Efetivo da PM na segurança da Assembleia Legislativa é maior que o de cidades cearenses
EXAGERO?

Efetivo da PM na segurança da Assembleia Legislativa é maior que o de cidades cearenses

O efetivo tem homens de várias patentes, entre eles nove tenentes-coronéis. Nem todos os deputados concordam

Por Tribuna Bandnews FM em Política

2 de dezembro de 2016 às 06:30

Há 3 meses
Entre os militares existem policiais e bombeiros (FOTO: Reprodução)

Entre os militares existem policiais e bombeiros (FOTO: Reprodução)

A folha de pagamento do mês de novembro da Assembleia Legislativa do Estado Ceará indicou que militares são responsáveis por fazerem a segurança da casa. Conforme o documento, a maioria dos agentes seriam policiais militares, mas também há bombeiros.

O efetivo tem homens de várias patentes, entre eles nove tenentes-coronéis. O número é superior ao efetivo de várias cidades do interior do estado.

Nem todos os deputados concordam, como Audic Mota (PMDB). “Muito do que é feito nesses órgãos pelos militares poderia ser feito por uma guarda privada”, destaca o parlamentar à Tribuna Bandnews FM.

Também em entrevista à Tribuna Bandnews FM, Roberto Mesquita (PSD) relatou que a casa não precisava desse efetivo tão alto. “Não podemos ter cidades sem recursos e totalmente desassistidas de policiais. Enquanto órgãos, que possuem orçamentos generosos, como o Poder Legislativo, terem contingentes expressivos de policiais”, relata.

Já para o deputado Estadual Capitão Wagner (PR), no entanto, defende que a realização de concursos ou melhor distribuição dos militares no interior seja a solução. “Há uma necessidade de uma melhor distribuição do efetivo, não só pra prestar um serviço digno à população, mas também para proteger os próprios policiais”, disse. 

A ideia de distribuição do efetivo também é defendido pela deputada Fernanda Pessoa (PR). “Tivemos agora um concurso público e estamos aguardando a divulgação do resultado do aumento de efetivo feminino também. Então, o mais importante é que tenhamos o maior número de policiamento nas ruas”, ressalta.

A lei de organização básica da Polícia Militar diz que cada município do estado deve ter pelo menos um destacamento com, no mínimo, 15 policiais. Mas, em algumas cidades, a quantidade de PMs nem chega a isso. É o que explica o presidente da Associação de Praças da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros, Pedro Queiroz.

“Um município com 50 mil habitantes tinha que ter um efetivo razoável de 30 homens. Mas o que você ver são seis ou quatro homens fazendo a segurança”, detalha Pedro.

Atualmente, o Ceará conta com 17 mil policiais militares, uma média de um agente para cada 529 habitantes. Número inferior ao recomendado pela Organização das Nações Unidas, que é de um policial para cada 250 pessoas.

Confira a reportagem de Carlos Henrique Costa, da rádio Tribuna Bandnews FM:

Publicidade

Dê sua opinião

EXAGERO?

Efetivo da PM na segurança da Assembleia Legislativa é maior que o de cidades cearenses

O efetivo tem homens de várias patentes, entre eles nove tenentes-coronéis. Nem todos os deputados concordam

Por Tribuna Bandnews FM em Política

2 de dezembro de 2016 às 06:30

Há 3 meses
Entre os militares existem policiais e bombeiros (FOTO: Reprodução)

Entre os militares existem policiais e bombeiros (FOTO: Reprodução)

A folha de pagamento do mês de novembro da Assembleia Legislativa do Estado Ceará indicou que militares são responsáveis por fazerem a segurança da casa. Conforme o documento, a maioria dos agentes seriam policiais militares, mas também há bombeiros.

O efetivo tem homens de várias patentes, entre eles nove tenentes-coronéis. O número é superior ao efetivo de várias cidades do interior do estado.

Nem todos os deputados concordam, como Audic Mota (PMDB). “Muito do que é feito nesses órgãos pelos militares poderia ser feito por uma guarda privada”, destaca o parlamentar à Tribuna Bandnews FM.

Também em entrevista à Tribuna Bandnews FM, Roberto Mesquita (PSD) relatou que a casa não precisava desse efetivo tão alto. “Não podemos ter cidades sem recursos e totalmente desassistidas de policiais. Enquanto órgãos, que possuem orçamentos generosos, como o Poder Legislativo, terem contingentes expressivos de policiais”, relata.

Já para o deputado Estadual Capitão Wagner (PR), no entanto, defende que a realização de concursos ou melhor distribuição dos militares no interior seja a solução. “Há uma necessidade de uma melhor distribuição do efetivo, não só pra prestar um serviço digno à população, mas também para proteger os próprios policiais”, disse. 

A ideia de distribuição do efetivo também é defendido pela deputada Fernanda Pessoa (PR). “Tivemos agora um concurso público e estamos aguardando a divulgação do resultado do aumento de efetivo feminino também. Então, o mais importante é que tenhamos o maior número de policiamento nas ruas”, ressalta.

A lei de organização básica da Polícia Militar diz que cada município do estado deve ter pelo menos um destacamento com, no mínimo, 15 policiais. Mas, em algumas cidades, a quantidade de PMs nem chega a isso. É o que explica o presidente da Associação de Praças da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros, Pedro Queiroz.

“Um município com 50 mil habitantes tinha que ter um efetivo razoável de 30 homens. Mas o que você ver são seis ou quatro homens fazendo a segurança”, detalha Pedro.

Atualmente, o Ceará conta com 17 mil policiais militares, uma média de um agente para cada 529 habitantes. Número inferior ao recomendado pela Organização das Nações Unidas, que é de um policial para cada 250 pessoas.

Confira a reportagem de Carlos Henrique Costa, da rádio Tribuna Bandnews FM: