Polícia salva adolescente prestes a ser morto por ter atravessado limite entre comunidades

REGRA DOS BANDIDOS

Polícia salva adolescente prestes a ser morto por ter atravessado limite entre comunidades

O jovem tinha ido ao Bairro Álvaro Weyne para ver o incêndio desta quinta, e por isso acabou amarrado e torturado

Por Tribuna do Ceará em Fortaleza

25 de agosto de 2017 às 09:23

Há 9 meses

O adolescente foi encontrado nas margens da lagoa do Urubu, no Bairro Álvaro Weyne (FOTO: WhatsApp/Barra Pesada)

A Polícia Militar, por meio da Força Tática de Apoio, impediu o assassinato de um adolescente de 17 anos na tarde desta quinta-feira (24), no bairro Álvaro Weyne. O jovem estava indo ver o incêndio que aconteceu no depósito da Enel quando foi surpreendido por um grupo de cinco homens armados.

A polícia que estava de patrulha próximo ao local percebeu a movimentação e foi até o local. O adolescente estava com um saco preto na cabeça, mãos e pés amarrados e com sinais de torturas. As informações são do programa Barra Pesada, da TV Jangadeiro/SBT.

“Os policiais militares foram acionados para atender uma ocorrência em que um indivíduo foi capturado e arrastado para um matagal. Os oficiais conseguiram encontrar o adolescente com vida e assustado”, informou o delegado do 7º Distrito Policia (DP), Alexandre Saunders.

Os criminosos avistaram a chegada da viatura da PM e se dispersaram, deixando o jovem no matagal. “Ele estava agredido e ferido”, concluiu.

Nas proximidades do local, os PMs prenderam um homem, suspeito de ter participado da ação criminosa. Em seu celular, havia fotos do adolescente amarrado e com marcas de violência. Francisco Cláudio alegou à polícia que não tinha envolvimento com o crime e que o celular tinha encontrado na rua. O homem que já tem passagens pela polícia vai responder por tentativa de homicídio e por crime de tortura.

Segundo Alexandre, por ser de outro bairro, o adolescente não tinha ”permissão” para transitar na região. “Eu vi o diabo na minha frente. Todos estavam armados. Nunca fiz coisa errada não”, declarou o adolescente.

Acompanhe o caso no programa Barra Pesada, da TV Jangadeiro/SBT, às 12h10min.

Publicidade

Dê sua opinião

REGRA DOS BANDIDOS

Polícia salva adolescente prestes a ser morto por ter atravessado limite entre comunidades

O jovem tinha ido ao Bairro Álvaro Weyne para ver o incêndio desta quinta, e por isso acabou amarrado e torturado

Por Tribuna do Ceará em Fortaleza

25 de agosto de 2017 às 09:23

Há 9 meses

O adolescente foi encontrado nas margens da lagoa do Urubu, no Bairro Álvaro Weyne (FOTO: WhatsApp/Barra Pesada)

A Polícia Militar, por meio da Força Tática de Apoio, impediu o assassinato de um adolescente de 17 anos na tarde desta quinta-feira (24), no bairro Álvaro Weyne. O jovem estava indo ver o incêndio que aconteceu no depósito da Enel quando foi surpreendido por um grupo de cinco homens armados.

A polícia que estava de patrulha próximo ao local percebeu a movimentação e foi até o local. O adolescente estava com um saco preto na cabeça, mãos e pés amarrados e com sinais de torturas. As informações são do programa Barra Pesada, da TV Jangadeiro/SBT.

“Os policiais militares foram acionados para atender uma ocorrência em que um indivíduo foi capturado e arrastado para um matagal. Os oficiais conseguiram encontrar o adolescente com vida e assustado”, informou o delegado do 7º Distrito Policia (DP), Alexandre Saunders.

Os criminosos avistaram a chegada da viatura da PM e se dispersaram, deixando o jovem no matagal. “Ele estava agredido e ferido”, concluiu.

Nas proximidades do local, os PMs prenderam um homem, suspeito de ter participado da ação criminosa. Em seu celular, havia fotos do adolescente amarrado e com marcas de violência. Francisco Cláudio alegou à polícia que não tinha envolvimento com o crime e que o celular tinha encontrado na rua. O homem que já tem passagens pela polícia vai responder por tentativa de homicídio e por crime de tortura.

Segundo Alexandre, por ser de outro bairro, o adolescente não tinha ”permissão” para transitar na região. “Eu vi o diabo na minha frente. Todos estavam armados. Nunca fiz coisa errada não”, declarou o adolescente.

Acompanhe o caso no programa Barra Pesada, da TV Jangadeiro/SBT, às 12h10min.