Delator dá mais detalhes de suposta acerto de propina dentro do Senado a Eunício Oliveira

ELEIÇÕES 2014

Delator dá mais detalhes de suposta acerto de propina dentro do Senado a Eunício Oliveira

Segundo o delator houve a oferta de propina para que Eunício bloqueasse emendas em medidas provisórias que poderiam favorecer um concorrente, a empresa LBR

Por Tribuna do Ceará em Política

19 de Maio de 2018 às 09:30

Há 3 meses
O Senador nega as acusações  (Foto:  Waldemir Barreto-Agência Senado)

O Senador nega as acusações (Foto: Waldemir Barreto-Agência Senado)

O suposto pagamento de propina de R$5 milhões pago pela Vigor empresa do grupo J&F, e outras empresas do setor de laticínios ao presidente do Senado Eunício Oliveira (MDB-CE) ganhou mais um capítulo na sexta-feira (18), com o delator Ricardo Saud.

Saud falou novos detalhes do episódio, entregue à Procuradoria-Geral da República. Ele delatou como foram feitos os pagamentos, os valores, as empresas e o acerto da propina. De acordo com a reportagem do G1, o delator entregou 12 arquivos com mais informações.

Segundo ele, houve a oferta de propina para que Eunício bloqueasse emendas em medidas provisórias que poderiam favorecer um concorrente, a empresa LBR. Ele acrescentou ainda que, no primeiro semestre de 2014, o senador mostrou eficácia em cumprir a parte no trato, conseguindo evitar emendas em três medidas provisórias que tramitavam no Senado, da qual ele era integrante.

O novo inquérito foi autorizado na última quinta-feira (17) pelo ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no STF. O processo tem como base duas delações: a do cearense Sérgio Machado, ex-presidente da Transpetro; e a de Ricardo Saud, executivo do grupo J&F. Segundo as investigações, foram feitos repasses de mais de R$ 43 milhões.

Em nota, o senador Eunício Oliveira afirma que os diálogos relatados pelo delator são imaginários, nunca aconteceram, são mentirosos, como é possível constatar na prestação de contas do diretório nacional de PMDB ao TSE.

Publicidade

Dê sua opinião

ELEIÇÕES 2014

Delator dá mais detalhes de suposta acerto de propina dentro do Senado a Eunício Oliveira

Segundo o delator houve a oferta de propina para que Eunício bloqueasse emendas em medidas provisórias que poderiam favorecer um concorrente, a empresa LBR

Por Tribuna do Ceará em Política

19 de Maio de 2018 às 09:30

Há 3 meses
O Senador nega as acusações  (Foto:  Waldemir Barreto-Agência Senado)

O Senador nega as acusações (Foto: Waldemir Barreto-Agência Senado)

O suposto pagamento de propina de R$5 milhões pago pela Vigor empresa do grupo J&F, e outras empresas do setor de laticínios ao presidente do Senado Eunício Oliveira (MDB-CE) ganhou mais um capítulo na sexta-feira (18), com o delator Ricardo Saud.

Saud falou novos detalhes do episódio, entregue à Procuradoria-Geral da República. Ele delatou como foram feitos os pagamentos, os valores, as empresas e o acerto da propina. De acordo com a reportagem do G1, o delator entregou 12 arquivos com mais informações.

Segundo ele, houve a oferta de propina para que Eunício bloqueasse emendas em medidas provisórias que poderiam favorecer um concorrente, a empresa LBR. Ele acrescentou ainda que, no primeiro semestre de 2014, o senador mostrou eficácia em cumprir a parte no trato, conseguindo evitar emendas em três medidas provisórias que tramitavam no Senado, da qual ele era integrante.

O novo inquérito foi autorizado na última quinta-feira (17) pelo ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no STF. O processo tem como base duas delações: a do cearense Sérgio Machado, ex-presidente da Transpetro; e a de Ricardo Saud, executivo do grupo J&F. Segundo as investigações, foram feitos repasses de mais de R$ 43 milhões.

Em nota, o senador Eunício Oliveira afirma que os diálogos relatados pelo delator são imaginários, nunca aconteceram, são mentirosos, como é possível constatar na prestação de contas do diretório nacional de PMDB ao TSE.