Camilo afirma que fechará termelétricas em janeiro caso falte água para população
POLÊMICAS

Camilo afirma que fechará termelétricas em janeiro caso falte água para população

O governador falou ainda sobre as obras previstas para 2017, dentre elas estão projetos iniciados na gestão do ex-governador Cid Gomes

Por Jéssica Welma em Política

31 de dezembro de 2016 às 06:45

Há 3 semanas
camilo-santana-radio-tribuna

Camilo Santana nos estúdios da Tribuna Bandnews FM (FOTO: Matheus Ribeiro/ Tribuna do Ceará)

Caso as chuvas sejam escassas em 2017, as termelétricas do Estado podem ser fechadas temporariamente, afirmou o governador Camilo Santana (PT), nesta sexta-feira (30). “Se tiver de escolher entre fornecimento de água para a população e a térmica, nós fechamos a térmica provisoriamente para priorizar o atendimento à população”, disse o governador.

Em entrevista à rádio Tribuna Bandnews FM, Camilo pontuou que já ameaçou fazer corte de água das termelétricas, dado o alto consumo. “Estamos cobrando mais cara a água para que possamos fazer mais investimentos, para que nem as térmicas fechem nem o Estado tenha prejuízo de água, mas, até agora, a térmica não aceitou as condições que o Estado colocou”, afirmou.

Segundo Camilo, na quinta-feira (29) houve nova notificação às empresas de que, se houver falta d’água em janeiro, podem ser feitos cortes. A expectativa do Governo é estabelecer uma relação mais sustentável para o uso da água, semelhantemente às parcerias feitas com as siderúrgicas.

Obras para 2017

O governador falou ainda sobre as obras previstas para 2017, dentre elas estão projetos iniciados na gestão do ex-governador Cid Gomes:

Veículo Leve sobre Trilhos (VLT)

A gente tem feito prioridade, com recursos do Estado. Estamos em teste da Parangaba até a (avenida) Borges de Melo. É uma obra complexa até pela questão das desapropriações. Eu pretendo entregar todo o trecho do VLT, que é uma obra importantíssima para a mobilidade de Fortaleza, até o final de 2017. Essa é uma meta que estamos estabelecendo.

Acquario

A ideia do Acquario é que a gente possa ter uma parceria com a iniciativa privada que vai não só concluir o Acquario como assumir a operação. Infelizmente é uma burocracia muito grande. Qualquer coisa que a gente vai fazer no Estado em parceria com a iniciativa privada tem que ter aprovação do Tribunal de Contas. Aprovamos uma lei na Assembleia que permite a concessão de obras públicas, mas, para cada concessão que vou conceder, eu vou precisar pedir uma autorização na Assembleia. Tem a burocracia da parte de licenciamento, de terreno.. Mas a ideia do Acquario é repassar para a iniciativa privada concluir e operar.

CFO

Concluímos o Centro de Formação Olímpica, pretendemos inaugurar, estamos vendo só o formato mesmo de funcionamento, se vamos fazer também uma concessão público-privada da operação. Tenho defendido para o Governo Federal que, da mesma forma que assumiu o Centro Olímpico do Rio de Janeiro, que também assuma o do Ceará, que não é só do Ceará, é do Nordeste; que desse cotas para cada estado do Nordeste encaminhar seus atletas para serem treinados. Poucos países têm um centro de formação olímpica como esse de Fortaleza.

Linha Leste do Metrô

Primeiro a gente tem priorizado que a Linha Sul funcione de forma regular, para isso a gente tem feito investimentos para diminuir o tempo de espera do passageiro. O Estado investe R$ 120 milhões para operar o metrô da Linha Sul. Só no meu governo foi um aumento de R$ 80 milhões. Todo metrô é deficitário. Não tem nenhum metrô que pague seu custo. Como é um metrô ainda pequeno no fluxo, requer um subsídio muito alto do governo.

O problema da Linha Leste é que em 2014 houve um problema entre as duas empresas que fizeram a obra, elas brigaram judicialmente. Conseguimos resolver esse problema na Justiça. Depois foi para o Tribunal de Contas da União que paralisou esse acordo. Depois conseguimos resolver no Tribunal de Contas da União, veio o problema porque parte do recurso é financiamento do BNDES, R4 1 bilhão, e R$ 1 bilhão é do Governo Federal. E o Governo Federal disse que não tinha dinheiro, que não ia iniciar obras novas. Estamos nessa negociação com o Governo Federal que tem exigido que, como dois bilhões de reais não dá pra fazer a Linha Leste, eles querem que haja uma parceria privada. Estamos com negociação com empresas nacionais e estrangeiras para fazer uma PPP (parceria público-privada).

Hospital de Quixeramobim

Já colocamos para funcionar esse ano. As pessoas acham que um hospital começa a funcionar integralmente de uma hora pra outra. Como aconteceu em Sobral. O hospital vai funcionando aos poucos, mas estará em funcionamento pleno em 2017.

HUB

O governador falou também sobre as expectativas para o HUB da TAM. Segundo ele, o Estado cumpriu todas as obrigações, dentre elas a publicação da concessão do Aeroporto Internacional Pinto Martins em dezembro. “Sou muito otimista nisso. Se nós não tivéssemos chance, talvez a tam já tivesse decidido por um dos outros dois estados”, pontuou.

Publicidade

Dê sua opinião

POLÊMICAS

Camilo afirma que fechará termelétricas em janeiro caso falte água para população

O governador falou ainda sobre as obras previstas para 2017, dentre elas estão projetos iniciados na gestão do ex-governador Cid Gomes

Por Jéssica Welma em Política

31 de dezembro de 2016 às 06:45

Há 3 semanas
camilo-santana-radio-tribuna

Camilo Santana nos estúdios da Tribuna Bandnews FM (FOTO: Matheus Ribeiro/ Tribuna do Ceará)

Caso as chuvas sejam escassas em 2017, as termelétricas do Estado podem ser fechadas temporariamente, afirmou o governador Camilo Santana (PT), nesta sexta-feira (30). “Se tiver de escolher entre fornecimento de água para a população e a térmica, nós fechamos a térmica provisoriamente para priorizar o atendimento à população”, disse o governador.

Em entrevista à rádio Tribuna Bandnews FM, Camilo pontuou que já ameaçou fazer corte de água das termelétricas, dado o alto consumo. “Estamos cobrando mais cara a água para que possamos fazer mais investimentos, para que nem as térmicas fechem nem o Estado tenha prejuízo de água, mas, até agora, a térmica não aceitou as condições que o Estado colocou”, afirmou.

Segundo Camilo, na quinta-feira (29) houve nova notificação às empresas de que, se houver falta d’água em janeiro, podem ser feitos cortes. A expectativa do Governo é estabelecer uma relação mais sustentável para o uso da água, semelhantemente às parcerias feitas com as siderúrgicas.

Obras para 2017

O governador falou ainda sobre as obras previstas para 2017, dentre elas estão projetos iniciados na gestão do ex-governador Cid Gomes:

Veículo Leve sobre Trilhos (VLT)

A gente tem feito prioridade, com recursos do Estado. Estamos em teste da Parangaba até a (avenida) Borges de Melo. É uma obra complexa até pela questão das desapropriações. Eu pretendo entregar todo o trecho do VLT, que é uma obra importantíssima para a mobilidade de Fortaleza, até o final de 2017. Essa é uma meta que estamos estabelecendo.

Acquario

A ideia do Acquario é que a gente possa ter uma parceria com a iniciativa privada que vai não só concluir o Acquario como assumir a operação. Infelizmente é uma burocracia muito grande. Qualquer coisa que a gente vai fazer no Estado em parceria com a iniciativa privada tem que ter aprovação do Tribunal de Contas. Aprovamos uma lei na Assembleia que permite a concessão de obras públicas, mas, para cada concessão que vou conceder, eu vou precisar pedir uma autorização na Assembleia. Tem a burocracia da parte de licenciamento, de terreno.. Mas a ideia do Acquario é repassar para a iniciativa privada concluir e operar.

CFO

Concluímos o Centro de Formação Olímpica, pretendemos inaugurar, estamos vendo só o formato mesmo de funcionamento, se vamos fazer também uma concessão público-privada da operação. Tenho defendido para o Governo Federal que, da mesma forma que assumiu o Centro Olímpico do Rio de Janeiro, que também assuma o do Ceará, que não é só do Ceará, é do Nordeste; que desse cotas para cada estado do Nordeste encaminhar seus atletas para serem treinados. Poucos países têm um centro de formação olímpica como esse de Fortaleza.

Linha Leste do Metrô

Primeiro a gente tem priorizado que a Linha Sul funcione de forma regular, para isso a gente tem feito investimentos para diminuir o tempo de espera do passageiro. O Estado investe R$ 120 milhões para operar o metrô da Linha Sul. Só no meu governo foi um aumento de R$ 80 milhões. Todo metrô é deficitário. Não tem nenhum metrô que pague seu custo. Como é um metrô ainda pequeno no fluxo, requer um subsídio muito alto do governo.

O problema da Linha Leste é que em 2014 houve um problema entre as duas empresas que fizeram a obra, elas brigaram judicialmente. Conseguimos resolver esse problema na Justiça. Depois foi para o Tribunal de Contas da União que paralisou esse acordo. Depois conseguimos resolver no Tribunal de Contas da União, veio o problema porque parte do recurso é financiamento do BNDES, R4 1 bilhão, e R$ 1 bilhão é do Governo Federal. E o Governo Federal disse que não tinha dinheiro, que não ia iniciar obras novas. Estamos nessa negociação com o Governo Federal que tem exigido que, como dois bilhões de reais não dá pra fazer a Linha Leste, eles querem que haja uma parceria privada. Estamos com negociação com empresas nacionais e estrangeiras para fazer uma PPP (parceria público-privada).

Hospital de Quixeramobim

Já colocamos para funcionar esse ano. As pessoas acham que um hospital começa a funcionar integralmente de uma hora pra outra. Como aconteceu em Sobral. O hospital vai funcionando aos poucos, mas estará em funcionamento pleno em 2017.

HUB

O governador falou também sobre as expectativas para o HUB da TAM. Segundo ele, o Estado cumpriu todas as obrigações, dentre elas a publicação da concessão do Aeroporto Internacional Pinto Martins em dezembro. “Sou muito otimista nisso. Se nós não tivéssemos chance, talvez a tam já tivesse decidido por um dos outros dois estados”, pontuou.