#Conjunturas: Aumento do consumo de água no Ceará preocupa parlamentares

SECA

#Conjunturas: Aumento do consumo de água no Ceará preocupa parlamentares

A média de consumo registrada foi a maior dos últimos 18 meses. Em relação a agosto, foram consumidos 8,15% a mais de água

Por Tribuna do Ceará em Política

1 de novembro de 2017 às 13:57

Há 1 mês
Consumo de água agrava situação da seca no Ceará. (Foto: Jéssica Welma/Tribuna do Ceará)

Consumo de água agrava situação da seca no Ceará. (Foto: Jéssica Welma/Tribuna do Ceará)

O aumento no consumo de água nas residências de Fortaleza e Região Metropolitana no mês de setembro é o tema do Conjunturas desta quarta-feira (1°). O programa vai ao ar às segundas, quartas e sextas-feiras, pela manhã, na rádio Tribuna BandNews FM.

A média de consumo registrada foi a maior dos últimos 18 meses. Em relação a agosto, foram consumidos 8,15% a mais de água. A situação acendeu um alerta no Governo do Estado. O deputado federal Cabo Sabino (PR), o estadual Carlos Matos (PSDB) e o vereador de Fortaleza Guilherme Sampaio (PT) discutiram a situação.

> Leia também: Mares Secos: três maiores açudes do Ceará agonizam em cenário de seca histórica

Guilherme Sampaio ressaltou as ações do governo estadual para conduzir a situação da crise hídrica, que já se estende por seis anos. “Obras estruturante foram feitas no passado também – Cinturão das Águas, Canal do Trabalhador – que garantem Fortaleza passar por tantos anos seguidos de seca podendo evitar o racionamento”, pontuou.

Carlos Matos reconheceu “o trabalho e a criatividade” do Governo do Estado para evitar um colapso maior. “Mas a falta de políticas públicas para recursos hídricos ainda é impressionante”, afirmou.

“O colapso a que se submeteu o interior do Ceará é impressionante. Lá no Vale do Jaguaribe você vê o tanto de emprego que deixou de ser gerado por falta de políticas que possam ter uma compensação ao agricultor que acreditou que poderia investir, enquanto Fortaleza desperdiça 40% da água”, criticou o deputado.

Ele pontuou ainda que é preciso trabalhar o reuso de água, a perfuração de poços, a dessalinização da água do mar e a adoção de elementos mais modernos para uso dos recursos hídricos.

O deputado federal Cabo Sabino também ressaltou o esforço do Poder Executivo para garantir o abastecimento de água no Estado. “Eu já ouvi o Governo do Estado dizer várias vezes que nós temos a crise dos “S”: seca, segurança e saúde”, disse. Ele também destacou o trabalho da bancada cearense no Congresso Nacional para aportar recursos para o Estado.

Sabino cobrou eficiência em todos os níveis de gestão, citando o caso do abastecimento nos municípios de Potengi, Antônio Sales, Salitre e Araripe. “Tem um poço chamado P5, perfurado na época de Tasso (Jereissati, senador e ex-governador) e Lúcio (ex-governador) que abastece as quatro cidades. Só a bomba custa 4 milhões de reais, mas a bomba queimou porque a energia não era suficiente para funcionar a bomba”, criticou

Confira o debate completo:

Publicidade

Dê sua opinião

SECA

#Conjunturas: Aumento do consumo de água no Ceará preocupa parlamentares

A média de consumo registrada foi a maior dos últimos 18 meses. Em relação a agosto, foram consumidos 8,15% a mais de água

Por Tribuna do Ceará em Política

1 de novembro de 2017 às 13:57

Há 1 mês
Consumo de água agrava situação da seca no Ceará. (Foto: Jéssica Welma/Tribuna do Ceará)

Consumo de água agrava situação da seca no Ceará. (Foto: Jéssica Welma/Tribuna do Ceará)

O aumento no consumo de água nas residências de Fortaleza e Região Metropolitana no mês de setembro é o tema do Conjunturas desta quarta-feira (1°). O programa vai ao ar às segundas, quartas e sextas-feiras, pela manhã, na rádio Tribuna BandNews FM.

A média de consumo registrada foi a maior dos últimos 18 meses. Em relação a agosto, foram consumidos 8,15% a mais de água. A situação acendeu um alerta no Governo do Estado. O deputado federal Cabo Sabino (PR), o estadual Carlos Matos (PSDB) e o vereador de Fortaleza Guilherme Sampaio (PT) discutiram a situação.

> Leia também: Mares Secos: três maiores açudes do Ceará agonizam em cenário de seca histórica

Guilherme Sampaio ressaltou as ações do governo estadual para conduzir a situação da crise hídrica, que já se estende por seis anos. “Obras estruturante foram feitas no passado também – Cinturão das Águas, Canal do Trabalhador – que garantem Fortaleza passar por tantos anos seguidos de seca podendo evitar o racionamento”, pontuou.

Carlos Matos reconheceu “o trabalho e a criatividade” do Governo do Estado para evitar um colapso maior. “Mas a falta de políticas públicas para recursos hídricos ainda é impressionante”, afirmou.

“O colapso a que se submeteu o interior do Ceará é impressionante. Lá no Vale do Jaguaribe você vê o tanto de emprego que deixou de ser gerado por falta de políticas que possam ter uma compensação ao agricultor que acreditou que poderia investir, enquanto Fortaleza desperdiça 40% da água”, criticou o deputado.

Ele pontuou ainda que é preciso trabalhar o reuso de água, a perfuração de poços, a dessalinização da água do mar e a adoção de elementos mais modernos para uso dos recursos hídricos.

O deputado federal Cabo Sabino também ressaltou o esforço do Poder Executivo para garantir o abastecimento de água no Estado. “Eu já ouvi o Governo do Estado dizer várias vezes que nós temos a crise dos “S”: seca, segurança e saúde”, disse. Ele também destacou o trabalho da bancada cearense no Congresso Nacional para aportar recursos para o Estado.

Sabino cobrou eficiência em todos os níveis de gestão, citando o caso do abastecimento nos municípios de Potengi, Antônio Sales, Salitre e Araripe. “Tem um poço chamado P5, perfurado na época de Tasso (Jereissati, senador e ex-governador) e Lúcio (ex-governador) que abastece as quatro cidades. Só a bomba custa 4 milhões de reais, mas a bomba queimou porque a energia não era suficiente para funcionar a bomba”, criticou

Confira o debate completo: