Capitão Wagner denuncia suposto favorecimento de empresa com arrecadação de multas

INFRAÇÕES

Capitão Wagner denuncia suposto favorecimento de empresa com arrecadação de multas

O deputado estadual afirmou que uma empresa recebeu R$ 9 milhões, enquanto as demais que têm direito não receberam repasses

Por Lucas Barbosa em Política

7 de dezembro de 2017 às 20:20

Há 1 semana
O pronunciamento foi feito na Assembleia Legislativa (FOTO: Divulgação)

O pronunciamento foi feito na Assembleia Legislativa (FOTO: Divulgação)

O deputado estadual Capitão Wagner (PR) usou a tribuna da Assembleia Legislativa do Ceará para fazer denúncias contra o sistema de arrecadação de multas de trânsito em Fortaleza. Segundo o deputado, uma empresa pode estar sendo favorecida pelo arrecadado pela Prefeitura de Fortaleza com as infrações de trânsito.

De acordo com ele, há 12 meses não são repassadas verbas às empresas que têm direito a repasses vindos do total arrecadado com as multas. Conforme a lei, destaca o deputado, o arrecadado com as multas de trânsito deve ser repassado para a área da saúde, inclusive no tratamento de pessoas vítimas de acidente de trânsito, para campanhas de educação do trânsito e melhoria da pavimentação, dentre outros.

No último dia 23 de novembro, no entanto, o Portal da Transparência identificou que R$ 9 milhões foram repassados para uma empresa responsável pela manutenção de semáforos da cidade. “Mas porque só uma das empresas recebeu esta quantia? E todas as outras, por que estão há um ano sem receber nada?”, questiona Capitão Wagner.

Ainda baseado em dados do Portal da Transparência, Capitão Wagner citou que, em média, R$ 12 milhões são arrecadados todos os meses pela Prefeitura de Fortaleza. Isso é resultado no reforço da fiscalização na cidade, encarnado na aquisição de pistolas de fiscalização, tais como usadas pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), como ele cita. “Queremos cobrar da prefeitura mais responsabilidade com o pagamento dos prestadores de serviço”, afirma Wagner.

O Tribuna do Ceará tentou contato com a assessoria da Prefeitura de Fortaleza e da Autarquia Municipal de Trânsito, mas as ligações não foram atendidas.

Publicidade

Dê sua opinião

INFRAÇÕES

Capitão Wagner denuncia suposto favorecimento de empresa com arrecadação de multas

O deputado estadual afirmou que uma empresa recebeu R$ 9 milhões, enquanto as demais que têm direito não receberam repasses

Por Lucas Barbosa em Política

7 de dezembro de 2017 às 20:20

Há 1 semana
O pronunciamento foi feito na Assembleia Legislativa (FOTO: Divulgação)

O pronunciamento foi feito na Assembleia Legislativa (FOTO: Divulgação)

O deputado estadual Capitão Wagner (PR) usou a tribuna da Assembleia Legislativa do Ceará para fazer denúncias contra o sistema de arrecadação de multas de trânsito em Fortaleza. Segundo o deputado, uma empresa pode estar sendo favorecida pelo arrecadado pela Prefeitura de Fortaleza com as infrações de trânsito.

De acordo com ele, há 12 meses não são repassadas verbas às empresas que têm direito a repasses vindos do total arrecadado com as multas. Conforme a lei, destaca o deputado, o arrecadado com as multas de trânsito deve ser repassado para a área da saúde, inclusive no tratamento de pessoas vítimas de acidente de trânsito, para campanhas de educação do trânsito e melhoria da pavimentação, dentre outros.

No último dia 23 de novembro, no entanto, o Portal da Transparência identificou que R$ 9 milhões foram repassados para uma empresa responsável pela manutenção de semáforos da cidade. “Mas porque só uma das empresas recebeu esta quantia? E todas as outras, por que estão há um ano sem receber nada?”, questiona Capitão Wagner.

Ainda baseado em dados do Portal da Transparência, Capitão Wagner citou que, em média, R$ 12 milhões são arrecadados todos os meses pela Prefeitura de Fortaleza. Isso é resultado no reforço da fiscalização na cidade, encarnado na aquisição de pistolas de fiscalização, tais como usadas pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), como ele cita. “Queremos cobrar da prefeitura mais responsabilidade com o pagamento dos prestadores de serviço”, afirma Wagner.

O Tribuna do Ceará tentou contato com a assessoria da Prefeitura de Fortaleza e da Autarquia Municipal de Trânsito, mas as ligações não foram atendidas.