Cearense com câncer quer ajudar pessoas contando sua história para o mundo

HISTÓRIA DE VIDA

Cearense com câncer quer ajudar pessoas contando sua história para o mundo

Lucas Pacheco, que enfrenta a doença desde 2017, usa as redes sociais para mostrar a rotina de quem tem a doença

Por Crisneive Silveira em Perfil

10 de setembro de 2018 às 06:45

Há 1 mês

Lucas Pacheco tem 24 anos e conta com o apoio da família para enfrentar um câncer. (FOTO: Reprodução/Instagram)

“Eu tenho 24 anos de idade e descobri o câncer no ano passado, aos 23. E descobri através de muita dor”. É como Lucas Pacheco começa a relatar um capítulo difícil da própria história. Na voz firme, é nítida a obstinação com a qual ele encara um seminoma com metástase e linfonodomegalia retroperitoneal. Um primeiro tumor foi encontrado no testículo e, após tratamento inadequado, a doença se espalhou pelo abdômen. Mas a força dele também vem da família, da esposa e da vontade de fazer as pessoas compreenderem que “Seria uma grosseria desistir da vida”.

Fortes dores na região púbica fizeram o jovem deixar o emprego e o fizeram procurar um médico para entender a situação. Apenas anti-inflamatório e compressas foram receitados, relata o jovem. Nada resolvia. Até que o incômodo foi tanto que ele deu entrada no hospital. 15 horas depois e uma bateria de exames, o câncer foi diagnosticado.

Depois de deixar o emprego, foi a vez de deixar também a vaga na universidade por conta do tratamento. Lucas havia sido aprovado para Psicologia da UFC em 2018. Veio a cirurgia para retirada do tumor no testículo, e a biópsia que confirmaria a doença. Com isso, o início do tratamento quimioterápico no Hospital Antônio Prudente, ainda em 2017. A cada sessão, o alívio da melhora. Mas com o tempo, os medicamentos já não faziam mais efeito. E aí um tumor cresceu no abdômen.

“Eu me queixava da massa, da dor, todo mundo aqui em casa, inclusive minha noiva, via como eu estava debilitado. Ia pra médica, ela dizia que era só muscular. Ela chegou a dizer que isso era coisa da minha cabeça, e eu sabia que não era”, relatou.

A massa chegou a 32cm. Isso comprimiu estômago, intestino, nervo ciático e o rim esquerdo. A dificuldade para se alimentar o deixou com apenas 30kg. De cadeira de rodas, ouviu do novo médico que, se demorasse mais, morreria. Com a força de quem busca, mais do que nunca, a vida, ele aprendeu mais uma coisa ali: todo tempo é importante.

Lucas Pacheco

Lucas e Gabriela se casaram no último dia 30 de agosto. (FOTO: Reprodução/Instagram)

Começou um tratamento mais forte mantendo a esperança de que reagiria aos medicamentos. 11 dias internado, alimentado por sonda, na cama do hospital. Além da família, ao lado dele também está Gabriela do Santos, a namorada que virou esposa, companheira de alegrias e dificuldades.

“Minha vida estava em jogo. Se a medicação não tivesse efeito, se não tivesse ganhando peso, poderia ter acontecido algo pior. Aí minha família, que é pequena, entrou em desespero. Minha mãe e minha noiva pediram ajuda nas redes sociais para custear medicações, tratamento, acompanhantes no hospital. Tudo envolvia dinheiro. E várias pessoas começaram a me ajudar. Foi um momento muito difícil. Foram 11 dias pedindo a Deus que o melhor acontecesse pra eu não poder morrer ali”, disse emocionado.

O tratamento surtiu efeito. Ele ganhou 20kg e o tumor diminuiu. Em setembro, chegam mais 4 sessões de quimio. A próxima etapa é cuidar da massa no estômago.

“Por conta do tumor que aumentou e ela (antiga médica) não soube tratar, perdi o rim esquerdo; ele não funciona mais. Na cirurgia para retirar o tumor, o rim vai ser removido e pode ter que tirar parte do intestino. Se isso acontecer, vou tomar anticoagulante. Se meu rim direito não estiver bem, vou fazer hemodiálise, tudo por conta desse desleixo. A gente não gosta de julgar a médica, mas infelizmente foi o que aconteceu”, disse.

Sorrir é um bom remédio

Lucas Pacheco

Lucas Pacheco enfrenta o câncer e quer contar sua história para o mundo. (FOTO: Reprodução/Instagram)

“Para o câncer, eu dou meu sorriso”, diz Lucas no perfil do Instagram. A maneira de encarar as dificuldades e de dividir sua história com o mundo, veio com as redes sociais. Além de fotos, vídeos e textos no Facebook, na página Câncer aos 24, pedindo orações e mostrando a rotina de quem passa pelo tratamento difícil.

“Comecei a fazer vídeos e textos não com intuito de pedir dinheiro, mas das pessoas orarem pela minha vida, passarem pensamentos positivos, fazer com que minha experiência nisso passem para quem também enfrenta o câncer. Recebi mensagens de pessoas que também estão nessa luta, dizendo que viram meu vídeo e se animaram. Viram que não é o fim. Câncer não é o fim da vida. Quero que minha vida inspire outras pessoas. Dizer que estou de cabeça erguida, que não desisti”, contou.

Na família, apenas a mãe trabalha com carteira assinada. Ele não pede ajuda financeira, mas recebe apoio de quem colabora voluntariamente. E ele presta conta de tudo. Os gastos são com transporte, alimentação, medicações… Mas a história de vida do Lucas é para lembrar sobre o quanto seria uma grosseria desistir de lutar, sobre a importância da fé e de saber da importância de fazer cada momento uma oportunidade de ser feliz.

Contatos:
Telefone: 85992732198
WhatsApp: 987504443
E-mail: lucaspacheco348@gmail.com

Publicidade

Dê sua opinião

HISTÓRIA DE VIDA

Cearense com câncer quer ajudar pessoas contando sua história para o mundo

Lucas Pacheco, que enfrenta a doença desde 2017, usa as redes sociais para mostrar a rotina de quem tem a doença

Por Crisneive Silveira em Perfil

10 de setembro de 2018 às 06:45

Há 1 mês

Lucas Pacheco tem 24 anos e conta com o apoio da família para enfrentar um câncer. (FOTO: Reprodução/Instagram)

“Eu tenho 24 anos de idade e descobri o câncer no ano passado, aos 23. E descobri através de muita dor”. É como Lucas Pacheco começa a relatar um capítulo difícil da própria história. Na voz firme, é nítida a obstinação com a qual ele encara um seminoma com metástase e linfonodomegalia retroperitoneal. Um primeiro tumor foi encontrado no testículo e, após tratamento inadequado, a doença se espalhou pelo abdômen. Mas a força dele também vem da família, da esposa e da vontade de fazer as pessoas compreenderem que “Seria uma grosseria desistir da vida”.

Fortes dores na região púbica fizeram o jovem deixar o emprego e o fizeram procurar um médico para entender a situação. Apenas anti-inflamatório e compressas foram receitados, relata o jovem. Nada resolvia. Até que o incômodo foi tanto que ele deu entrada no hospital. 15 horas depois e uma bateria de exames, o câncer foi diagnosticado.

Depois de deixar o emprego, foi a vez de deixar também a vaga na universidade por conta do tratamento. Lucas havia sido aprovado para Psicologia da UFC em 2018. Veio a cirurgia para retirada do tumor no testículo, e a biópsia que confirmaria a doença. Com isso, o início do tratamento quimioterápico no Hospital Antônio Prudente, ainda em 2017. A cada sessão, o alívio da melhora. Mas com o tempo, os medicamentos já não faziam mais efeito. E aí um tumor cresceu no abdômen.

“Eu me queixava da massa, da dor, todo mundo aqui em casa, inclusive minha noiva, via como eu estava debilitado. Ia pra médica, ela dizia que era só muscular. Ela chegou a dizer que isso era coisa da minha cabeça, e eu sabia que não era”, relatou.

A massa chegou a 32cm. Isso comprimiu estômago, intestino, nervo ciático e o rim esquerdo. A dificuldade para se alimentar o deixou com apenas 30kg. De cadeira de rodas, ouviu do novo médico que, se demorasse mais, morreria. Com a força de quem busca, mais do que nunca, a vida, ele aprendeu mais uma coisa ali: todo tempo é importante.

Lucas Pacheco

Lucas e Gabriela se casaram no último dia 30 de agosto. (FOTO: Reprodução/Instagram)

Começou um tratamento mais forte mantendo a esperança de que reagiria aos medicamentos. 11 dias internado, alimentado por sonda, na cama do hospital. Além da família, ao lado dele também está Gabriela do Santos, a namorada que virou esposa, companheira de alegrias e dificuldades.

“Minha vida estava em jogo. Se a medicação não tivesse efeito, se não tivesse ganhando peso, poderia ter acontecido algo pior. Aí minha família, que é pequena, entrou em desespero. Minha mãe e minha noiva pediram ajuda nas redes sociais para custear medicações, tratamento, acompanhantes no hospital. Tudo envolvia dinheiro. E várias pessoas começaram a me ajudar. Foi um momento muito difícil. Foram 11 dias pedindo a Deus que o melhor acontecesse pra eu não poder morrer ali”, disse emocionado.

O tratamento surtiu efeito. Ele ganhou 20kg e o tumor diminuiu. Em setembro, chegam mais 4 sessões de quimio. A próxima etapa é cuidar da massa no estômago.

“Por conta do tumor que aumentou e ela (antiga médica) não soube tratar, perdi o rim esquerdo; ele não funciona mais. Na cirurgia para retirar o tumor, o rim vai ser removido e pode ter que tirar parte do intestino. Se isso acontecer, vou tomar anticoagulante. Se meu rim direito não estiver bem, vou fazer hemodiálise, tudo por conta desse desleixo. A gente não gosta de julgar a médica, mas infelizmente foi o que aconteceu”, disse.

Sorrir é um bom remédio

Lucas Pacheco

Lucas Pacheco enfrenta o câncer e quer contar sua história para o mundo. (FOTO: Reprodução/Instagram)

“Para o câncer, eu dou meu sorriso”, diz Lucas no perfil do Instagram. A maneira de encarar as dificuldades e de dividir sua história com o mundo, veio com as redes sociais. Além de fotos, vídeos e textos no Facebook, na página Câncer aos 24, pedindo orações e mostrando a rotina de quem passa pelo tratamento difícil.

“Comecei a fazer vídeos e textos não com intuito de pedir dinheiro, mas das pessoas orarem pela minha vida, passarem pensamentos positivos, fazer com que minha experiência nisso passem para quem também enfrenta o câncer. Recebi mensagens de pessoas que também estão nessa luta, dizendo que viram meu vídeo e se animaram. Viram que não é o fim. Câncer não é o fim da vida. Quero que minha vida inspire outras pessoas. Dizer que estou de cabeça erguida, que não desisti”, contou.

Na família, apenas a mãe trabalha com carteira assinada. Ele não pede ajuda financeira, mas recebe apoio de quem colabora voluntariamente. E ele presta conta de tudo. Os gastos são com transporte, alimentação, medicações… Mas a história de vida do Lucas é para lembrar sobre o quanto seria uma grosseria desistir de lutar, sobre a importância da fé e de saber da importância de fazer cada momento uma oportunidade de ser feliz.

Contatos:
Telefone: 85992732198
WhatsApp: 987504443
E-mail: lucaspacheco348@gmail.com