#Conjunturas: Parlamentares questionam a validade de plano estratégico Ceará 2050

FUTURO LONGE

#Conjunturas: Parlamentares questionam a validade de plano estratégico Ceará 2050

O plano tem o objetivo de discutir o desenvolvimento sustentável do Ceará nos próximos 30 anos

Por Tribuna do Ceará em Política

10 de novembro de 2017 às 12:58

Há 1 mês
Ceará 2050 foi lançado pelo governo do estado (FOTO: Divulgação/Governo do Ceará)

Ceará 2050 foi lançado pelo governo do estado (FOTO: Divulgação/Governo do Ceará)

O plano Ceará 2050, lançado pelo governo estadual, foi tema do Conjunturas desta sexta-feira (10). O objetivo do Ceará 2050 é debater o desenvolvimento sustentável do estado nos próximos 30 anos. O quadro vai ao ar segunda, quarta e sexta, pela manhã, no Tribuna BandNews 1ª edição.

O deputado federal Cabo Sabino (PR), o estadual Carlos Matos (PSDB) e o vereador de Fortaleza Guilherme Sampaio (PT) comentaram o assunto.

“Pensar o futuro é importante. A minha preocupação é o controle da execução disso. Se planeja, se discute e não se tem a segurança de que vai ser implementado ou executado o que se discutiu”, comenta Carlos Matos.

Segundo o parlamentar, o fato de o projeto ser iniciativa do governo, mesmo que sob coordenação da Universidade Federal do Ceará, é “preocupante”.

“Quando o governo muda, pode se esfacelar tudo o que se construiu. Era preciso que a sociedade se empoderasse, que ela própria pudesse construir esse futuro para cobrar do governo. Pensar no futuro das cidades é sempre digno de nota, mas não é de qualquer jeito que dá certo”, acrescenta o parlamentar do PSDB.

Guilherme concordou e reconheceu a iniciativa, por dar mais legitimidade acadêmica e abertura para o diálogo com a sociedade; mas, de acordo com o parlamentar, isso não é suficiente. 

O vereador do PT comparou o projeto ao Plano Fortaleza 2040, planejamento para a cidade com estratégias a serem implantadas no curto, médio e longo prazo.

“Espero que o Ceará não siga o exemplo de Fortaleza, em que a única coisa realmente consistente é o master plan, desenvolvido pela equipe do arquiteto e urbanista Fausto Nilo. Mas, na própria prefeitura, as leis que foram enviadas para a Câmara Municipal não tem nada a ver do que aquilo que foi defendido pelo master plan, no Fortaleza 2040. Na minha opinião, se transformou numa mera peça de marketing”.

Cabo Sabino chamou atenção para a necessidade de dar continuidade ao projeto e não esquecê-lo durante a trajetória. “É necessário que haja a preocupação com a continuidade, que haja compromisso de todas as autoridades, porque senão lança hoje, assume amanhã outro governo e aí fica sendo projeto de governo e não de estado”, conclui.

Confira o debate completo sobre o tema entre o vereador Guilherme Sampaio, o deputado estadual Carlos Matos e o deputado federal Cabo Sabino:

Publicidade

Dê sua opinião

FUTURO LONGE

#Conjunturas: Parlamentares questionam a validade de plano estratégico Ceará 2050

O plano tem o objetivo de discutir o desenvolvimento sustentável do Ceará nos próximos 30 anos

Por Tribuna do Ceará em Política

10 de novembro de 2017 às 12:58

Há 1 mês
Ceará 2050 foi lançado pelo governo do estado (FOTO: Divulgação/Governo do Ceará)

Ceará 2050 foi lançado pelo governo do estado (FOTO: Divulgação/Governo do Ceará)

O plano Ceará 2050, lançado pelo governo estadual, foi tema do Conjunturas desta sexta-feira (10). O objetivo do Ceará 2050 é debater o desenvolvimento sustentável do estado nos próximos 30 anos. O quadro vai ao ar segunda, quarta e sexta, pela manhã, no Tribuna BandNews 1ª edição.

O deputado federal Cabo Sabino (PR), o estadual Carlos Matos (PSDB) e o vereador de Fortaleza Guilherme Sampaio (PT) comentaram o assunto.

“Pensar o futuro é importante. A minha preocupação é o controle da execução disso. Se planeja, se discute e não se tem a segurança de que vai ser implementado ou executado o que se discutiu”, comenta Carlos Matos.

Segundo o parlamentar, o fato de o projeto ser iniciativa do governo, mesmo que sob coordenação da Universidade Federal do Ceará, é “preocupante”.

“Quando o governo muda, pode se esfacelar tudo o que se construiu. Era preciso que a sociedade se empoderasse, que ela própria pudesse construir esse futuro para cobrar do governo. Pensar no futuro das cidades é sempre digno de nota, mas não é de qualquer jeito que dá certo”, acrescenta o parlamentar do PSDB.

Guilherme concordou e reconheceu a iniciativa, por dar mais legitimidade acadêmica e abertura para o diálogo com a sociedade; mas, de acordo com o parlamentar, isso não é suficiente. 

O vereador do PT comparou o projeto ao Plano Fortaleza 2040, planejamento para a cidade com estratégias a serem implantadas no curto, médio e longo prazo.

“Espero que o Ceará não siga o exemplo de Fortaleza, em que a única coisa realmente consistente é o master plan, desenvolvido pela equipe do arquiteto e urbanista Fausto Nilo. Mas, na própria prefeitura, as leis que foram enviadas para a Câmara Municipal não tem nada a ver do que aquilo que foi defendido pelo master plan, no Fortaleza 2040. Na minha opinião, se transformou numa mera peça de marketing”.

Cabo Sabino chamou atenção para a necessidade de dar continuidade ao projeto e não esquecê-lo durante a trajetória. “É necessário que haja a preocupação com a continuidade, que haja compromisso de todas as autoridades, porque senão lança hoje, assume amanhã outro governo e aí fica sendo projeto de governo e não de estado”, conclui.

Confira o debate completo sobre o tema entre o vereador Guilherme Sampaio, o deputado estadual Carlos Matos e o deputado federal Cabo Sabino: