"Ciro me teme", fala João Dória sobre desafeto político no Ceará
ELEIÇÕES DE 2018

“Ciro me teme”, fala Dória sobre desafeto político no Ceará

O prefeito de São Paulo diz não ser pré-candidato à presidência da República, mas fez críticas a nomes que figuram na disputa para 2018

Por Jéssica Welma em Política

18 de agosto de 2017 às 19:45

Há 1 mês
João Dória visitou o Ceará acompanhado por Tasso Jereissati. (Foto: André Lima/Fotos Públicas)

João Dória visitou o Ceará acompanhado por Tasso Jereissati, padrinho político de Ciro na década de 1990. (Foto: André Lima/Fotos Públicas)

Alvo de críticas do ex-ministro Ciro Gomes (PDT), o prefeito de São Paulo, João Dória (PSDB), resumiu seu desafeto político com o pré-candidato a presidente dizendo que Ciro o teme. Dória esteve em Fortaleza, nesta sexta-feira (18), em encontro com empresários do Ceará, no La Maison Buffet.

> Leia também: “Lula se diz Messi. Eu prefiro Neymar”, diz João Dória em visita ao Ceará

Questionado se disputar a presidência da República em 2018 com eventual chapa de Ciro e Fernando Haddad (PT), ex-prefeito de São Paulo, seria uma ameaça ao PSDB, o tucano disse não ser candidato e preferia não comentar. Mesmo assim, alfinetou o possível adversário e se colocou como possível ameaça.

“Ele (Ciro) me teme, assim como Lula e o petismo me temem também”, afirmou Dória. O prefeito de São Paulo voltou a sugerir tratamento psiquiátrico ao pedetista. “Ao Ciro Gomes, um recado: que ele intensifique sua consulta ao psiquiatra”, disse.

Em entrevista ao El País neste mês, Ciro chamou Dória de “farsante” que “enriqueceu pelo lobby”.

O ex-governador do Ceará já defendeu como “a chapa dos sonhos” uma parceria com o antecessor de Dória em São Paulo, Fernando Haddad. Dória aparece na disputa como nome paralelo do PSDB diante dos interesses de tradicionais nome do partido, como o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin.

Em Fortaleza, Dória afirmou não ser pré-candidato e disse que a série de visitas por capitais nordestinas são feitas sob papel político de prefeito.

Publicidade

Dê sua opinião

ELEIÇÕES DE 2018

“Ciro me teme”, fala Dória sobre desafeto político no Ceará

O prefeito de São Paulo diz não ser pré-candidato à presidência da República, mas fez críticas a nomes que figuram na disputa para 2018

Por Jéssica Welma em Política

18 de agosto de 2017 às 19:45

Há 1 mês
João Dória visitou o Ceará acompanhado por Tasso Jereissati. (Foto: André Lima/Fotos Públicas)

João Dória visitou o Ceará acompanhado por Tasso Jereissati, padrinho político de Ciro na década de 1990. (Foto: André Lima/Fotos Públicas)

Alvo de críticas do ex-ministro Ciro Gomes (PDT), o prefeito de São Paulo, João Dória (PSDB), resumiu seu desafeto político com o pré-candidato a presidente dizendo que Ciro o teme. Dória esteve em Fortaleza, nesta sexta-feira (18), em encontro com empresários do Ceará, no La Maison Buffet.

> Leia também: “Lula se diz Messi. Eu prefiro Neymar”, diz João Dória em visita ao Ceará

Questionado se disputar a presidência da República em 2018 com eventual chapa de Ciro e Fernando Haddad (PT), ex-prefeito de São Paulo, seria uma ameaça ao PSDB, o tucano disse não ser candidato e preferia não comentar. Mesmo assim, alfinetou o possível adversário e se colocou como possível ameaça.

“Ele (Ciro) me teme, assim como Lula e o petismo me temem também”, afirmou Dória. O prefeito de São Paulo voltou a sugerir tratamento psiquiátrico ao pedetista. “Ao Ciro Gomes, um recado: que ele intensifique sua consulta ao psiquiatra”, disse.

Em entrevista ao El País neste mês, Ciro chamou Dória de “farsante” que “enriqueceu pelo lobby”.

O ex-governador do Ceará já defendeu como “a chapa dos sonhos” uma parceria com o antecessor de Dória em São Paulo, Fernando Haddad. Dória aparece na disputa como nome paralelo do PSDB diante dos interesses de tradicionais nome do partido, como o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin.

Em Fortaleza, Dória afirmou não ser pré-candidato e disse que a série de visitas por capitais nordestinas são feitas sob papel político de prefeito.