Justiça decreta prisão preventiva de universitária que atropelou três pessoas - Noticias


Justiça decreta prisão preventiva de universitária que atropelou três pessoas

A universitária Amanda Cruz da Silva, de 20 anos, teve prisão preventiva decretada pela Justiça, após ter atropelado e matado três pessoas no dia 17 de março. A estudante já foi denunciada pelo Ministério Público.

Por Rosana Romão, Felipe Lima e Hayanne Narlla em Polícia

20 de Abril de 2012 às 12:28

Há 6 anos

A universitária Amanda Cruz da Silva, de 20 anos, teve prisão preventiva decretada pela Justiça, após ter atropelado e matado três pessoas no dia 17 de março. A estudante já foi denunciada pelo Ministério Público.

No dia 2 de abril, um pedido de relaxamento de prisão para a estudante foi negado pelo juiz José de Castro Andrade, da 3ª Vara do Júri do Fórum Clóvis Beviláqua.

O caso

Amanda Cruz estava dirigindo um carro quando perdeu o controle, subiu a calçada e matou três pedestres, incluindo uma gestante e a filha de um ano que carregava nos braços. A acidente aconteceu no bairro Cajazeiras, em Fortaleza.

Em depoimento à polícia, a motorista chegou a afirmar que bebeu na noite anterior ao acidente (16 de março), porém, o teste do bafômetro a que foi submetida deu negativo.

Atualmente, a universitária está recolhida no Presídio Feminino Desembargadora Auri Moura Costa, no município de Aquiraz, Região Metropolitana de Fortaleza.

Publicidade

Dê sua opinião

Justiça decreta prisão preventiva de universitária que atropelou três pessoas

A universitária Amanda Cruz da Silva, de 20 anos, teve prisão preventiva decretada pela Justiça, após ter atropelado e matado três pessoas no dia 17 de março. A estudante já foi denunciada pelo Ministério Público.

Por Rosana Romão, Felipe Lima e Hayanne Narlla em Polícia

20 de Abril de 2012 às 12:28

Há 6 anos

A universitária Amanda Cruz da Silva, de 20 anos, teve prisão preventiva decretada pela Justiça, após ter atropelado e matado três pessoas no dia 17 de março. A estudante já foi denunciada pelo Ministério Público.

No dia 2 de abril, um pedido de relaxamento de prisão para a estudante foi negado pelo juiz José de Castro Andrade, da 3ª Vara do Júri do Fórum Clóvis Beviláqua.

O caso

Amanda Cruz estava dirigindo um carro quando perdeu o controle, subiu a calçada e matou três pedestres, incluindo uma gestante e a filha de um ano que carregava nos braços. A acidente aconteceu no bairro Cajazeiras, em Fortaleza.

Em depoimento à polícia, a motorista chegou a afirmar que bebeu na noite anterior ao acidente (16 de março), porém, o teste do bafômetro a que foi submetida deu negativo.

Atualmente, a universitária está recolhida no Presídio Feminino Desembargadora Auri Moura Costa, no município de Aquiraz, Região Metropolitana de Fortaleza.