Aluno hostilizado por usar blusa de Bolsonaro desabafa contra opressão da esquerda

DIREITO DE IR E VIR

Aluno hostilizado por usar blusa de Bolsonaro desabafa contra opressão da esquerda

Jorge Fontenele, do curso de Letras, também acusa professor e aluno de agressão porque vestia camisa do deputado

Por Matheus Ribeiro em Política

10 de Maio de 2016 às 12:33

Há 2 anos
Estudante Jorge Fontenele registrou Boletim de Ocorrência após a confusão (FOTO: Reprodução TV Jangadeiro)

Estudante Jorge Fontenele registrou Boletim de Ocorrência após a confusão (FOTO: Reprodução TV Jangadeiro)

Direito de entrar e sair livremente e como quiser. Esse é o desejo do inspetor da Polícia Civil e estudante do curso de Letras da Universidade Federal do Ceará (UFC) Jorge Fontenelle. Na tarde desta segunda-feira (9), o aluno foi hostilizado por outros estudantes da universidade, do Campus Benfica, por estar vestindo uma blusa com a imagem do deputado federal Jair Bolsonaro (PSC).

Em entrevista ao programa Barra Pesada, da TV Jangadeiro/SBT, ele cobrou uma posição da reitoria da universidade. “Eu quero que o reitor tome uma atitude em relação a essa situação que ocorreu. Isso não pode ficar assim. Eu tenho o direito de estar naquela universidade, porque sou aluno da instituição e não posso ser expulso por estar usando uma camisa de determinado político. Isso seja tanto pra direita quanto pra esquerda”,  relatou o estudante, que cursa Letras Italiano na UFC. 

Quando perguntado se pretende abandonar o curso, Jorge afirmou que não sabe o que vai acontecer. “Eu vou lutar pelo meu direito de entrar e sair da universidade. Vou lutar pelos meus direitos e vou continuar vestindo essa blusa e indo pra instituição”, avisou.

Pedido de respeito

Jorge defende que, por se tratar de um ambiente acadêmico, é necessário respeitar as decisões políticas adversas. “Eu sei como os grupos que não concordam com as pessoas que têm comportamento de esquerda são oprimidos dentro da faculdade. Isso dentro da universidade não pode acontecer. Eu respeito demais a escolha de cada um”, reclama o estudante.

“Eles têm que respeitar a minoria que está lá dentro. Eles não lutam tanto pelos direitos da minoria? Hoje, eles são a maioria lá dentro, nós somos a minoria”, concluiu.

Em nota, a UFC informou que “o fato está sendo devidamente apurado, tendo em vista que o ambiente é um espaço plural e democrático que respeita a diversidade de ideais e opiniões”. Além disso, a instituição afirmou que incentiva a convivência respeitosa entre todos  os integrantes de sua comunidade, sejam alunos, docentes ou servidores técnico-administrativos.

Publicidade

Dê sua opinião

DIREITO DE IR E VIR

Aluno hostilizado por usar blusa de Bolsonaro desabafa contra opressão da esquerda

Jorge Fontenele, do curso de Letras, também acusa professor e aluno de agressão porque vestia camisa do deputado

Por Matheus Ribeiro em Política

10 de Maio de 2016 às 12:33

Há 2 anos
Estudante Jorge Fontenele registrou Boletim de Ocorrência após a confusão (FOTO: Reprodução TV Jangadeiro)

Estudante Jorge Fontenele registrou Boletim de Ocorrência após a confusão (FOTO: Reprodução TV Jangadeiro)

Direito de entrar e sair livremente e como quiser. Esse é o desejo do inspetor da Polícia Civil e estudante do curso de Letras da Universidade Federal do Ceará (UFC) Jorge Fontenelle. Na tarde desta segunda-feira (9), o aluno foi hostilizado por outros estudantes da universidade, do Campus Benfica, por estar vestindo uma blusa com a imagem do deputado federal Jair Bolsonaro (PSC).

Em entrevista ao programa Barra Pesada, da TV Jangadeiro/SBT, ele cobrou uma posição da reitoria da universidade. “Eu quero que o reitor tome uma atitude em relação a essa situação que ocorreu. Isso não pode ficar assim. Eu tenho o direito de estar naquela universidade, porque sou aluno da instituição e não posso ser expulso por estar usando uma camisa de determinado político. Isso seja tanto pra direita quanto pra esquerda”,  relatou o estudante, que cursa Letras Italiano na UFC. 

Quando perguntado se pretende abandonar o curso, Jorge afirmou que não sabe o que vai acontecer. “Eu vou lutar pelo meu direito de entrar e sair da universidade. Vou lutar pelos meus direitos e vou continuar vestindo essa blusa e indo pra instituição”, avisou.

Pedido de respeito

Jorge defende que, por se tratar de um ambiente acadêmico, é necessário respeitar as decisões políticas adversas. “Eu sei como os grupos que não concordam com as pessoas que têm comportamento de esquerda são oprimidos dentro da faculdade. Isso dentro da universidade não pode acontecer. Eu respeito demais a escolha de cada um”, reclama o estudante.

“Eles têm que respeitar a minoria que está lá dentro. Eles não lutam tanto pelos direitos da minoria? Hoje, eles são a maioria lá dentro, nós somos a minoria”, concluiu.

Em nota, a UFC informou que “o fato está sendo devidamente apurado, tendo em vista que o ambiente é um espaço plural e democrático que respeita a diversidade de ideais e opiniões”. Além disso, a instituição afirmou que incentiva a convivência respeitosa entre todos  os integrantes de sua comunidade, sejam alunos, docentes ou servidores técnico-administrativos.