"Esse Guido Mantega vem procurando retaliar o Ceará", declara Cid Gomes


“Esse Guido Mantega vem procurando retaliar o Ceará”, declara Cid Gomes

Declaração foi concedida após o Tribunal de Contas da União ter rebaixado a nota do Ceará no ranking de análise financeira dos Estados

Por Roberta Tavares em Política

16 de dezembro de 2013 às 13:03

Há 5 anos
O governador acrescentou ainda que Dilma Rousseff (PT) deve ter “falado duro” com o ministro da Fazenda (FOTO: Renato Araújo/ABr)

O governador acrescentou ainda que Dilma Rousseff (PT) deve ter “falado duro” com o ministro da Fazenda (FOTO: Renato Araújo/ABr)

O governador do Ceará, Cid Gomes (Pros), declarou, na manhã desta segunda-feira (16), que o relatório do Tribunal de Contas da União (TCU) é atrasado e que a divulgação dos dados seria uma forma de retaliação do ministro da Fazenda, Guido Mantega.

A declaração foi concedida após o TCU ter rebaixado a nota do Ceará no ranking de análise financeira dos Estados e ter classificado como “insuficientes” as garantias da gestão Cid Gomes para receber empréstimo de até R$ 100 milhões do Banco Mundial.

“Esse Guido Mantega vem procurando retaliar o estado do Ceará. Isso é uma posição pessoal em relação a mim. Para atender o interesse de São Paulo, ele fazia muita questão de aprovar uma matéria que reforma o ICMS [Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços]. Eu fui à presidenta Dilma e, na frente dele, desmontei todos os argumentos que ele colocava. Desde essa data, ele ficou com restrições a mim”, disse Cid.

Confira o áudio da entrevista:

[haiku url=”http://tribunadoceara.uol.com.br/audios/wp-content/uploads/sites/6/2013/12/son-cid-masterizada_1612.mp3″]

O governador acrescentou ainda que Dilma Rousseff (PT) deve ter “falado duro” com o ministro da Fazenda. “Mais recentemente, ele estava segurando há mais de 20 dias um simples ofício. Liguei para a presidente e ela me atendeu na hora. Imagino que deva ter falado duro com ele; porque, no mesmo dia, a matéria acabou indo para o Senado. Então acho que, em retaliação, ele tem feito essas coisas”, concluiu.

> LEIA MAIS:

Em 2011, ano da análise anterior do TCU sobre o Ceará, o Estado possuía a classificação ‘B’, que indicava resultado primário positivo para bancar os encargos das dívidas. Segundo afirmou, o governador “acha estranho” o rebaixamento de notas “B” para “D” – a mais baixa da lista e que indica reprovação do TCU para pedidos de financiamento internacional. Ele disse ainda que a saúde fiscal do Ceará vai muito bem e que as contas estão sendo pagas em dia.

O TCU considera o resultado primário (diferença entre receitas e despesas) das gestões. No caso do Ceará, detectou deficit de R$ 82,9 milhões, somando os resultados de 2007 (primeiro ano de Cid) a 2013 e projeções até 2020. Apontou ainda que a capacidade de pagamento do Estado “inspira cuidados”.

Publicidade

Dê sua opinião

“Esse Guido Mantega vem procurando retaliar o Ceará”, declara Cid Gomes

Declaração foi concedida após o Tribunal de Contas da União ter rebaixado a nota do Ceará no ranking de análise financeira dos Estados

Por Roberta Tavares em Política

16 de dezembro de 2013 às 13:03

Há 5 anos
O governador acrescentou ainda que Dilma Rousseff (PT) deve ter “falado duro” com o ministro da Fazenda (FOTO: Renato Araújo/ABr)

O governador acrescentou ainda que Dilma Rousseff (PT) deve ter “falado duro” com o ministro da Fazenda (FOTO: Renato Araújo/ABr)

O governador do Ceará, Cid Gomes (Pros), declarou, na manhã desta segunda-feira (16), que o relatório do Tribunal de Contas da União (TCU) é atrasado e que a divulgação dos dados seria uma forma de retaliação do ministro da Fazenda, Guido Mantega.

A declaração foi concedida após o TCU ter rebaixado a nota do Ceará no ranking de análise financeira dos Estados e ter classificado como “insuficientes” as garantias da gestão Cid Gomes para receber empréstimo de até R$ 100 milhões do Banco Mundial.

“Esse Guido Mantega vem procurando retaliar o estado do Ceará. Isso é uma posição pessoal em relação a mim. Para atender o interesse de São Paulo, ele fazia muita questão de aprovar uma matéria que reforma o ICMS [Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços]. Eu fui à presidenta Dilma e, na frente dele, desmontei todos os argumentos que ele colocava. Desde essa data, ele ficou com restrições a mim”, disse Cid.

Confira o áudio da entrevista:

[haiku url=”http://tribunadoceara.uol.com.br/audios/wp-content/uploads/sites/6/2013/12/son-cid-masterizada_1612.mp3″]

O governador acrescentou ainda que Dilma Rousseff (PT) deve ter “falado duro” com o ministro da Fazenda. “Mais recentemente, ele estava segurando há mais de 20 dias um simples ofício. Liguei para a presidente e ela me atendeu na hora. Imagino que deva ter falado duro com ele; porque, no mesmo dia, a matéria acabou indo para o Senado. Então acho que, em retaliação, ele tem feito essas coisas”, concluiu.

> LEIA MAIS:

Em 2011, ano da análise anterior do TCU sobre o Ceará, o Estado possuía a classificação ‘B’, que indicava resultado primário positivo para bancar os encargos das dívidas. Segundo afirmou, o governador “acha estranho” o rebaixamento de notas “B” para “D” – a mais baixa da lista e que indica reprovação do TCU para pedidos de financiamento internacional. Ele disse ainda que a saúde fiscal do Ceará vai muito bem e que as contas estão sendo pagas em dia.

O TCU considera o resultado primário (diferença entre receitas e despesas) das gestões. No caso do Ceará, detectou deficit de R$ 82,9 milhões, somando os resultados de 2007 (primeiro ano de Cid) a 2013 e projeções até 2020. Apontou ainda que a capacidade de pagamento do Estado “inspira cuidados”.