Cearenses que criaram projeto para auxiliar ciclistas surdos ganham bicicleta para desenvolver estudo

INCENTIVO

Cearenses que criaram sensor para ciclistas surdos ganham bicicleta para desenvolver estudo

Projeto de alunos do IFCE de Aracati propõe solução de baixo custo para acessibilidade de ciclistas surdos

Por Matheus Ribeiro em Mobilidade Urbana

21 de dezembro de 2016 às 07:00

Há 11 meses
Estudantes ganham bicicleta para auxiliar projeto de estudo (FOTO: Reprodução IFCE)

Estudantes ganham bicicleta para auxiliar projeto de estudo (FOTO: Reprodução IFCE)

Pouco tempo depois de o Tribuna do Ceará mostrar a iniciativa dos estudantes Johnattan Viana e Igor Galdino, com a criação de um projeto que propõe a solução de baixo custo para acessibilidade de ciclistas surdos no trânsito urbano, os alunos ganharam apoio.

Para auxiliar no desenvolvimento do estudo, um empresário da cidade de Aracati, município cearense no qual os alunos estudam, decidiu doar uma bicicleta para a equipe. Com isso, o projeto Smart Bike poderá avançar com mais rapidez e os pesquisadores terão informações mais reais sobre o experimento.

A doação da bicicleta foi realizada no último dia 2 de dezembro. Para o empresário cearense Ernesto Souza, a iniciativa dos alunos pode fazer diferença num futuro próximo.

“Achei o projeto bem interessante, principalmente quando soube que a motivação inicial foi de um aluno que tem um irmão surdo e pensou em ajudá-lo com essa bicicleta. Além disso, por ser um projeto que promove mais segurança no trânsito e por estar diretamente ligado ao meu ramo de negócio, vi que podia ajudar”, relata Ernesto.

Para Igor, essa doação deve fazer total diferença no desenvolvimento do projeto. “Hoje, nosso protótipo utiliza apenas uma estrutura de madeira com os sensores embutidos, que limita muito os nossos testes. Graças à doação da bicicleta que a Bike Sport fez para o nosso projeto, nós poderemos fazer os testes de forma mais precisa e eficiente”, contou. 

Segundo o professor Reinaldo Braga, que já coordenou o projeto e agora continua fazendo parte da equipe, ele já tinha procurado o empresário Ernesto Souza para apresentar o projeto e solicitar a doação de uma bicicleta usada.

“Ele respondeu que doaria uma bicicleta nova, porque acredita muito no desenvolvimento do nosso sistema”, conta Reinaldo. Estamos muito felizes com essa parceria, porque o proprietário é um exemplo de transformador da sociedade. Ele inclusive já divulgou o projeto entre um grupo de ciclistas de Aracati, e eles ofereceram as suas bicicletas para os testes serem executados futuramente em um maior número de bicicletas”, explicou.

Estudantes e seus orientadores devem representar o Ceará em feira internacional (FOTO: Vitor Honorio / IFCE)

Estudantes e seus orientadores devem representar o Ceará em feira internacional (FOTO: Vitor Honorio / IFCE)

O projeto

O projeto Smart Bike foi idealizado pelo estudante Johnattan Douglas, que está no último semestre do curso de Bacharelado em Ciência da Computação. Johnattan tem um irmão que é surdo e elaborou o projeto pensando inicialmente em desenvolver uma bicicleta para pessoas com deficiência auditiva. À medida que a pesquisa avançou, porém, os integrantes desenvolveram opções de segurança que podem ser usados por qualquer pessoa que queira pedalar com mais segurança.

Atualmente, o projeto é coordenado pela professora Carina Oliveira e, nos meses de dezembro de 2016 e janeiro de 2017, será apresentado na Universidade Strasbourg, na França, onde os pesquisadores envolvidos na pesquisa esperam trocar informações e aperfeiçoar o trabalho já realizado.

Destaque nacional e internacional

Conforme Johnattan, o projeto não visa lucro, mas sim um retorno dos estudos proporcionados pelo governo do Ceará. “Queremos realmente ajudar as pessoas. Nossa educação é pública, o governo deu todo esse suporte para a nossa educação, então isso é o mínimo que pudemos fazer para retribuir à sociedade. Isso não é menos do que devemos fazer como futuros cientistas”, destaca.

Tanta dedicação dos jovens cientistas rendeu bastante reconhecimento. Desde julho do ano passado, Igor e Johnattan apresentam o projeto em várias feiras de ciências do Brasil. Entretanto, no próximo mês de janeiro a expectativa é ganhar reconhecimento internacional.

“Já apresentamos o projeto numa conferência internacional, que aconteceu em Recife no ano passado. Agora, esse mesmo evento será realizado na França e também iremos mostrar o que evoluímos nele”, conclui o aluno.

Todo o projeto e o protótipo de bicicleta foi desenvolvido pelos estudantes e pelos orientadores no Laboratório de Redes de Aracati (LAR-A). Nesse laboratório, todos os anos saem inovações tecnológicas que beneficiam não somente os alunos, mas também toda à sociedade da região cearense.

Publicidade

Dê sua opinião

INCENTIVO

Cearenses que criaram sensor para ciclistas surdos ganham bicicleta para desenvolver estudo

Projeto de alunos do IFCE de Aracati propõe solução de baixo custo para acessibilidade de ciclistas surdos

Por Matheus Ribeiro em Mobilidade Urbana

21 de dezembro de 2016 às 07:00

Há 11 meses
Estudantes ganham bicicleta para auxiliar projeto de estudo (FOTO: Reprodução IFCE)

Estudantes ganham bicicleta para auxiliar projeto de estudo (FOTO: Reprodução IFCE)

Pouco tempo depois de o Tribuna do Ceará mostrar a iniciativa dos estudantes Johnattan Viana e Igor Galdino, com a criação de um projeto que propõe a solução de baixo custo para acessibilidade de ciclistas surdos no trânsito urbano, os alunos ganharam apoio.

Para auxiliar no desenvolvimento do estudo, um empresário da cidade de Aracati, município cearense no qual os alunos estudam, decidiu doar uma bicicleta para a equipe. Com isso, o projeto Smart Bike poderá avançar com mais rapidez e os pesquisadores terão informações mais reais sobre o experimento.

A doação da bicicleta foi realizada no último dia 2 de dezembro. Para o empresário cearense Ernesto Souza, a iniciativa dos alunos pode fazer diferença num futuro próximo.

“Achei o projeto bem interessante, principalmente quando soube que a motivação inicial foi de um aluno que tem um irmão surdo e pensou em ajudá-lo com essa bicicleta. Além disso, por ser um projeto que promove mais segurança no trânsito e por estar diretamente ligado ao meu ramo de negócio, vi que podia ajudar”, relata Ernesto.

Para Igor, essa doação deve fazer total diferença no desenvolvimento do projeto. “Hoje, nosso protótipo utiliza apenas uma estrutura de madeira com os sensores embutidos, que limita muito os nossos testes. Graças à doação da bicicleta que a Bike Sport fez para o nosso projeto, nós poderemos fazer os testes de forma mais precisa e eficiente”, contou. 

Segundo o professor Reinaldo Braga, que já coordenou o projeto e agora continua fazendo parte da equipe, ele já tinha procurado o empresário Ernesto Souza para apresentar o projeto e solicitar a doação de uma bicicleta usada.

“Ele respondeu que doaria uma bicicleta nova, porque acredita muito no desenvolvimento do nosso sistema”, conta Reinaldo. Estamos muito felizes com essa parceria, porque o proprietário é um exemplo de transformador da sociedade. Ele inclusive já divulgou o projeto entre um grupo de ciclistas de Aracati, e eles ofereceram as suas bicicletas para os testes serem executados futuramente em um maior número de bicicletas”, explicou.

Estudantes e seus orientadores devem representar o Ceará em feira internacional (FOTO: Vitor Honorio / IFCE)

Estudantes e seus orientadores devem representar o Ceará em feira internacional (FOTO: Vitor Honorio / IFCE)

O projeto

O projeto Smart Bike foi idealizado pelo estudante Johnattan Douglas, que está no último semestre do curso de Bacharelado em Ciência da Computação. Johnattan tem um irmão que é surdo e elaborou o projeto pensando inicialmente em desenvolver uma bicicleta para pessoas com deficiência auditiva. À medida que a pesquisa avançou, porém, os integrantes desenvolveram opções de segurança que podem ser usados por qualquer pessoa que queira pedalar com mais segurança.

Atualmente, o projeto é coordenado pela professora Carina Oliveira e, nos meses de dezembro de 2016 e janeiro de 2017, será apresentado na Universidade Strasbourg, na França, onde os pesquisadores envolvidos na pesquisa esperam trocar informações e aperfeiçoar o trabalho já realizado.

Destaque nacional e internacional

Conforme Johnattan, o projeto não visa lucro, mas sim um retorno dos estudos proporcionados pelo governo do Ceará. “Queremos realmente ajudar as pessoas. Nossa educação é pública, o governo deu todo esse suporte para a nossa educação, então isso é o mínimo que pudemos fazer para retribuir à sociedade. Isso não é menos do que devemos fazer como futuros cientistas”, destaca.

Tanta dedicação dos jovens cientistas rendeu bastante reconhecimento. Desde julho do ano passado, Igor e Johnattan apresentam o projeto em várias feiras de ciências do Brasil. Entretanto, no próximo mês de janeiro a expectativa é ganhar reconhecimento internacional.

“Já apresentamos o projeto numa conferência internacional, que aconteceu em Recife no ano passado. Agora, esse mesmo evento será realizado na França e também iremos mostrar o que evoluímos nele”, conclui o aluno.

Todo o projeto e o protótipo de bicicleta foi desenvolvido pelos estudantes e pelos orientadores no Laboratório de Redes de Aracati (LAR-A). Nesse laboratório, todos os anos saem inovações tecnológicas que beneficiam não somente os alunos, mas também toda à sociedade da região cearense.