#Conjunturas: Parlamentares discutem legitimidade do Congresso para fazer reforma política

CENÁRIO DE CRISE

#Conjunturas: Parlamentares discutem legitimidade do Congresso para fazer reforma política

O quadro vai ao ar segunda, quarta e sexta, pela manhã, no Tribuna BandNews 1ª edição, com mediação de Nonato Albuquerque

Por Tribuna do Ceará em Política

19 de Maio de 2017 às 12:03

Há 6 meses
Deputado Cabo Sabino, mediador Nonato Albuquerque, vereador Guilherme Sampaio e deputado Carlos Matos. (Foto: Tribuna do Ceará)

Deputado Cabo Sabino, mediador Nonato Albuquerque, vereador Guilherme Sampaio e deputado Carlos Matos. (Foto: Tribuna do Ceará)

Diante da crise política instalada no Brasil, o Conjunturas desta sexta-feira (19) tratou sobre a proposta de reforma política que tramita no Congresso Nacional. Os deputados federal Cabo Sabino (PR), estadual Carlos Matos (PSDB) e o vereador Guilherme Sampaio (PT) debateram sobre fortalecimento de partidos e legitimidade parlamentar para aprovar mudanças no contexto atual.

O quadro vai ao ar segunda, quarta e sexta, pela manhã, no Tribuna BandNews 1ª edição, com mediação do jornalista Nonato Albuquerque.

Para Carlos Matos, “o fortalecimento dos partidos é o ponto chave”. Ele defende que “sem partido forte, teremos um personalismo no país que não é saudável, é como se houvesse um salvador da pátria e não existe esse salvador da pátria, será uma fábrica de frustrações”.

Cabo Sabino discorda e acredita que há risco em colocar o poder nas mãos de um grupo político. “Quando falamos numa reforma em que se pode empoderar partidos, é você entregar o país todo a um partido. Isso só fortalece a quem está no poder”, pontuou.

Guilherme Sampaio acredita que a melhor saída seria realizar uma constituinte exclusiva para discutir a reforma política. “A cirscunstância política não dá a esse colegiado atual a legitimidade popular para implantar mudanças do tipo voto em lista ou um sistema misto”, afirmou.

Confira o debate completo sobre o tema entre o vereador Guilherme Sampaio, o deputado estadual Carlos Matos e o deputado federal Cabo Sabino:

Publicidade

Dê sua opinião

CENÁRIO DE CRISE

#Conjunturas: Parlamentares discutem legitimidade do Congresso para fazer reforma política

O quadro vai ao ar segunda, quarta e sexta, pela manhã, no Tribuna BandNews 1ª edição, com mediação de Nonato Albuquerque

Por Tribuna do Ceará em Política

19 de Maio de 2017 às 12:03

Há 6 meses
Deputado Cabo Sabino, mediador Nonato Albuquerque, vereador Guilherme Sampaio e deputado Carlos Matos. (Foto: Tribuna do Ceará)

Deputado Cabo Sabino, mediador Nonato Albuquerque, vereador Guilherme Sampaio e deputado Carlos Matos. (Foto: Tribuna do Ceará)

Diante da crise política instalada no Brasil, o Conjunturas desta sexta-feira (19) tratou sobre a proposta de reforma política que tramita no Congresso Nacional. Os deputados federal Cabo Sabino (PR), estadual Carlos Matos (PSDB) e o vereador Guilherme Sampaio (PT) debateram sobre fortalecimento de partidos e legitimidade parlamentar para aprovar mudanças no contexto atual.

O quadro vai ao ar segunda, quarta e sexta, pela manhã, no Tribuna BandNews 1ª edição, com mediação do jornalista Nonato Albuquerque.

Para Carlos Matos, “o fortalecimento dos partidos é o ponto chave”. Ele defende que “sem partido forte, teremos um personalismo no país que não é saudável, é como se houvesse um salvador da pátria e não existe esse salvador da pátria, será uma fábrica de frustrações”.

Cabo Sabino discorda e acredita que há risco em colocar o poder nas mãos de um grupo político. “Quando falamos numa reforma em que se pode empoderar partidos, é você entregar o país todo a um partido. Isso só fortalece a quem está no poder”, pontuou.

Guilherme Sampaio acredita que a melhor saída seria realizar uma constituinte exclusiva para discutir a reforma política. “A cirscunstância política não dá a esse colegiado atual a legitimidade popular para implantar mudanças do tipo voto em lista ou um sistema misto”, afirmou.

Confira o debate completo sobre o tema entre o vereador Guilherme Sampaio, o deputado estadual Carlos Matos e o deputado federal Cabo Sabino: