Conheça o “string art”, a técnica que transforma pregos e linhas em obras de arte
HABILIDADES

Conheça o “string art”, a técnica que transforma pregos e linhas em obras de arte

O método ainda engatinha e tem difusão restrita quase somente à internet, mas já conta com verdadeiras obras primas de artistas cearenses

Por Lucas Barbosa em Perfil

19 de agosto de 2017 às 06:45

Há 1 mês
No string art, inicialmente, o artista faz um desenho, que pode ser feito à mão ou com auxílio de programas de computador.

No string art, inicialmente, o artista faz um desenho, que pode ser feito à mão ou com auxílio de programas de computador (FOTO: Uli Batista/Divulgação).

As linhas em um emaranhado regido por pregos vão, pouco a pouco, revelando girassóis, paisagens, gatos… É o string art (string = fios, em inglês), uma técnica até pouco difundida, mas, que graças à internet — e a muito talento, claro — o Ceará já tem seus especialistas.

É o caso, por exemplo, da estudante de arquiteta Priscila Marinho, já conhecida pela habilidade de desenhar tipos tipográficos à mão. Ela conheceu o string art através do site Pinterest, quando pesquisava publicações sobre artesanato, e se apaixonou. Começou fazendo coisas simples, como um coração, aprendendo por meio de vídeos de outros artistas. Até que o aperfeiçoamento a levou a cactos e a bicicletas, por exemplo.

Já a arquiteta Dandara Borges conheceu o string art com uma amiga, mas foi só pela internet mesmo que se aprofundou na técnica. Ela, que até já ministrou duas oficinas básicos de string art, conta desconhecer cursos que ensinem no Estado. “Até tem surgido um pouco mais pessoas que se interessando por fazer. Mas, como é uma técnica muito trabalhosa, as pessoas acabam não se aprofundando tanto”.

Apreciar, no entanto, é bem diferente. “Tem tido um bom retorno”, garante Dandara. “O string é uma coisa diferente, que as pessoas não estavam acostumadas a ver. Chama a atenção em um primeiro momento. É uma coisa que é totalmente artesanal, as pessoas têm valorizado bastante isso”.

No string art, inicialmente, o artista faz um desenho, que pode ser feito à mão ou com auxílio de programas de computador. Tornam-se, então, moldes, definindo, assim, os locais em que serão dispostos os pregos — que costumam ser galvanizados, ou seja, não enferrujam. Só a partir daí as linhas são emaranhadas. Veja um pouco desse processo em um vídeo de Priscila Marinho:

Além de produções pessoais, as artistas costumam atender por encomenda. Odontologistas, por exemplo, já pediram dentes de string art para Priscila. “Eu sento com a pessoa, ela me passa a ideia que está pensando, se é uma presente, qual o perfil da pessoa [a que se destina a obra], etc”, conta, por sua vez, a publicitária Uli Batista.

“O que eu sempre pontuo é que coisinhas muito pequenininhas são difíceis de fazer por causa dos pregos. Há um limite do tamanho dos pregos para ter uma legibilidade, entender o que é”. Para Uli, quanto maior a obra melhor “porque você consegue brincar com os formatos, com as dimensões da linha”.

A publicitária descobriu a técnica no fim do ano passado e, para além do retorno financeiro, viu no string art uma terapia. A liberdade de criação e os “extremos” que exige fazem do string único. “Tem o trabalho de martelar que é super cansativo, duro, em que você extravasa mesmo e o processo de enlinhar que é super delicado, tem que ter bastante atenção, leva tempo”.

Uli ainda destaca que a acessibilidade da técnica, mais barata em comparação com outras formas de arte. “Para quem tá começando, pode pegar qualquer madeira que tenha em casa e testar — foi o que aconteceu comigo”, recomenda ela, que também passou a se a perfeiçoar na técnica através de dicas na internet.

Veja abaixo algumas das criações das artistas ouvidas por Tribuna do Ceará:

string-art-8
1/10

string-art-8

(FOTO: Uli Batista)

string-art-1
2/10

string-art-1

(FOTO: Priscila Marinho)

string-art-4
3/10

string-art-4

(FOTO: Dandara Borges)

string-art-2
4/10

string-art-2

(FOTO: Priscila Marinho)

string-art-7
5/10

string-art-7

(FOTO: Dandara Borges)

string-art-9
6/10

string-art-9

(FOTO: Uli Batista)

string-art-3
7/10

string-art-3

(FOTO: Priscila Marinho)

string-art-5
8/10

string-art-5

(FOTO: Dandara Borges)

string-art-uli-batista
9/10

string-art-uli-batista

(FOTO: Uli Batista)

string-art-6
10/10

string-art-6

(FOTO: Dandara Borges)

 

Saiba Mais

Confira mais do trabalho das artistas em seus perfis no Instagram:

Uli Batista

https://www.instagram.com/linhadeprosa/

Priscila Marinho

https://www.instagram.com/byprimarinho/

Dandara Borges

https://www.instagram.com/studiosabia/

Publicidade

Dê sua opinião

HABILIDADES

Conheça o “string art”, a técnica que transforma pregos e linhas em obras de arte

O método ainda engatinha e tem difusão restrita quase somente à internet, mas já conta com verdadeiras obras primas de artistas cearenses

Por Lucas Barbosa em Perfil

19 de agosto de 2017 às 06:45

Há 1 mês
No string art, inicialmente, o artista faz um desenho, que pode ser feito à mão ou com auxílio de programas de computador.

No string art, inicialmente, o artista faz um desenho, que pode ser feito à mão ou com auxílio de programas de computador (FOTO: Uli Batista/Divulgação).

As linhas em um emaranhado regido por pregos vão, pouco a pouco, revelando girassóis, paisagens, gatos… É o string art (string = fios, em inglês), uma técnica até pouco difundida, mas, que graças à internet — e a muito talento, claro — o Ceará já tem seus especialistas.

É o caso, por exemplo, da estudante de arquiteta Priscila Marinho, já conhecida pela habilidade de desenhar tipos tipográficos à mão. Ela conheceu o string art através do site Pinterest, quando pesquisava publicações sobre artesanato, e se apaixonou. Começou fazendo coisas simples, como um coração, aprendendo por meio de vídeos de outros artistas. Até que o aperfeiçoamento a levou a cactos e a bicicletas, por exemplo.

Já a arquiteta Dandara Borges conheceu o string art com uma amiga, mas foi só pela internet mesmo que se aprofundou na técnica. Ela, que até já ministrou duas oficinas básicos de string art, conta desconhecer cursos que ensinem no Estado. “Até tem surgido um pouco mais pessoas que se interessando por fazer. Mas, como é uma técnica muito trabalhosa, as pessoas acabam não se aprofundando tanto”.

Apreciar, no entanto, é bem diferente. “Tem tido um bom retorno”, garante Dandara. “O string é uma coisa diferente, que as pessoas não estavam acostumadas a ver. Chama a atenção em um primeiro momento. É uma coisa que é totalmente artesanal, as pessoas têm valorizado bastante isso”.

No string art, inicialmente, o artista faz um desenho, que pode ser feito à mão ou com auxílio de programas de computador. Tornam-se, então, moldes, definindo, assim, os locais em que serão dispostos os pregos — que costumam ser galvanizados, ou seja, não enferrujam. Só a partir daí as linhas são emaranhadas. Veja um pouco desse processo em um vídeo de Priscila Marinho:

Além de produções pessoais, as artistas costumam atender por encomenda. Odontologistas, por exemplo, já pediram dentes de string art para Priscila. “Eu sento com a pessoa, ela me passa a ideia que está pensando, se é uma presente, qual o perfil da pessoa [a que se destina a obra], etc”, conta, por sua vez, a publicitária Uli Batista.

“O que eu sempre pontuo é que coisinhas muito pequenininhas são difíceis de fazer por causa dos pregos. Há um limite do tamanho dos pregos para ter uma legibilidade, entender o que é”. Para Uli, quanto maior a obra melhor “porque você consegue brincar com os formatos, com as dimensões da linha”.

A publicitária descobriu a técnica no fim do ano passado e, para além do retorno financeiro, viu no string art uma terapia. A liberdade de criação e os “extremos” que exige fazem do string único. “Tem o trabalho de martelar que é super cansativo, duro, em que você extravasa mesmo e o processo de enlinhar que é super delicado, tem que ter bastante atenção, leva tempo”.

Uli ainda destaca que a acessibilidade da técnica, mais barata em comparação com outras formas de arte. “Para quem tá começando, pode pegar qualquer madeira que tenha em casa e testar — foi o que aconteceu comigo”, recomenda ela, que também passou a se a perfeiçoar na técnica através de dicas na internet.

Veja abaixo algumas das criações das artistas ouvidas por Tribuna do Ceará:

string-art-8
1/10

string-art-8

(FOTO: Uli Batista)

string-art-1
2/10

string-art-1

(FOTO: Priscila Marinho)

string-art-4
3/10

string-art-4

(FOTO: Dandara Borges)

string-art-2
4/10

string-art-2

(FOTO: Priscila Marinho)

string-art-7
5/10

string-art-7

(FOTO: Dandara Borges)

string-art-9
6/10

string-art-9

(FOTO: Uli Batista)

string-art-3
7/10

string-art-3

(FOTO: Priscila Marinho)

string-art-5
8/10

string-art-5

(FOTO: Dandara Borges)

string-art-uli-batista
9/10

string-art-uli-batista

(FOTO: Uli Batista)

string-art-6
10/10

string-art-6

(FOTO: Dandara Borges)

 

Saiba Mais

Confira mais do trabalho das artistas em seus perfis no Instagram:

Uli Batista

https://www.instagram.com/linhadeprosa/

Priscila Marinho

https://www.instagram.com/byprimarinho/

Dandara Borges

https://www.instagram.com/studiosabia/