Viajar de cruzeiro marítimo pode ser alternativa mais em conta nas férias


Viajar de cruzeiro marítimo pode ser alternativa mais em conta nas férias

Segundo a Companhia Docas do Ceará, a temporada 2012/2013 contou com 16 escalas e um total de 4.919 passageiros em trânsito

Por Roberta Tavares em Fortaleza

15 de julho de 2013 às 20:00

Há 6 anos

Viajar para diversos lugares sem a necessidade de trocar de hospedagem. Essa é a grande qualidade dos cruzeiros marítimos, que funcionam como verdadeiros “hotéis flutuantes”. Com a expansão da nova classe média, a queda de preços e a facilidade de parcelamento, os cruzeiros marítimos tornaram-se boas (e baratas) opções de viagem.

As agências de turismo, por exemplo, costumam parcelar o pagamento em até dez vezes. Mas é importante verificar se há cobrança de juros no parcelamento e se é possível obter desconto para pagamentos à vista. Em geral, o valor dos pacotes é orçado em dólar, sendo o pagamento feito de acordo com a cotação da moeda em real no dia da compra.

Os preços nas agências de viagens em Fortaleza são bem em conta. Um cruzeiro de quatro dias em novembro deste ano, saindo de Santos, passando por Búzios e Ilha Bela, custa apenas R$ 1.140 por pessoa (incluindo taxas).

Um cruzeiro de oito dias em dezembro, com percurso por Salvador, Rio de Janeiro, Ilhéus e Maceió, custa R$ 2.533 por pessoa. Já um de 10 dias saindo do Rio de Janeiro, passando por Angra dos Reis, Buenos Aires, Punta del Leste, Porto Belo e Ilha Bela, custa R$ 2.836 por pessoa.

Maior frequência de navios é entre os meses de outubro e março (FOTO: Flickr/Creative Commons/JLCA)

Maior frequência de navios é entre os meses de outubro e março (FOTO: Flickr/Creative Commons/JLCA)

Programações

Os cruzeiros são ideais para toda a família, desde crianças e adolescentes a adultos e idosos. Normalmente, estão incluídos a cabine escolhida (quarto), a maioria das refeições a bordo, algumas bebidas, cassino, programação voltada às crianças, utilização das piscinas, academia de ginástica, biblioteca, boate, espetáculos e shows.

Há ainda algumas atividades que são cobradas à parte, como, por exemplo, tratamento de Spa, internet café, salão de beleza, shopping, leilões de arte, personal trainer, aulas especiais de ginástica, entre outras.

Gastos

De acordo com a pesquisa Cruzeiros Marítimos: Estudo de Perfil e Impactos Econômicos no Brasil, da Faculdade Getúlio Vargas e da Associação Brasileira de Cruzeiros Marítimos (Abremar), os gastos dos viajantes nos portos de embarque, desembarque e trânsito chegam a mais de R$ 520 milhões em apenas um ano. O estado de origem da maioria dos passageiros é São Paulo (61,1%), seguido por Rio de Janeiro (12%) e Paraná (5,9%).

A pesquisa traça ainda o perfil dos viajantes: 62,7% dos passageiros da última temporada estavam em seu primeiro cruzeiro e 86,8% deles gostariam de repetir o passeio. Os passageiros que viajaram no período ainda são geralmente mulheres (55,8%), casadas (54,5%) e entre 25 e 44 anos (48,6%). Apenas 14,7% ainda possuíam renda mensal familiar acima de R$ 10 mil, e somente 29% entre R$ 5 mil e R$ 10 mil.

Passeios pelas cidades

Os turistas têm a opção de ficar no navio ou visitar o destino de parada quando o barco ancorar. Alguns navios oferecem excursões de período integral ou meio período, ideais para conhecer as atrações turísticas de cada local.

Em Fortaleza, por exemplo, os navios atracam no Porto do Mucuripe, que oferece infraestrutura para o embarque e desembarque dos passageiros. A maior frequência de navios no local é de outubro a março, considerada a alta estação no Brasil.

Desembarque de passageiros

Segundo a Companhia Docas do Ceará, a temporada 2012/2013 contou com 16 escalas e um total de 4.919 passageiros em trânsito. “Estes passageiros descem na cidade para realizar passeios, visitar pontos turísticos e fazer compras”, explica a companhia. Em média, os navios ficam 10 horas atracados no porto e depois seguem para outro destino.

O Porto do Mucuripe está em obras para adaptar a infraestrutura para a atracação de cruzeiros e recepção de passageiros (FOTO: Gentil Barreira)

O Porto do Mucuripe está em obras para adaptar a infraestrutura para a atracação de cruzeiros e recepção de passageiros (FOTO: Gentil Barreira)

Infraestrutura

O Porto do Mucuripe está em obras para adaptar a infraestrutura para a atracação de cruzeiros e recepção de passageiros, já que estes concorrem com os navios de carga, que são maioria na pauta de movimentação do Porto.

A obra do Novo Terminal compreende três frentes de serviço: novo cais de atracação com 350 m de extensão e 13 m de profundidade; nova estação de passageiros com espaço para check-in e check-out, lojas de conveniência, espaço para bagagens, estacionamento, restaurantes e órgãos intervenientes com área de 9.600 m²; e um pátio de armazenagem de cargas com área de 40.600 m².

“A obra está 65,1% concluída e deverá ser finalizada em março de 2014. O investimento total será de R$ 149 milhões”, finaliza a assessoria da Companhia.

Publicidade

Dê sua opinião

Viajar de cruzeiro marítimo pode ser alternativa mais em conta nas férias

Segundo a Companhia Docas do Ceará, a temporada 2012/2013 contou com 16 escalas e um total de 4.919 passageiros em trânsito

Por Roberta Tavares em Fortaleza

15 de julho de 2013 às 20:00

Há 6 anos

Viajar para diversos lugares sem a necessidade de trocar de hospedagem. Essa é a grande qualidade dos cruzeiros marítimos, que funcionam como verdadeiros “hotéis flutuantes”. Com a expansão da nova classe média, a queda de preços e a facilidade de parcelamento, os cruzeiros marítimos tornaram-se boas (e baratas) opções de viagem.

As agências de turismo, por exemplo, costumam parcelar o pagamento em até dez vezes. Mas é importante verificar se há cobrança de juros no parcelamento e se é possível obter desconto para pagamentos à vista. Em geral, o valor dos pacotes é orçado em dólar, sendo o pagamento feito de acordo com a cotação da moeda em real no dia da compra.

Os preços nas agências de viagens em Fortaleza são bem em conta. Um cruzeiro de quatro dias em novembro deste ano, saindo de Santos, passando por Búzios e Ilha Bela, custa apenas R$ 1.140 por pessoa (incluindo taxas).

Um cruzeiro de oito dias em dezembro, com percurso por Salvador, Rio de Janeiro, Ilhéus e Maceió, custa R$ 2.533 por pessoa. Já um de 10 dias saindo do Rio de Janeiro, passando por Angra dos Reis, Buenos Aires, Punta del Leste, Porto Belo e Ilha Bela, custa R$ 2.836 por pessoa.

Maior frequência de navios é entre os meses de outubro e março (FOTO: Flickr/Creative Commons/JLCA)

Maior frequência de navios é entre os meses de outubro e março (FOTO: Flickr/Creative Commons/JLCA)

Programações

Os cruzeiros são ideais para toda a família, desde crianças e adolescentes a adultos e idosos. Normalmente, estão incluídos a cabine escolhida (quarto), a maioria das refeições a bordo, algumas bebidas, cassino, programação voltada às crianças, utilização das piscinas, academia de ginástica, biblioteca, boate, espetáculos e shows.

Há ainda algumas atividades que são cobradas à parte, como, por exemplo, tratamento de Spa, internet café, salão de beleza, shopping, leilões de arte, personal trainer, aulas especiais de ginástica, entre outras.

Gastos

De acordo com a pesquisa Cruzeiros Marítimos: Estudo de Perfil e Impactos Econômicos no Brasil, da Faculdade Getúlio Vargas e da Associação Brasileira de Cruzeiros Marítimos (Abremar), os gastos dos viajantes nos portos de embarque, desembarque e trânsito chegam a mais de R$ 520 milhões em apenas um ano. O estado de origem da maioria dos passageiros é São Paulo (61,1%), seguido por Rio de Janeiro (12%) e Paraná (5,9%).

A pesquisa traça ainda o perfil dos viajantes: 62,7% dos passageiros da última temporada estavam em seu primeiro cruzeiro e 86,8% deles gostariam de repetir o passeio. Os passageiros que viajaram no período ainda são geralmente mulheres (55,8%), casadas (54,5%) e entre 25 e 44 anos (48,6%). Apenas 14,7% ainda possuíam renda mensal familiar acima de R$ 10 mil, e somente 29% entre R$ 5 mil e R$ 10 mil.

Passeios pelas cidades

Os turistas têm a opção de ficar no navio ou visitar o destino de parada quando o barco ancorar. Alguns navios oferecem excursões de período integral ou meio período, ideais para conhecer as atrações turísticas de cada local.

Em Fortaleza, por exemplo, os navios atracam no Porto do Mucuripe, que oferece infraestrutura para o embarque e desembarque dos passageiros. A maior frequência de navios no local é de outubro a março, considerada a alta estação no Brasil.

Desembarque de passageiros

Segundo a Companhia Docas do Ceará, a temporada 2012/2013 contou com 16 escalas e um total de 4.919 passageiros em trânsito. “Estes passageiros descem na cidade para realizar passeios, visitar pontos turísticos e fazer compras”, explica a companhia. Em média, os navios ficam 10 horas atracados no porto e depois seguem para outro destino.

O Porto do Mucuripe está em obras para adaptar a infraestrutura para a atracação de cruzeiros e recepção de passageiros (FOTO: Gentil Barreira)

O Porto do Mucuripe está em obras para adaptar a infraestrutura para a atracação de cruzeiros e recepção de passageiros (FOTO: Gentil Barreira)

Infraestrutura

O Porto do Mucuripe está em obras para adaptar a infraestrutura para a atracação de cruzeiros e recepção de passageiros, já que estes concorrem com os navios de carga, que são maioria na pauta de movimentação do Porto.

A obra do Novo Terminal compreende três frentes de serviço: novo cais de atracação com 350 m de extensão e 13 m de profundidade; nova estação de passageiros com espaço para check-in e check-out, lojas de conveniência, espaço para bagagens, estacionamento, restaurantes e órgãos intervenientes com área de 9.600 m²; e um pátio de armazenagem de cargas com área de 40.600 m².

“A obra está 65,1% concluída e deverá ser finalizada em março de 2014. O investimento total será de R$ 149 milhões”, finaliza a assessoria da Companhia.