#Conjunturas: "Ele sabe falar de traição porque traiu Tasso", diz deputado sobre ataque de Ciro

DISCUSSÃO

#Conjunturas: “Ele sabe falar de traição porque traiu Tasso”, diz deputado sobre ataque de Ciro

Ciro Gomes disse que Tasso será um “traidor” se disputar o governo em 2018 contra Camilo Santana

Por Tribuna do Ceará em Política

16 de outubro de 2017 às 17:40

Há 2 meses
Convenção do PDT: deputado André Figueiredo, Ciro Gomes, primeira-dama Onélia Leite e Camilo Santana. (Foto: Divulgação PDT)

Convenção do PDT: deputado André Figueiredo, Ciro Gomes, primeira-dama Onélia Leite e Camilo Santana. (Foto: Divulgação PDT)

A fala do pré-candidato à Presidência da República, Ciro Gomes (PDT), sobre a possibilidade de o senador Tasso Jereissati (PSDB) ser candidato ao Governo do Estado é o tema do Conjunturas desta segunda-feira (16). O pedetista, durante convenção do partido, em Fortaleza, disse que o senador será visto como “traidor” se for candidato ao Governo do Estado contra Camilo Santana (PT).

O Conjunturas vai ao ar todas as segundas, quartas e sextas-feiras, pela manhã, na rádio Tribuna BandNews FM. Participam os deputados federal Cabo Sabino (PR), estadual Carlos Matos (PSDB) e o vereador de Fortaleza, Guilherme Sampaio (PT).

Para Sampaio, a fala de Ciro expõe “contradições”. No entanto, enquanto correligionário de Camilo, o vereador disse que a contradição começa com a presença do secretário do Planejamento, Maia Júnior, na gestão petista.

“O que o Ciro aponta é que isso seria uma contradição, Tasso ser candidato a governador, tendo Maia Júnior, que é um de seus principais quadros políticos, participando do Governo”, afirmou.

“Ele (Ciro) está pensando que o PSDB está fazendo parte do Governo? Está enganado, tão ingênuo. (..) Quem está fazendo parte é o Maia Júnior, não o PSDB”, rebateu Carlos Matos.

O deputado disse que Camilo precisou buscar quadros no PSDB porque não havia opções no PT. Porém criticou que a atitude tenha sido uma suposta tentativa de controlar o partido. “Ele convidou o Maia Júnior pra garrotear o PSDB, era essa intenção? Está pensando que é uma disnatia que manda no Ceará e no Brasil?”, pontuou.

O deputado Cabo Sabino fez críticas diretas a Ciro. “Ele sabe falar de traição porque ele traiu Tasso”, afirmou.

“Vindo desse cidadão que parece muitas das vezes uma metralhadora ambulante, nós não podemos esperar muitas coisas. Semear a discórdia é uma de suas principais características. Quando se fala em traição, realmente ele tem um capital político muito grande para falar”, disse Sabino.

O deputado federal lembrou que Tasso foi padrinho político de Ciro. “Isso é medo que Tasso seja candidato ao Governo do Estado?”, questionou.

Guilherme Sampaio defendeu que as lideranças políticas discutam projetos para o Ceará ao invés de nomes. No entanto, Matos o acusou de “jogar para baixo do tapete” uma discussão natural sobre lideranças.

Confira o debate completo:

Publicidade

Dê sua opinião

DISCUSSÃO

#Conjunturas: “Ele sabe falar de traição porque traiu Tasso”, diz deputado sobre ataque de Ciro

Ciro Gomes disse que Tasso será um “traidor” se disputar o governo em 2018 contra Camilo Santana

Por Tribuna do Ceará em Política

16 de outubro de 2017 às 17:40

Há 2 meses
Convenção do PDT: deputado André Figueiredo, Ciro Gomes, primeira-dama Onélia Leite e Camilo Santana. (Foto: Divulgação PDT)

Convenção do PDT: deputado André Figueiredo, Ciro Gomes, primeira-dama Onélia Leite e Camilo Santana. (Foto: Divulgação PDT)

A fala do pré-candidato à Presidência da República, Ciro Gomes (PDT), sobre a possibilidade de o senador Tasso Jereissati (PSDB) ser candidato ao Governo do Estado é o tema do Conjunturas desta segunda-feira (16). O pedetista, durante convenção do partido, em Fortaleza, disse que o senador será visto como “traidor” se for candidato ao Governo do Estado contra Camilo Santana (PT).

O Conjunturas vai ao ar todas as segundas, quartas e sextas-feiras, pela manhã, na rádio Tribuna BandNews FM. Participam os deputados federal Cabo Sabino (PR), estadual Carlos Matos (PSDB) e o vereador de Fortaleza, Guilherme Sampaio (PT).

Para Sampaio, a fala de Ciro expõe “contradições”. No entanto, enquanto correligionário de Camilo, o vereador disse que a contradição começa com a presença do secretário do Planejamento, Maia Júnior, na gestão petista.

“O que o Ciro aponta é que isso seria uma contradição, Tasso ser candidato a governador, tendo Maia Júnior, que é um de seus principais quadros políticos, participando do Governo”, afirmou.

“Ele (Ciro) está pensando que o PSDB está fazendo parte do Governo? Está enganado, tão ingênuo. (..) Quem está fazendo parte é o Maia Júnior, não o PSDB”, rebateu Carlos Matos.

O deputado disse que Camilo precisou buscar quadros no PSDB porque não havia opções no PT. Porém criticou que a atitude tenha sido uma suposta tentativa de controlar o partido. “Ele convidou o Maia Júnior pra garrotear o PSDB, era essa intenção? Está pensando que é uma disnatia que manda no Ceará e no Brasil?”, pontuou.

O deputado Cabo Sabino fez críticas diretas a Ciro. “Ele sabe falar de traição porque ele traiu Tasso”, afirmou.

“Vindo desse cidadão que parece muitas das vezes uma metralhadora ambulante, nós não podemos esperar muitas coisas. Semear a discórdia é uma de suas principais características. Quando se fala em traição, realmente ele tem um capital político muito grande para falar”, disse Sabino.

O deputado federal lembrou que Tasso foi padrinho político de Ciro. “Isso é medo que Tasso seja candidato ao Governo do Estado?”, questionou.

Guilherme Sampaio defendeu que as lideranças políticas discutam projetos para o Ceará ao invés de nomes. No entanto, Matos o acusou de “jogar para baixo do tapete” uma discussão natural sobre lideranças.

Confira o debate completo: