Moradores desocupam prédio que sofreu incêndio - Noticias


Moradores desocupam prédio que sofreu incêndio

Os condôminos se reuniram e optaram por desocupar o prédio até que os trabalhos dos peritos e dos bombeiros sejam concluídos

Por Tribuna do Ceará em Fortaleza

2 de dezembro de 2009 às 08:19

Há 10 anos
Foto de Deborah Piorski

Foto de Deborah Piorski

O prédio localizado na Aldeota, em Fortaleza, cujo um apartamento do 15º andar foi atingido por um incêndio no último domingo (29), está completamente vazio. Os 22 andares foram desocupados e os moradores decidiram que só voltam para lá quando a Perícia concluir os trabalhos no edifício. Algumas pessoas estão hospedadas em casas de parentes e outras em hoteis.

Leia também:
Incêndio em prédio de luxo na Aldeota, em Fortaleza
Incêndio em sexto andar de apartamento na Aldeota
Susto em panificadora de Fortaleza
Fábrica de algodão pega fogo em Maracanaú

Um dos moradores chegou a informar que o condomínio está sem água, energia e o elevador não está funcionando.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, o prédio não está interditado e não houve recomendação para que os moradores desocupassem os apartamentos. O órgão esclarece que a energia elétrica foi desligada para que os bombeiros pudessem apagar o fogo com segurança. Segundo eles, somente a chave geral foi desligada. Um eletricista particular poderia ter feito o trabalho de religamento.

Os moradores, por sua vez, optaram por não ligá-la por questões de segurança. Preferem aguardar as vistorias dos peritos criminais, dos bombeiros e dos agentes do seguro.

Os resultados da Perícia Forense do Ceará devem sair em dez dias.

O incêndio
Apesar de o incêndio ter atingido somente um apartamento do 15º andar, outros andares vizinhos sofreram estragos. No dia do fato, seis pessoas chegaram a ficar levemente feridas e dezenas receberam atendimento por intoxicação.

Segundo informações da edição de hoje do Jornal O Povo, embora o condomínio cumpra as normas de segurança contra incêndio, algumas falhas atrapalharam a saída dos moradores pela escada de emergência. As janelas planejadas para saída de fumaça estavam fechadas. Os moradores tiveram de descer as escadas agachados.

Com informações do Jornal O Povo

Publicidade

Dê sua opinião

Moradores desocupam prédio que sofreu incêndio

Os condôminos se reuniram e optaram por desocupar o prédio até que os trabalhos dos peritos e dos bombeiros sejam concluídos

Por Tribuna do Ceará em Fortaleza

2 de dezembro de 2009 às 08:19

Há 10 anos
Foto de Deborah Piorski

Foto de Deborah Piorski

O prédio localizado na Aldeota, em Fortaleza, cujo um apartamento do 15º andar foi atingido por um incêndio no último domingo (29), está completamente vazio. Os 22 andares foram desocupados e os moradores decidiram que só voltam para lá quando a Perícia concluir os trabalhos no edifício. Algumas pessoas estão hospedadas em casas de parentes e outras em hoteis.

Leia também:
Incêndio em prédio de luxo na Aldeota, em Fortaleza
Incêndio em sexto andar de apartamento na Aldeota
Susto em panificadora de Fortaleza
Fábrica de algodão pega fogo em Maracanaú

Um dos moradores chegou a informar que o condomínio está sem água, energia e o elevador não está funcionando.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, o prédio não está interditado e não houve recomendação para que os moradores desocupassem os apartamentos. O órgão esclarece que a energia elétrica foi desligada para que os bombeiros pudessem apagar o fogo com segurança. Segundo eles, somente a chave geral foi desligada. Um eletricista particular poderia ter feito o trabalho de religamento.

Os moradores, por sua vez, optaram por não ligá-la por questões de segurança. Preferem aguardar as vistorias dos peritos criminais, dos bombeiros e dos agentes do seguro.

Os resultados da Perícia Forense do Ceará devem sair em dez dias.

O incêndio
Apesar de o incêndio ter atingido somente um apartamento do 15º andar, outros andares vizinhos sofreram estragos. No dia do fato, seis pessoas chegaram a ficar levemente feridas e dezenas receberam atendimento por intoxicação.

Segundo informações da edição de hoje do Jornal O Povo, embora o condomínio cumpra as normas de segurança contra incêndio, algumas falhas atrapalharam a saída dos moradores pela escada de emergência. As janelas planejadas para saída de fumaça estavam fechadas. Os moradores tiveram de descer as escadas agachados.

Com informações do Jornal O Povo