Uber nega que motoristas desliguem equipamento para alterar "preço dinâmico"
POLÊMICA

Uber nega que motoristas desliguem equipamento para alterar “preço dinâmico”

A Uber garante que seus parceiros não estão burlando os preços das corridas mediante a redução forçada da oferta

Por Matheus Ribeiro em Mobilidade Urbana

11 de janeiro de 2017 às 07:00

Há 9 meses
aplicativo-uber-twtitter

Em São Paulo, a Uber já foi legalizada pela prefeitura. (Foto: Fernanda Carvalho/ Fotos Públicas)

A suspeita de que motoristas do aplicativo de corridas pagas Uber estariam desligando os seus aplicativos para que a média de corridas ficasse mais alta, a partir de uma menor oferta de veículos nas ruas, não passa de boato. É o que garante a empresa, que passou a atuar em Fortaleza em abril do ano passado.

Após uma série de reclamações de usuários nas redes sociais devido ao alto valor pago em corridas que antes eram mais baratas, a Uber garante que seus parceiros não estão se utilizando de jeitinhos para burlar os preços.

Assim como em diversas cidades do Brasil, em Fortaleza a reclamação dos preços elevados também tem sido frequente nas últimas semanas. Usuários do aplicativo relataram ao Tribuna do Ceará que, num trecho realizado por R$ 15, estavam sendo feitos por quase R$ 90 em determinados períodos do dia. Dessa forma, o serviço que veio com a proposta de ser mais em conta que os meios tradicionais na verdade estaria saindo mais caro.

Entre as explicações, a suspeita de que os próprios motoristas do aplicativo estariam burlando a tarifa do “preço dinâmico”, através de uma redução forçada de veículos nas ruas. No entanto, de acordo com a empresa, o algoritmo do serviço não permite que esse tipo de ação seja cometida.

Conforme a assessoria de comunicação da Uber, a partir do momento em que os aplicativos dos motoristas se apresentam com status disponível, o preço é alterado automaticamente.

A Uber ressalta que sempre procura informar os usuários sobre os preços de suas viagens com antecedência. Acerca do eventual não cumprimento do valor estimado no início da corrida, a empresa garante que o preço final só se diferencia da estimativa quando o usuário “faz paradas adicionais durante o trajeto ou altera o endereço de destino”. 

“Estamos sempre buscando maneiras de melhorar a experiência das pessoas com a Uber. Sempre procuramos informar os usuários sobre os preços de suas viagens com antecedência, inclusive quando o preço dinâmico está vigente. O preço dinâmico é aplicado quando a demanda por viagens aumenta, para incentivar que mais motoristas se conectem ao aplicativo e assim os usuários tenham um carro sempre que precisar. Quando a oferta sobe, os preços rapidamente voltam ao normal”, explica a empresa.

Uma das hipóteses estipuladas pela Uber para a alta do preço do serviço nos últimos meses em todo o país é a alta estação em Fortaleza. Com um maior número de turistas na capital cearense, a demanda de passageiros tende a aumentar e, consequentemente, ficar mais cara já que o número de motoristas não acompanha a alta demanda, o que afeta diretamente no “preço dinâmico” do aplicativo. Apesar disso ser uma das possibilidades estipuladas pela empresa, esse não é uma versão na qual a Uber confirma.

Insatisfação

De acordo com as estatísticas do site “Reclame Aqui”, a Uber mantinha uma reputação “boa” em 2016, mas viu seu conceito cair para “regular”. Para Manuella Lopes, usuária frequente do serviço em Fortaleza, a mudança dos valores fez com que ela buscasse outras alternativas de locomoção.

“Normalmente vou para os mesmos lugares, então sei mais ou menos o preço que a corrida vai dar com a tarifa normal. Mas tem dias que tanto faz eu ir de Uber ou de táxi. Já teve situações de o trajeto de táxi ser mais barato que o de Uber”, indica.

Segundo Manuella, o trajeto de sua casa, situada no Bairro Parquelândia, para o trabalho, localizado no Bairro Luciano Cavalcante, saía entre 18 e 24 reais. Hoje, com a mudança do serviço, o valor pré-definido é de R$ 23, podendo aumentar caso não tenha muitos motoristas disponíveis.

Multa

Fiscalização da prefeitura deve ficar mais intensa (FOTO: Queiroz Netto)

O prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio (PDT), sancionou a lei que determina o aumento de multa de R$ 761,80 para R$ 1.400 para quem pratica transporte remunerado de passageiros em carros particulares dentro do município. A medida, publicada no Diário Oficial do Município no último dia 30 de dezembro de 2016, afeta diretamente os motoristas da Uber.

Conforme a nova legislação, o motorista que for pegue mais de uma vez cometendo esta infração no período de 12 meses estará passível de multa quatro vezes maior que o da penalidade inicial.

Em nota, a Uber alegou que a aplicação dos seu serviço no Brasil tem respaldo na legislação Federal e na Constituição Federal. “Essa nova legislação não se aplica à atividade dos motoristas parceiros intermediados pela Uber. Reforçamos que nossos parceiros precisam ter os seus direitos constitucionais de trabalhar (exercício da livre iniciativa e liberdade do exercício profissional) preservados. A Uber continuará operando normalmente em Fortaleza”, afirmou.

Publicidade

Dê sua opinião

POLÊMICA

Uber nega que motoristas desliguem equipamento para alterar “preço dinâmico”

A Uber garante que seus parceiros não estão burlando os preços das corridas mediante a redução forçada da oferta

Por Matheus Ribeiro em Mobilidade Urbana

11 de janeiro de 2017 às 07:00

Há 9 meses
aplicativo-uber-twtitter

Em São Paulo, a Uber já foi legalizada pela prefeitura. (Foto: Fernanda Carvalho/ Fotos Públicas)

A suspeita de que motoristas do aplicativo de corridas pagas Uber estariam desligando os seus aplicativos para que a média de corridas ficasse mais alta, a partir de uma menor oferta de veículos nas ruas, não passa de boato. É o que garante a empresa, que passou a atuar em Fortaleza em abril do ano passado.

Após uma série de reclamações de usuários nas redes sociais devido ao alto valor pago em corridas que antes eram mais baratas, a Uber garante que seus parceiros não estão se utilizando de jeitinhos para burlar os preços.

Assim como em diversas cidades do Brasil, em Fortaleza a reclamação dos preços elevados também tem sido frequente nas últimas semanas. Usuários do aplicativo relataram ao Tribuna do Ceará que, num trecho realizado por R$ 15, estavam sendo feitos por quase R$ 90 em determinados períodos do dia. Dessa forma, o serviço que veio com a proposta de ser mais em conta que os meios tradicionais na verdade estaria saindo mais caro.

Entre as explicações, a suspeita de que os próprios motoristas do aplicativo estariam burlando a tarifa do “preço dinâmico”, através de uma redução forçada de veículos nas ruas. No entanto, de acordo com a empresa, o algoritmo do serviço não permite que esse tipo de ação seja cometida.

Conforme a assessoria de comunicação da Uber, a partir do momento em que os aplicativos dos motoristas se apresentam com status disponível, o preço é alterado automaticamente.

A Uber ressalta que sempre procura informar os usuários sobre os preços de suas viagens com antecedência. Acerca do eventual não cumprimento do valor estimado no início da corrida, a empresa garante que o preço final só se diferencia da estimativa quando o usuário “faz paradas adicionais durante o trajeto ou altera o endereço de destino”. 

“Estamos sempre buscando maneiras de melhorar a experiência das pessoas com a Uber. Sempre procuramos informar os usuários sobre os preços de suas viagens com antecedência, inclusive quando o preço dinâmico está vigente. O preço dinâmico é aplicado quando a demanda por viagens aumenta, para incentivar que mais motoristas se conectem ao aplicativo e assim os usuários tenham um carro sempre que precisar. Quando a oferta sobe, os preços rapidamente voltam ao normal”, explica a empresa.

Uma das hipóteses estipuladas pela Uber para a alta do preço do serviço nos últimos meses em todo o país é a alta estação em Fortaleza. Com um maior número de turistas na capital cearense, a demanda de passageiros tende a aumentar e, consequentemente, ficar mais cara já que o número de motoristas não acompanha a alta demanda, o que afeta diretamente no “preço dinâmico” do aplicativo. Apesar disso ser uma das possibilidades estipuladas pela empresa, esse não é uma versão na qual a Uber confirma.

Insatisfação

De acordo com as estatísticas do site “Reclame Aqui”, a Uber mantinha uma reputação “boa” em 2016, mas viu seu conceito cair para “regular”. Para Manuella Lopes, usuária frequente do serviço em Fortaleza, a mudança dos valores fez com que ela buscasse outras alternativas de locomoção.

“Normalmente vou para os mesmos lugares, então sei mais ou menos o preço que a corrida vai dar com a tarifa normal. Mas tem dias que tanto faz eu ir de Uber ou de táxi. Já teve situações de o trajeto de táxi ser mais barato que o de Uber”, indica.

Segundo Manuella, o trajeto de sua casa, situada no Bairro Parquelândia, para o trabalho, localizado no Bairro Luciano Cavalcante, saía entre 18 e 24 reais. Hoje, com a mudança do serviço, o valor pré-definido é de R$ 23, podendo aumentar caso não tenha muitos motoristas disponíveis.

Multa

Fiscalização da prefeitura deve ficar mais intensa (FOTO: Queiroz Netto)

O prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio (PDT), sancionou a lei que determina o aumento de multa de R$ 761,80 para R$ 1.400 para quem pratica transporte remunerado de passageiros em carros particulares dentro do município. A medida, publicada no Diário Oficial do Município no último dia 30 de dezembro de 2016, afeta diretamente os motoristas da Uber.

Conforme a nova legislação, o motorista que for pegue mais de uma vez cometendo esta infração no período de 12 meses estará passível de multa quatro vezes maior que o da penalidade inicial.

Em nota, a Uber alegou que a aplicação dos seu serviço no Brasil tem respaldo na legislação Federal e na Constituição Federal. “Essa nova legislação não se aplica à atividade dos motoristas parceiros intermediados pela Uber. Reforçamos que nossos parceiros precisam ter os seus direitos constitucionais de trabalhar (exercício da livre iniciativa e liberdade do exercício profissional) preservados. A Uber continuará operando normalmente em Fortaleza”, afirmou.