Condenação de Lula afeta a campanha eleitoral no Ceará? Especialistas analisam o cenário

ELEIÇÕES 2018

Condenação de Lula afeta a campanha eleitoral no Ceará? Especialistas analisam o cenário

O ex-presidente foi condenado em 2ª instância nesta quarta-feira (24), por corrupção passiva e lavagem de dinheiro

Por Tribuna Bandnews FM em Política

25 de Janeiro de 2018 às 12:30

Há 10 meses

A indefinição se Lula poderá ou não ser candidato pode afetar as campanhas no Ceará (Foto: Agência Brasil)

O ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva foi condenado em segunda instância pelos três desembargadores da 8ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª região, em Porto Alegre. Diante dessa situação, a indefinição se Lula poderá ou não ser candidato para as eleições presidenciais pode afetar as campanhas eleitorais no Ceará.

Na visão do vice-presidente do partido do Movimento Democrático Brasileiro (MDB), Gaudêncio Lucena, a candidatura do ex-presidente, mesmo sendo condenado na Justiça, vai gerar uma instabilidade política no País.

Segundo ele, a situação vai afetar a sucessão nacional e estadual. “Eu imagino que, se o Lula for candidato, mesmo sob uma liminar, o governador Camilo Santana vai apoiá-lo”, aponta.

O cientista político Clézio Arruda também enxerga que a situação de Lula pode afetar o pleito estadual, mesmo que de forma tímida. Para ele, há uma dependência dos estados e municípios dos recursos federais.

“Essa pensão nacional repercute claramente nos poderes locais. Ainda há uma concentração dos recursos no Governo Federal. Então, gera uma dependência dos municípios em relação ao poder federal”, afirma.

Entretanto, o cientista político Uriban Xavier enxerga diferente. Ele acredita que o resultado do julgamento não vai afetar a campanha eleitoral do Partido dos Trabalhadores (PT) no Estado, que deve ter o governador Camilo Santana como candidato à reeleição. “Eu acho que aqui (Estado do Ceará) não afeta significativamente a campanha, porque não serve nem para articular uma oposição em relação ao governo do Camilo”, ressalta.

Pré-candidatura

Nesta quinta-feira (25), a comissão executiva nacional do PT vai se reunir em São Paulo para lançar a pré-candidatura de Lula à presidência. O governador está na capital para o encontro. Em outros momentos, Camilo Santana já declarou que acredita a inocência de Lula e informou que só vai se posicionar sobre o julgamento após a reunião do partido. O deputado federal José Guimarães (PT) demonstrou indignação com o resultado.

“Esse julgamento é injusto contra o ex-presidente Lula que defende a democracia. Nós não aceitamos essa condenação de Lula porque ele é um símbolo da reconstrução do Brasil”, afirma.

Lula foi condenado a 9 anos e meio de prisão na primeira instância pelo juiz Sérgio Moro em julho de 2016. Para Moro, o imóvel faz parte de pagamento de propina à empreiteira OAS para facilitar contratos com a Petrobras.

Julgamento

Nesta quarta-feira (24), ocorreu o julgamento em segunda instância de Lula após sua defesa do ter recorrido sobre a decisão do juiz Sérgio Moro. Por unanimidade, 3 votos a 0, o colegiado decidiu manter a condenação e ampliar a pena para 12 anos. Segundo o desembargador João Pedro Gebran, relator do caso, a prisão será efetuada logo após o julgamento dos recursos próprios do TRF 4.

A defesa do ex-presidente ainda pode recorrer ao Superior Tribunal da Justiça (STJ) e ao Superior Tribunal Federal (STF) para tentar reverter condenação.

Confira a reportagem de Tiago Lima, da Tribuna Band News:

Publicidade

Dê sua opinião

ELEIÇÕES 2018

Condenação de Lula afeta a campanha eleitoral no Ceará? Especialistas analisam o cenário

O ex-presidente foi condenado em 2ª instância nesta quarta-feira (24), por corrupção passiva e lavagem de dinheiro

Por Tribuna Bandnews FM em Política

25 de Janeiro de 2018 às 12:30

Há 10 meses

A indefinição se Lula poderá ou não ser candidato pode afetar as campanhas no Ceará (Foto: Agência Brasil)

O ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva foi condenado em segunda instância pelos três desembargadores da 8ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª região, em Porto Alegre. Diante dessa situação, a indefinição se Lula poderá ou não ser candidato para as eleições presidenciais pode afetar as campanhas eleitorais no Ceará.

Na visão do vice-presidente do partido do Movimento Democrático Brasileiro (MDB), Gaudêncio Lucena, a candidatura do ex-presidente, mesmo sendo condenado na Justiça, vai gerar uma instabilidade política no País.

Segundo ele, a situação vai afetar a sucessão nacional e estadual. “Eu imagino que, se o Lula for candidato, mesmo sob uma liminar, o governador Camilo Santana vai apoiá-lo”, aponta.

O cientista político Clézio Arruda também enxerga que a situação de Lula pode afetar o pleito estadual, mesmo que de forma tímida. Para ele, há uma dependência dos estados e municípios dos recursos federais.

“Essa pensão nacional repercute claramente nos poderes locais. Ainda há uma concentração dos recursos no Governo Federal. Então, gera uma dependência dos municípios em relação ao poder federal”, afirma.

Entretanto, o cientista político Uriban Xavier enxerga diferente. Ele acredita que o resultado do julgamento não vai afetar a campanha eleitoral do Partido dos Trabalhadores (PT) no Estado, que deve ter o governador Camilo Santana como candidato à reeleição. “Eu acho que aqui (Estado do Ceará) não afeta significativamente a campanha, porque não serve nem para articular uma oposição em relação ao governo do Camilo”, ressalta.

Pré-candidatura

Nesta quinta-feira (25), a comissão executiva nacional do PT vai se reunir em São Paulo para lançar a pré-candidatura de Lula à presidência. O governador está na capital para o encontro. Em outros momentos, Camilo Santana já declarou que acredita a inocência de Lula e informou que só vai se posicionar sobre o julgamento após a reunião do partido. O deputado federal José Guimarães (PT) demonstrou indignação com o resultado.

“Esse julgamento é injusto contra o ex-presidente Lula que defende a democracia. Nós não aceitamos essa condenação de Lula porque ele é um símbolo da reconstrução do Brasil”, afirma.

Lula foi condenado a 9 anos e meio de prisão na primeira instância pelo juiz Sérgio Moro em julho de 2016. Para Moro, o imóvel faz parte de pagamento de propina à empreiteira OAS para facilitar contratos com a Petrobras.

Julgamento

Nesta quarta-feira (24), ocorreu o julgamento em segunda instância de Lula após sua defesa do ter recorrido sobre a decisão do juiz Sérgio Moro. Por unanimidade, 3 votos a 0, o colegiado decidiu manter a condenação e ampliar a pena para 12 anos. Segundo o desembargador João Pedro Gebran, relator do caso, a prisão será efetuada logo após o julgamento dos recursos próprios do TRF 4.

A defesa do ex-presidente ainda pode recorrer ao Superior Tribunal da Justiça (STJ) e ao Superior Tribunal Federal (STF) para tentar reverter condenação.

Confira a reportagem de Tiago Lima, da Tribuna Band News: