Cearense cega se torna cordelista, com direito a prêmios por suas poesias

EXEMPLO DE PERSEVERANÇA

Cearense cega se torna cordelista, com direito a prêmios por suas poesias

Maria de Lurdes aprendeu a fazer poesias em cordel depois de ficar cega

Por Tribuna Bandnews FM em Perfil

7 de setembro de 2018 às 07:00

Há 1 mês
Maria de Lurdes já recebeu medalha da Academia Cearense de Letras (FOTO: Reprodução TV Jangadeiro/SBT)

Maria de Lurdes já recebeu medalha da Academia Cearense de Letras (FOTO: Reprodução TV Jangadeiro/SBT)

A literatura de cordel é uma manifestação cultural do Nordeste. É preciso muita habilidade para desenvolver essa arte. Mas a cearense Maria de Lurdes necessitou fazer um esforço a mais pra conseguir se tornar uma cordelista. Afinal, ela é deficiente visual.

“Minha deficiência começou quando eu nasci. Descobri aos 12 anos, quando fui para a escola, e lá os professores indicaram para a minha mãe que me levasse a um médico. Ele então disse que eu tinha uma miopia, e que ela ficaria com um grau mais forte com o tempo”, conta.

Lurdes não conseguiu terminar os estudos. Casou, teve 4 filhos e depois se divorciou. Foi quando conheceu o atual marido, o cordelista Bandeira, e aí reencontrou o amor pelo cordel.

“Meu pai era amante do cordel, principalmente a viola. Como ele não sabia ler, eu lia para ele enquanto ainda tinha visão. Quando conheci o Bandeira, ele me ensinou a fazer cordel, e aí a paixão voltou”, relata.

A cordelista já ganhou prêmios e comendas, como o Concurso de poesia do Instituto dos Cegos e a Medalha da Academia Cearense de Letras, além da participação no concurso de poesia do 9º salão de Genebra.

Confira a matéria de Italo Alcântara, da Rádio Tribuna Band News FM.

Publicidade

Dê sua opinião

EXEMPLO DE PERSEVERANÇA

Cearense cega se torna cordelista, com direito a prêmios por suas poesias

Maria de Lurdes aprendeu a fazer poesias em cordel depois de ficar cega

Por Tribuna Bandnews FM em Perfil

7 de setembro de 2018 às 07:00

Há 1 mês
Maria de Lurdes já recebeu medalha da Academia Cearense de Letras (FOTO: Reprodução TV Jangadeiro/SBT)

Maria de Lurdes já recebeu medalha da Academia Cearense de Letras (FOTO: Reprodução TV Jangadeiro/SBT)

A literatura de cordel é uma manifestação cultural do Nordeste. É preciso muita habilidade para desenvolver essa arte. Mas a cearense Maria de Lurdes necessitou fazer um esforço a mais pra conseguir se tornar uma cordelista. Afinal, ela é deficiente visual.

“Minha deficiência começou quando eu nasci. Descobri aos 12 anos, quando fui para a escola, e lá os professores indicaram para a minha mãe que me levasse a um médico. Ele então disse que eu tinha uma miopia, e que ela ficaria com um grau mais forte com o tempo”, conta.

Lurdes não conseguiu terminar os estudos. Casou, teve 4 filhos e depois se divorciou. Foi quando conheceu o atual marido, o cordelista Bandeira, e aí reencontrou o amor pelo cordel.

“Meu pai era amante do cordel, principalmente a viola. Como ele não sabia ler, eu lia para ele enquanto ainda tinha visão. Quando conheci o Bandeira, ele me ensinou a fazer cordel, e aí a paixão voltou”, relata.

A cordelista já ganhou prêmios e comendas, como o Concurso de poesia do Instituto dos Cegos e a Medalha da Academia Cearense de Letras, além da participação no concurso de poesia do 9º salão de Genebra.

Confira a matéria de Italo Alcântara, da Rádio Tribuna Band News FM.