#Conjunturas: Parlamentares cearenses discordam sobre financiamentos de campanhas políticas
DEBATE

#Conjunturas: Parlamentares cearenses discordam sobre financiamentos de campanhas políticas

O debate girou em torno da reforma política. Especialistas e deputados defendem, inclusive a criação de uma comissão permanente da reforma

Por Tribuna do Ceará em Política

10 de julho de 2017 às 12:06

Há 1 mês
congresso-nacional

Reforma política no Congresso Nacional (FOTO: Divulgação)

A reforma política vem ganhando corpo no Congresso Nacional. Especialistas e deputados defendem, inclusive a criação de uma comissão permanente da reforma. Esse foi o tema do debate do Conjunturas, que vai ao ar segunda, quarta e sexta, pela manhã, no Tribuna BandNews 1ª edição.

O deputado federal Cabo Sabino (PR), o estadual Carlos Matos (PSDB) e o vereador de Fortaleza Guilherme Sampaio (PT) divergiram nas opiniões sobre o caso. A discussão ficou mais intensa após a fala de Carlos Matos.

Cabo Sabino iniciou o debate indicando que a reforma seria uma “enganação”, por não avaliar a opinião da população. Para ele, sempre será levada em consideração o que os parlamentares querem. Além disso, ele aponta que o principal objetivo da reforma é a criação de um fundo eleitoral.

Já Guilherme Sampaio ressalta que a reforma “está passando sem o povo saber”. “Acabou financiamento empresarial e eles estão preocupados como vão comprar votos agora. Eu sou a favor de financiamento público, agora não pode ser decidido no escuro, nas sombras”. Além disso, enfatiza que é necessário democratizar as campanhas, tornando-a simples.

Para Carlos Matos, estão vendendo uma coisa negativa, como se fosse boa. A primeira crítica é sobre o tempo de campanha. “45 dias de campanha é pra ficar quem está, como trabalha um nome novo em 45 dias?”. Ele ainda considera que o financiamento empresarial não foi discutido de maneira correta. “Tirar dinheiro público para financiar campanha? O que é ruim é o financiamento empresarial estar viciado”.

Sabino interrompeu avisando é contra o financiamento por empresas. A partir daí, o debate entre Carlos Matos e Cabo Sabino fica mais intenso.

Confira o debate completo sobre o tema entre o vereador Guilherme Sampaio, o deputado estadual Carlos Matos e o deputado federal Cabo Sabino:

Publicidade

Dê sua opinião

DEBATE

#Conjunturas: Parlamentares cearenses discordam sobre financiamentos de campanhas políticas

O debate girou em torno da reforma política. Especialistas e deputados defendem, inclusive a criação de uma comissão permanente da reforma

Por Tribuna do Ceará em Política

10 de julho de 2017 às 12:06

Há 1 mês
congresso-nacional

Reforma política no Congresso Nacional (FOTO: Divulgação)

A reforma política vem ganhando corpo no Congresso Nacional. Especialistas e deputados defendem, inclusive a criação de uma comissão permanente da reforma. Esse foi o tema do debate do Conjunturas, que vai ao ar segunda, quarta e sexta, pela manhã, no Tribuna BandNews 1ª edição.

O deputado federal Cabo Sabino (PR), o estadual Carlos Matos (PSDB) e o vereador de Fortaleza Guilherme Sampaio (PT) divergiram nas opiniões sobre o caso. A discussão ficou mais intensa após a fala de Carlos Matos.

Cabo Sabino iniciou o debate indicando que a reforma seria uma “enganação”, por não avaliar a opinião da população. Para ele, sempre será levada em consideração o que os parlamentares querem. Além disso, ele aponta que o principal objetivo da reforma é a criação de um fundo eleitoral.

Já Guilherme Sampaio ressalta que a reforma “está passando sem o povo saber”. “Acabou financiamento empresarial e eles estão preocupados como vão comprar votos agora. Eu sou a favor de financiamento público, agora não pode ser decidido no escuro, nas sombras”. Além disso, enfatiza que é necessário democratizar as campanhas, tornando-a simples.

Para Carlos Matos, estão vendendo uma coisa negativa, como se fosse boa. A primeira crítica é sobre o tempo de campanha. “45 dias de campanha é pra ficar quem está, como trabalha um nome novo em 45 dias?”. Ele ainda considera que o financiamento empresarial não foi discutido de maneira correta. “Tirar dinheiro público para financiar campanha? O que é ruim é o financiamento empresarial estar viciado”.

Sabino interrompeu avisando é contra o financiamento por empresas. A partir daí, o debate entre Carlos Matos e Cabo Sabino fica mais intenso.

Confira o debate completo sobre o tema entre o vereador Guilherme Sampaio, o deputado estadual Carlos Matos e o deputado federal Cabo Sabino: