Cearense participa duas vezes da maior feira de ciências escolar do mundo

FEITO HISTÓRICO

Cearense participa duas vezes da maior feira de ciências escolar do mundo

Por suas descobertas apresentadas nas feiras de 2017 e 2018, Myllena Cristyna, de Iracema, recebeu bolsas em duas universidades americanas

Por lya.cardoso em Perfil

31 de Maio de 2018 às 07:15

Há 5 meses
Myllena Cristyna em referência a Myllena Cristyna em referência a cearense participa duas vezes de uma das maiores feira de ciências do mundo

Myllena foi para Califórnia e Pensilvânia (FOTO: Arquivo pessoal)

Myllena Cristyna tem apenas 19 anos e já possui um extenso currículo em sua carreira. Natural da cidade de Iracema, no interior do estado, a jovem estudante de meio ambiente do Instituto Federal do Ceará (IFCE), do campus Limoeiro do Norte,  já participou duas vezes da maior feira de ciências do mundo, a Intel Isef (International Science and Engineering Fair).

A estudante sempre teve vontade de fazer algo que pudesse ajudar as população de alguma maneira, e com isso começou sua trajetória no mundo das ciências. Para ela, participar da feira é uma sensação inexplicável.

“Por mais que essa tenha sido minha segunda vez, acho que nunca vou conseguir explicar a sensação de estar naquele evento”, relata.

A feira realizada nos EUA conta com mais de 80 países presentes, com culturas totalmente distintas. “Por mais que tenha diferenças, todos estão ali com o mesmo objetivo, que é de compartilhar e divulgar a ciência. Estar naquele evento durante uma semana é como se você desse uma volta no mundo, adquirindo um pouco de conhecimento de cada cultura ali presente”.

Por conta de suas pesquisas e trabalhos apresentados na feira, em 2017, na Califórnia, e em 2018, na Pensilvânia, Myllena ganhou duas bolsas em universidades americanas.

A pesquisa 

Tratando de um ciclo de reutilização do poliestireno expandido, conhecido como isopor, a pesquisa propõe novas alternativas para o uso através da criação de dois materiais cristalinos. Os materiais criados por Myllena conseguem conter o derramamento de petróleo no mar e podem reduzir o tempo de degradação do isopor de 150 anos para 7 meses.

“No final eu consigo transformar os meus materiais na matéria prima do isopor, criando assim um ciclo e trazendo impacto na área ambiental e econômica”.

Myllena Cristyna em referência a cearense participa duas vezes de uma das maiores feira de ciências do mundo

A jovem pode escolher entre duas universidades americanas (FOTO: Arquivo pessoal)

A pesquisa, que fez a jovem estudante participar do evento mais de uma vez, surgiu devido a um acidente no laboratório da escola. “Eu estava trabalhando com isopor e algumas substâncias de solvente, quando decidi colocar na estufa para ver o que acontecia”.

Myllena acabou se distraindo com alguns colegas que estavam no laboratório e deixou o material mais tempo que o necessário na estufa. “Tive que tirar rapidamente o material e levar para a pia com o intuito de baixar a temperatura, foi quando eu vi que ao causar choque térmico tinha cristalizado o material”.

Myllena, que teve que ficar afastada durante 30 dias dos laboratórios devido a um pequeno incêndio provocado, aproveitou o tempo para estudar a reação que tinha acontecido durante o incidente e todas as características do isopor.

Toda a pesquisa aconteceu na escola em que ela estudava no ensino médio, em Iracema. “Lá não tinha equipamentos suficientes para desenvolver a pesquisa. Então, só no ano passado quando cheguei ao IFCE de Limoeiro do Norte, consegui colocar ela pra frente”.

A Intel Isef é a maior feira de ciências de jovens do ensino médio e técnico do mundo, ela acontece a mais de 70 anos e conta com a presença de mais de 81 países.

Publicidade

Dê sua opinião

FEITO HISTÓRICO

Cearense participa duas vezes da maior feira de ciências escolar do mundo

Por suas descobertas apresentadas nas feiras de 2017 e 2018, Myllena Cristyna, de Iracema, recebeu bolsas em duas universidades americanas

Por lya.cardoso em Perfil

31 de Maio de 2018 às 07:15

Há 5 meses
Myllena Cristyna em referência a Myllena Cristyna em referência a cearense participa duas vezes de uma das maiores feira de ciências do mundo

Myllena foi para Califórnia e Pensilvânia (FOTO: Arquivo pessoal)

Myllena Cristyna tem apenas 19 anos e já possui um extenso currículo em sua carreira. Natural da cidade de Iracema, no interior do estado, a jovem estudante de meio ambiente do Instituto Federal do Ceará (IFCE), do campus Limoeiro do Norte,  já participou duas vezes da maior feira de ciências do mundo, a Intel Isef (International Science and Engineering Fair).

A estudante sempre teve vontade de fazer algo que pudesse ajudar as população de alguma maneira, e com isso começou sua trajetória no mundo das ciências. Para ela, participar da feira é uma sensação inexplicável.

“Por mais que essa tenha sido minha segunda vez, acho que nunca vou conseguir explicar a sensação de estar naquele evento”, relata.

A feira realizada nos EUA conta com mais de 80 países presentes, com culturas totalmente distintas. “Por mais que tenha diferenças, todos estão ali com o mesmo objetivo, que é de compartilhar e divulgar a ciência. Estar naquele evento durante uma semana é como se você desse uma volta no mundo, adquirindo um pouco de conhecimento de cada cultura ali presente”.

Por conta de suas pesquisas e trabalhos apresentados na feira, em 2017, na Califórnia, e em 2018, na Pensilvânia, Myllena ganhou duas bolsas em universidades americanas.

A pesquisa 

Tratando de um ciclo de reutilização do poliestireno expandido, conhecido como isopor, a pesquisa propõe novas alternativas para o uso através da criação de dois materiais cristalinos. Os materiais criados por Myllena conseguem conter o derramamento de petróleo no mar e podem reduzir o tempo de degradação do isopor de 150 anos para 7 meses.

“No final eu consigo transformar os meus materiais na matéria prima do isopor, criando assim um ciclo e trazendo impacto na área ambiental e econômica”.

Myllena Cristyna em referência a cearense participa duas vezes de uma das maiores feira de ciências do mundo

A jovem pode escolher entre duas universidades americanas (FOTO: Arquivo pessoal)

A pesquisa, que fez a jovem estudante participar do evento mais de uma vez, surgiu devido a um acidente no laboratório da escola. “Eu estava trabalhando com isopor e algumas substâncias de solvente, quando decidi colocar na estufa para ver o que acontecia”.

Myllena acabou se distraindo com alguns colegas que estavam no laboratório e deixou o material mais tempo que o necessário na estufa. “Tive que tirar rapidamente o material e levar para a pia com o intuito de baixar a temperatura, foi quando eu vi que ao causar choque térmico tinha cristalizado o material”.

Myllena, que teve que ficar afastada durante 30 dias dos laboratórios devido a um pequeno incêndio provocado, aproveitou o tempo para estudar a reação que tinha acontecido durante o incidente e todas as características do isopor.

Toda a pesquisa aconteceu na escola em que ela estudava no ensino médio, em Iracema. “Lá não tinha equipamentos suficientes para desenvolver a pesquisa. Então, só no ano passado quando cheguei ao IFCE de Limoeiro do Norte, consegui colocar ela pra frente”.

A Intel Isef é a maior feira de ciências de jovens do ensino médio e técnico do mundo, ela acontece a mais de 70 anos e conta com a presença de mais de 81 países.