Amantes do vinil de Fortaleza revelam suas coleções de discos e vitrolas
PAIXÃO ANTIGA

Amantes do vinil de Fortaleza revelam suas coleções de discos e vitrolas

Nas lojas, os discos mais comuns são vendidos entre R$ 10 e R$ 30. Já os mais raros custam mais de R$ 300 cada um

Por Tribuna Bandnews FM em Perfil

18 de setembro de 2016 às 07:00

Há 9 meses
Eventos e lojas são impulsionados pelo retorno da moda. (FOTO: Flickr/ Creative Commons/ Patricia Oliveira)

Eventos e lojas são impulsionados pelo retorno da moda. (FOTO: Flickr/ Creative Commons/ Patricia Oliveira)

Os discos de vinil deixaram de ser considerados velharia, e passaram a ser os queridinhos dos colecionadores, entrando novamente na moda. O estudante de Jornalismo Karlos Aires tem uma coleção com quase 70 álbuns. Ele define o som do vinil como a forma mais próxima da música ao vivo.

Pelo nome, já dá pra sentir a paixão do comerciante Mário Vinil. Ele garante que o termo “antigo” fica somente na forma. Participa de compra e venda em vários espaços e garante que tem muitos jovens aderindo ao vinil.

O técnico de manutenção de energia eólica Silvio César coleciona discos e o aparelho que sonoriza o vinil. Em casa, ele tem pelo menos mil exemplares e 30 vitrolas. A maioria ele mesmo que garimpou e consertou.

Nas lojas, os discos mais comuns são vendidos entre R$ 10 e R$ 30. Já os mais raros, como por exemplo os álbuns dos anos 60 e 70, custam mais de R$ 300 cada um.

Confira o áudio da reportagem pela Tribuna Bandnews FM:

Publicidade

Dê sua opinião

PAIXÃO ANTIGA

Amantes do vinil de Fortaleza revelam suas coleções de discos e vitrolas

Nas lojas, os discos mais comuns são vendidos entre R$ 10 e R$ 30. Já os mais raros custam mais de R$ 300 cada um

Por Tribuna Bandnews FM em Perfil

18 de setembro de 2016 às 07:00

Há 9 meses
Eventos e lojas são impulsionados pelo retorno da moda. (FOTO: Flickr/ Creative Commons/ Patricia Oliveira)

Eventos e lojas são impulsionados pelo retorno da moda. (FOTO: Flickr/ Creative Commons/ Patricia Oliveira)

Os discos de vinil deixaram de ser considerados velharia, e passaram a ser os queridinhos dos colecionadores, entrando novamente na moda. O estudante de Jornalismo Karlos Aires tem uma coleção com quase 70 álbuns. Ele define o som do vinil como a forma mais próxima da música ao vivo.

Pelo nome, já dá pra sentir a paixão do comerciante Mário Vinil. Ele garante que o termo “antigo” fica somente na forma. Participa de compra e venda em vários espaços e garante que tem muitos jovens aderindo ao vinil.

O técnico de manutenção de energia eólica Silvio César coleciona discos e o aparelho que sonoriza o vinil. Em casa, ele tem pelo menos mil exemplares e 30 vitrolas. A maioria ele mesmo que garimpou e consertou.

Nas lojas, os discos mais comuns são vendidos entre R$ 10 e R$ 30. Já os mais raros, como por exemplo os álbuns dos anos 60 e 70, custam mais de R$ 300 cada um.

Confira o áudio da reportagem pela Tribuna Bandnews FM: