O chefe do Executivo estadual falou também sobre a nova forma de contratação de viaturas da forças de segurança a partir do aluguel de carros, a transposição do Rio São Francisco, as operações do Centro de Formação Olímpica (CFO) e as expectativas para 2018.

O governador foi questionado, durante o programa, sobre ações de combate a explosões de agências bancárias, principalmente em municípios do Interior. “Esse é um debate que nós, governadores, temos feito. Quem mais ganha dinheiro hoje são os bancos. Por que os bancos não aumentam a segurança nas suas agências bancárias?”, pontuou Camilo.

Uma das ações, segundo o governador, é criar uma lei no Estado para obrigar os bancos a reforçar a segurança das agências.
“Sei que vou ser questionado no STF (Supremo Tribunal Federal), mas vou fazer para chamar atenção”, afirmou. Camilo lembrou que há tecnologias que detectam ataques e destroem as cédulas, o que não é praticado atualmente.

Ele criticou a ausência de uma política nacional de segurança pública. Camilo ressaltou que há a previsão de construção de uma cadeia de segurança máxima no Estado, mas as ações ficam paradas diante da falta de repasses. “Todos os investimentos que faço no sistema penitenciário são do Ceará”, disse o governador, citando também verba de R$ 52 milhões aprovada pelo Governo Federal, mas nunca enviada.

Eleições 2018
Camilo evitou falar sobre seus planos para possível reeleição em 2018. “Nesse momento a minha preocupação é trabalhar, superar os desafios que o momento está nos impondo. Hoje somos um estado equilibrado financeiramente. Temos tido bons resultados na área da educação, avanços na economia, a preocupação mesmo é com a água. Isso tem tirado toda a minha energia, meu foco. Eleição é próximo ano”, afirmou.

O governador também não deu detalhes sobre seu posicionamento em relação aos pré-candidatos à presidência da República Ciro Gomes (PDT) e Lula (PT). Camilo esteve com o ex-presidente da República recentemente e disse que a visita foi uma forma de prestar solidariedade ao petista diante da perda da esposa, a ex-primeira-dama Maria Letícia, e da crise política em que está envolvido.

> Leia também: Camilo Santana tem expectativa de chapa com Ciro Gomes e Lula em 2018

Transposição do São Francisco
O governador reforçou que a expectativa é de que as obras de transposição do rio São Francisco sejam aceleradas nos próximos meses. A meta é concluir maior parte da obra até o começo de 2018.

Com as poucas chuvas na região do Vale do Jaguaribe, onde está localizado o açude Castanhão, aumentou o risco de colapso hídrico no Estado. Camilo destacou que o Governo tem investido na escavação de poços profundos e exportado tecnologia para uso eficiente das águas de aquíferos. Ele citou a ação pioneira de cavar poços horizontais no aquífero do Cumbuco, em Caucaia.

“Quero deixa todo o Pecém independente da água do Castanhão. Perfuramos 42 poços interligados para atender a siderúrgica, pouca água está indo para o Pecém. Choveu razoável na bacia metropolitana. Estamos fazendo um esforço muito grande para evitar que haja qualquer tipo de racionamento”, frisou.

Governador Camilo Santana foi entrevistado na rádio BandNews FM. (Foto: Adriano Paiva/Tribuna do Ceará)

Governador Camilo Santana foi entrevistado na rádio BandNews FM. (Foto: Adriano Paiva/Tribuna do Ceará)

Aluguel de viaturas
Camilo ressaltou a entrega de 329 novas viaturas às forças de segurança e pontuou que a meta é adquirir mais 600 carros tanto através da compra como do aluguel. Para reduzir os custos do Governo e a demora na devolução de veículos quebrados às ruas, o governador quer apostar no formato de aluguel dos veículos.

> Leia tambémQuatro viaturas novas da Polícia Militar batem antes mesmo da entrega no Cariri

“Parte vai ser alugada. Você bate uma viatura hoje e ela passa um mês, dois meses na oficina. Quando é locada, a empresa é obrigada a substituir a viatura em até 24 horas, ter uma viatura reserva. Não vou precisar mais comprar pneu, não vou mais fazer locação de oficina e isso garante que o trabalho da Polícia não tenha descontinuidade”, afirmou.

O governador destacou a crise na segurança pública e disse que o acirramento entre as facções criminosas tem aumentado por causa da ofensiva do Governo. “Está tendo mais disciplina dentro dos presídios no Ceará, a rebelião de ontem teria sido causada pela ampliação das disciplinas, que são mais rigorosas, estamos fazendo vistoria mais frequentemente”, disse.

CFO e Copa América 2019
Camilo frisou que o CFO aguarda certificação nacional de todas as modalidades olímpicas. O Governo também tem discutido patrocínios de grandes bancos para o funcionamento do equipamento. Uma das parcerias a ser firmada deve ser com o Clube Unesco, uma entidade sem fins lucrativos ligada à Organização das Nações Unidas (ONU), que trabalha para tornar o acesso a educação, esporte, ciência e cultura mais democrático para a população carente.

O Governo também já oficializou o interesse em ser sede da Copa América 2019. “Coloquei que o que fosse necessário por parte do Estado estaríamos dispostos a fazer”, afirmou.