Motorista da Uber faz campanha para que colegas acionem a polícia em caso de assédio de taxistas
CONFLITO NAS RUAS

Motorista da Uber faz campanha para que colegas acionem a polícia em caso de assédio de taxistas

Vídeo foi gravado após o caso da motorista da Uber ameaçada no Hospital Antônio Prudente, que foi parar no 34º DP

Por Rosana Romão em Mobilidade Urbana

20 de novembro de 2016 às 07:00

Há 2 meses
Motoristas declara que não vai mais tolerar ameaças. (FOTO: reprodução)

Motoristas declara que não vai mais tolerar ameaças. (FOTO: reprodução)

Os conflitos entre taxistas e motoristas da Uber parecem não ter fim. Na noite desta quinta-feira (17), a motorista Juliana de Oliveira foi até o 34º Distrito Policial para registrar uma queixa de que teria sido ameaçada por taxistas em frente ao Hospital Antônio Prudente. Em solidariedade, um motorista da Uber gravou um vídeo pedindo a união da categoria contra casos como este.

“Eu estou aqui em nome de todos os motoristas da Uber que estão aqui em frente ao 34º DP. Hoje uma motorista da categoria Uber foi ameaçada e coagida por taxistas em frente ao [Hospital] Antônio Prudente. E a polícia, quando chegou lá, os taxistas simplesmente fugiram. Eu repito, nós não vamos tolerar ameaças”, afirma o motorista, sem se identificar.

De acordo com o motorista, qualquer tipo de ameaça deverá ser resolvido na delegacia. “Não é justo e não é certo nós recebamos ameaças. A menina passou mal hoje por causa de cinco taxistas que foram fazer pressão nela. Nós não vamos aceitar isso. A categoria está unida e não vai aceitar nenhum tipo de ameaça”, ressalta.

Veja o vídeo:

Motorista da Uber registra BO por ameaça de taxistas 

Um Boletim de Ocorrência (B.O.) foi registrado no 34º Distrito Policial, no Centro de Fortaleza, por uma motorista da Uber.

Juliana Marta de Oliveira afirma ter sido ameaçada e constrangida por taxistas em frente ao Hospital Antônio Prudente, na Avenida Aguanambi, na noite desta quinta-feira (17). Ela também relata ter sido cercada por veículos de taxistas e ligou para a Polícia para pedir ajuda.

A polícia orientou que ela registrasse um BO com a queixa e a motorista se deslocou até o 34º Distrito Policial. Com medo das ameaças, ligou para os colegas motoristas da Uber para a acompanharem. Taxistas também se deslocaram até a delegacia para acompanhar o caso e defender os colegas.

Publicidade

Dê sua opinião

CONFLITO NAS RUAS

Motorista da Uber faz campanha para que colegas acionem a polícia em caso de assédio de taxistas

Vídeo foi gravado após o caso da motorista da Uber ameaçada no Hospital Antônio Prudente, que foi parar no 34º DP

Por Rosana Romão em Mobilidade Urbana

20 de novembro de 2016 às 07:00

Há 2 meses
Motoristas declara que não vai mais tolerar ameaças. (FOTO: reprodução)

Motoristas declara que não vai mais tolerar ameaças. (FOTO: reprodução)

Os conflitos entre taxistas e motoristas da Uber parecem não ter fim. Na noite desta quinta-feira (17), a motorista Juliana de Oliveira foi até o 34º Distrito Policial para registrar uma queixa de que teria sido ameaçada por taxistas em frente ao Hospital Antônio Prudente. Em solidariedade, um motorista da Uber gravou um vídeo pedindo a união da categoria contra casos como este.

“Eu estou aqui em nome de todos os motoristas da Uber que estão aqui em frente ao 34º DP. Hoje uma motorista da categoria Uber foi ameaçada e coagida por taxistas em frente ao [Hospital] Antônio Prudente. E a polícia, quando chegou lá, os taxistas simplesmente fugiram. Eu repito, nós não vamos tolerar ameaças”, afirma o motorista, sem se identificar.

De acordo com o motorista, qualquer tipo de ameaça deverá ser resolvido na delegacia. “Não é justo e não é certo nós recebamos ameaças. A menina passou mal hoje por causa de cinco taxistas que foram fazer pressão nela. Nós não vamos aceitar isso. A categoria está unida e não vai aceitar nenhum tipo de ameaça”, ressalta.

Veja o vídeo:

Motorista da Uber registra BO por ameaça de taxistas 

Um Boletim de Ocorrência (B.O.) foi registrado no 34º Distrito Policial, no Centro de Fortaleza, por uma motorista da Uber.

Juliana Marta de Oliveira afirma ter sido ameaçada e constrangida por taxistas em frente ao Hospital Antônio Prudente, na Avenida Aguanambi, na noite desta quinta-feira (17). Ela também relata ter sido cercada por veículos de taxistas e ligou para a Polícia para pedir ajuda.

A polícia orientou que ela registrasse um BO com a queixa e a motorista se deslocou até o 34º Distrito Policial. Com medo das ameaças, ligou para os colegas motoristas da Uber para a acompanharem. Taxistas também se deslocaram até a delegacia para acompanhar o caso e defender os colegas.