Prefeitura inicia estudos para aumentar frota de táxis em Fortaleza
TRANSPORTE

Prefeitura inicia estudos para aumentar frota de táxis em Fortaleza

Além da possibilidade de equipar os táxis com GPS, também está sendo estudada a viabilidade de incluir táxis elétricos na cidade

Por Matheus Ribeiro em Mobilidade Urbana

19 de janeiro de 2017 às 15:07

Há 2 meses
Resultado do estudo deve sair no próximo mês de maio (FOTO: Divulgação)

Resultado do estudo deve sair no próximo mês de maio (FOTO: Divulgação)

A prefeitura de Fortaleza anunciou, nesta quinta-feira (19), que deve iniciar dois estudos para modernizar o transporte público da capital cearense.

O novo pacote de medidas e ações consiste em um plano de requalificação e modernização da frota de táxi e um inédito estudo para determinar a origem e destino dos fortalezenses que utilizam os ônibus urbanos da cidade.

Conforme a Secretaria de Conservação e Serviços Públicos (SCSP), o primeiro estudo diz respeito à frota de táxis. A ideia da prefeitura é verificar se programas em vigor em outras cidades do mundo podem se aplicados em Fortaleza.

Entre as análises, será realizado um estudo de viabilidade para equipar os táxis com GPS, melhorando a segurança e o planejamento das rotas. Também será estudada a possibilidade de incluir táxis elétricos em Fortaleza. “Mais de 62% da poluição da cidade vem dos veículos. Ter um veículo zero poluente, sem poluição sonora, é muito interessante para a cidade. Vamos analisar o custo-benefício dos projetos que existem no Rio de Janeiro e São Paulo”, disse o secretário-executivo de Conservação e Serviços Públicos, Luiz Alberto Saboia.

“Preencheremos, neste edital, áreas sinalizadas, iluminadas, para ser estacionamento dos táxis da cidade de Fortaleza, e incluiremos também, muito possivelmente, alguns táxis elétricos”, acrescentou o prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio, em entrevista coletiva. 

Frota de ônibus

Outro levantamento vai tratar da frota de ônibus de Fortaleza. A origem e o destino dos usuários serão estudadas para que seja feito um redesenho de linhas, rotas e horários dos coletivos. O último estudo sobre isso foi realizado em 1996. A previsão é que o estudo fique pronto e comece a ser posto em prática em até dois anos.

“A pesquisa avaliará os principais motivos fluviais da população. A partir desses dados coletados, vamos entrar no modelo de simulação de transporte, que tem vários modelos, para exatamente você dimensionar a oferta tanto de ônibus como de táxi, de mototáxi, metrô, exatamente calibrando essa rede e reestruturando todo o sistema”, afirma o presidente interino da Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor), Antônio Ferreira.

Atualmente, a capital conta com 4.896 vagas de táxis, aproximadamente um para cada 500 habitantes. A média brasileira é de um veiculo para cada 350 pessoas. Também será verificado se é possível modernizar a frota, com instalação de GPS nos veículos e compra de táxis elétricos. Conforme a prefeitura, o resultado do estudo deve sair no próximo mês de maio.

O custo, de cerca de US$ 5 milhões, será financiado pelo BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento). Audiências públicas territoriais serão feitas ao longo dos trabalhos para conhecer melhor a demanda da população.

Veja os detalhes no vídeo, da matéria do Jornal jangadeiro,  da TV Jangadeiro/SBT:

Veja outros vídeos do Jornal Jangadeiro.

Publicidade

Dê sua opinião

TRANSPORTE

Prefeitura inicia estudos para aumentar frota de táxis em Fortaleza

Além da possibilidade de equipar os táxis com GPS, também está sendo estudada a viabilidade de incluir táxis elétricos na cidade

Por Matheus Ribeiro em Mobilidade Urbana

19 de janeiro de 2017 às 15:07

Há 2 meses
Resultado do estudo deve sair no próximo mês de maio (FOTO: Divulgação)

Resultado do estudo deve sair no próximo mês de maio (FOTO: Divulgação)

A prefeitura de Fortaleza anunciou, nesta quinta-feira (19), que deve iniciar dois estudos para modernizar o transporte público da capital cearense.

O novo pacote de medidas e ações consiste em um plano de requalificação e modernização da frota de táxi e um inédito estudo para determinar a origem e destino dos fortalezenses que utilizam os ônibus urbanos da cidade.

Conforme a Secretaria de Conservação e Serviços Públicos (SCSP), o primeiro estudo diz respeito à frota de táxis. A ideia da prefeitura é verificar se programas em vigor em outras cidades do mundo podem se aplicados em Fortaleza.

Entre as análises, será realizado um estudo de viabilidade para equipar os táxis com GPS, melhorando a segurança e o planejamento das rotas. Também será estudada a possibilidade de incluir táxis elétricos em Fortaleza. “Mais de 62% da poluição da cidade vem dos veículos. Ter um veículo zero poluente, sem poluição sonora, é muito interessante para a cidade. Vamos analisar o custo-benefício dos projetos que existem no Rio de Janeiro e São Paulo”, disse o secretário-executivo de Conservação e Serviços Públicos, Luiz Alberto Saboia.

“Preencheremos, neste edital, áreas sinalizadas, iluminadas, para ser estacionamento dos táxis da cidade de Fortaleza, e incluiremos também, muito possivelmente, alguns táxis elétricos”, acrescentou o prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio, em entrevista coletiva. 

Frota de ônibus

Outro levantamento vai tratar da frota de ônibus de Fortaleza. A origem e o destino dos usuários serão estudadas para que seja feito um redesenho de linhas, rotas e horários dos coletivos. O último estudo sobre isso foi realizado em 1996. A previsão é que o estudo fique pronto e comece a ser posto em prática em até dois anos.

“A pesquisa avaliará os principais motivos fluviais da população. A partir desses dados coletados, vamos entrar no modelo de simulação de transporte, que tem vários modelos, para exatamente você dimensionar a oferta tanto de ônibus como de táxi, de mototáxi, metrô, exatamente calibrando essa rede e reestruturando todo o sistema”, afirma o presidente interino da Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor), Antônio Ferreira.

Atualmente, a capital conta com 4.896 vagas de táxis, aproximadamente um para cada 500 habitantes. A média brasileira é de um veiculo para cada 350 pessoas. Também será verificado se é possível modernizar a frota, com instalação de GPS nos veículos e compra de táxis elétricos. Conforme a prefeitura, o resultado do estudo deve sair no próximo mês de maio.

O custo, de cerca de US$ 5 milhões, será financiado pelo BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento). Audiências públicas territoriais serão feitas ao longo dos trabalhos para conhecer melhor a demanda da população.

Veja os detalhes no vídeo, da matéria do Jornal jangadeiro,  da TV Jangadeiro/SBT:

Veja outros vídeos do Jornal Jangadeiro.