#Conjunturas: "O país está refém de um presidente que luta para escapar da cadeia", critica petista

FUTURO DO PAÍS

#Conjunturas: “O país está refém de um presidente que luta para escapar da cadeia”, critica petista

Os deputados Cabo Sabino e Carlos Matos (PSDB) e o vereador Guilherme Sampaio (PT) falaram sobre o pedido de investigação contra Michel Temer (PMDB)

Por Tribuna do Ceará em Política

19 de junho de 2017 às 11:28

Há 1 ano
Presidente Michel Temer pode não concluir mandato até 2018, segundo parlamentares cearenses. (Foto: Beto Barata/PR)

Presidente Michel Temer pode não concluir mandato até 2018, segundo parlamentares cearenses. (Foto: Beto Barata/PR)

O pedido da Procuradoria Geral da República (PGR) para investigar o presidente da República, Michel Temer (PMDB), diante das denúncias de corrupção envolvendo a empresa JBS, foi o mote da discussão do debate do Conjunturas. O quadro vai ao ar segunda, quarta e sexta, pela manhã, no Tribuna BandNews 1ª edição.

O deputado federal Cabo Sabino (PR), o estadual Carlos Matos (PSDB) e o vereador de Fortaleza Guilherme Sampaio (PT) convergem na crença de que a situação política do presidente está “insustentável”. Eles acreditam que Temer não terminará o mandato seja por processo no Congresso Nacional seja por renúncia.

“O País está refém de um presidente que está lutando para escapar da cadeia”, pontuou Guilherme Sampaio.

Para que o Supremo Tribunal Federal (STF) acate a o pedido do procurado Rodrigo Janot, é necessária aprovação do processo na Câmara dos Deputados. O presidente precisa de 176 votos favoráveis para que ele consiga evitar o processo no STF.

“No momento em que a Câmara autorizar, Temer é afastado do poder e Rodrigo Maia assume a presidência do Brasil até o STF julgar o presidente”, ressaltou Cabo Sabino. O deputado não descarta que Michel Temer seja afastado em julho, com suspensão do recesso da Câmara.

“Há chance de Temer conseguir 176 votos para se manter e o Congresso vai ser pressionado a tocar os pedidos de impeachment que estão sendo avaliados e até agora não foram colocados em pauta”, ressaltou Guilherme.

Carlos Mattos defende a renúncia do presidente. “Um presidente comprovado que está envolvido em crime deveria renunciar em qualquer lugar, e a pressão social para essa renúncia pode acontecer. Ninguém renuncia porque quer, Getúlio Vargas se suicidou”, afirmou.

Confira o debate completo sobre o tema entre o vereador Guilherme Sampaio, o deputado estadual Carlos Matos e o deputado federal Cabo Sabino:

Publicidade

Dê sua opinião

FUTURO DO PAÍS

#Conjunturas: “O país está refém de um presidente que luta para escapar da cadeia”, critica petista

Os deputados Cabo Sabino e Carlos Matos (PSDB) e o vereador Guilherme Sampaio (PT) falaram sobre o pedido de investigação contra Michel Temer (PMDB)

Por Tribuna do Ceará em Política

19 de junho de 2017 às 11:28

Há 1 ano
Presidente Michel Temer pode não concluir mandato até 2018, segundo parlamentares cearenses. (Foto: Beto Barata/PR)

Presidente Michel Temer pode não concluir mandato até 2018, segundo parlamentares cearenses. (Foto: Beto Barata/PR)

O pedido da Procuradoria Geral da República (PGR) para investigar o presidente da República, Michel Temer (PMDB), diante das denúncias de corrupção envolvendo a empresa JBS, foi o mote da discussão do debate do Conjunturas. O quadro vai ao ar segunda, quarta e sexta, pela manhã, no Tribuna BandNews 1ª edição.

O deputado federal Cabo Sabino (PR), o estadual Carlos Matos (PSDB) e o vereador de Fortaleza Guilherme Sampaio (PT) convergem na crença de que a situação política do presidente está “insustentável”. Eles acreditam que Temer não terminará o mandato seja por processo no Congresso Nacional seja por renúncia.

“O País está refém de um presidente que está lutando para escapar da cadeia”, pontuou Guilherme Sampaio.

Para que o Supremo Tribunal Federal (STF) acate a o pedido do procurado Rodrigo Janot, é necessária aprovação do processo na Câmara dos Deputados. O presidente precisa de 176 votos favoráveis para que ele consiga evitar o processo no STF.

“No momento em que a Câmara autorizar, Temer é afastado do poder e Rodrigo Maia assume a presidência do Brasil até o STF julgar o presidente”, ressaltou Cabo Sabino. O deputado não descarta que Michel Temer seja afastado em julho, com suspensão do recesso da Câmara.

“Há chance de Temer conseguir 176 votos para se manter e o Congresso vai ser pressionado a tocar os pedidos de impeachment que estão sendo avaliados e até agora não foram colocados em pauta”, ressaltou Guilherme.

Carlos Mattos defende a renúncia do presidente. “Um presidente comprovado que está envolvido em crime deveria renunciar em qualquer lugar, e a pressão social para essa renúncia pode acontecer. Ninguém renuncia porque quer, Getúlio Vargas se suicidou”, afirmou.

Confira o debate completo sobre o tema entre o vereador Guilherme Sampaio, o deputado estadual Carlos Matos e o deputado federal Cabo Sabino: