Taxistas mudam discurso e agora querem a liberação do Uber em Fortaleza
QUEBRA DE BRAÇO

Taxistas mudam discurso e agora querem a liberação do Uber em Fortaleza

O Sinditáxi, porém, faz exigências que equiparariam os motoristas do Uber às condições dos taxistas

Por Tribuna do Ceará em Mobilidade Urbana

30 de agosto de 2017 às 11:50

Há 3 semanas

Um projeto de lei está em trâmite no Senado para regulamentar os serviços de transporte privado de passageiros (FOTO: Divulgação)

Após a liberação das atividades dos motoristas da Uber pela Justiça, os taxistas de Fortaleza mudaram de ideia e agora querem a regulamentação do serviço de transporte privado de passageiros. De acordo com o presidente do Sindicato dos Taxistas do Ceará (Sinditáxi-CE), Vicente de Paula, os serviços do app devem ser submetidos a regras assim como os taxistas credenciados.

Para ele, a medida é uma forma da concorrente estrangeira atuar com as mesmas condições financeiras. “Nós mudamos de opinião. Queremos a regulamentação do serviço”, destaca Vicente.

A empresa está em atuação em Fortaleza há um ano e quatro meses, e durante o período o Sinditáxi esteve sempre à frente de protestos contra o aplicativo, convencendo a Prefeitura de Fortaleza a coibir a atuação.

O Projeto de Lei 28/2017 está em trâmite no Senado e estabelece regras para a atuação de serviços de transporte privado de passageiros por meio de plataformas digitais. Dentre as exigências estabelecidas na PL, estão a permissão específica do poder público municipal para a realização do serviço e a emissão do Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLV) no Município com o registro e emplacamento do veículo na categoria aluguel (placas de cor vermelha).

Outra proposta de regulamentação está sendo discutida na Câmara dos Vereadores para regulamentar o serviço da empresa em Fortaleza. A medida é de autoria do vereador Guilherme Sampaio (PT), que acredita que a proposta só trará benefícios.

“Oferecer uma oferta ampla e melhor para a população. Garantir a segurança do usuário, pois o motorista tem todas as informações”, listou Guilherme em janeiro, ao Tribuna do Ceará.

Sobre a permissão da Justiça dos serviços da Uber na capital cearense, Vicente ressalta que os taxistas credenciados não são contra o aplicativo, mas contra as condições em que os motoristas atuam. Por esse motivo, desejam que os serviços sejam submetidos a regras estabelecidas pela Prefeitura.

“Queremos regras para que os motoristas sejam fiscalizados como os taxistas são”, conclui Vicente.

Publicidade

Dê sua opinião

QUEBRA DE BRAÇO

Taxistas mudam discurso e agora querem a liberação do Uber em Fortaleza

O Sinditáxi, porém, faz exigências que equiparariam os motoristas do Uber às condições dos taxistas

Por Tribuna do Ceará em Mobilidade Urbana

30 de agosto de 2017 às 11:50

Há 3 semanas

Um projeto de lei está em trâmite no Senado para regulamentar os serviços de transporte privado de passageiros (FOTO: Divulgação)

Após a liberação das atividades dos motoristas da Uber pela Justiça, os taxistas de Fortaleza mudaram de ideia e agora querem a regulamentação do serviço de transporte privado de passageiros. De acordo com o presidente do Sindicato dos Taxistas do Ceará (Sinditáxi-CE), Vicente de Paula, os serviços do app devem ser submetidos a regras assim como os taxistas credenciados.

Para ele, a medida é uma forma da concorrente estrangeira atuar com as mesmas condições financeiras. “Nós mudamos de opinião. Queremos a regulamentação do serviço”, destaca Vicente.

A empresa está em atuação em Fortaleza há um ano e quatro meses, e durante o período o Sinditáxi esteve sempre à frente de protestos contra o aplicativo, convencendo a Prefeitura de Fortaleza a coibir a atuação.

O Projeto de Lei 28/2017 está em trâmite no Senado e estabelece regras para a atuação de serviços de transporte privado de passageiros por meio de plataformas digitais. Dentre as exigências estabelecidas na PL, estão a permissão específica do poder público municipal para a realização do serviço e a emissão do Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLV) no Município com o registro e emplacamento do veículo na categoria aluguel (placas de cor vermelha).

Outra proposta de regulamentação está sendo discutida na Câmara dos Vereadores para regulamentar o serviço da empresa em Fortaleza. A medida é de autoria do vereador Guilherme Sampaio (PT), que acredita que a proposta só trará benefícios.

“Oferecer uma oferta ampla e melhor para a população. Garantir a segurança do usuário, pois o motorista tem todas as informações”, listou Guilherme em janeiro, ao Tribuna do Ceará.

Sobre a permissão da Justiça dos serviços da Uber na capital cearense, Vicente ressalta que os taxistas credenciados não são contra o aplicativo, mas contra as condições em que os motoristas atuam. Por esse motivo, desejam que os serviços sejam submetidos a regras estabelecidas pela Prefeitura.

“Queremos regras para que os motoristas sejam fiscalizados como os taxistas são”, conclui Vicente.