“É inconcebível que coloquem PM na rua sem armamento”, diz Capitão Wagner


“É inconcebível que coloquem PM na rua sem armamento”, diz Capitão Wagner

Em visita ao Tribuna Bandnews, o vereador capitão Wagner abordou temas como a falta de equipamentos para PM, situação do Ronda do Quarteirão e eleições de 2014

Por Aline Lima em Fortaleza

5 de novembro de 2013 às 10:56

Há 5 anos

A ausência de equipamentos junto aos policiais recém-formados foi debatida nesta terça-feira (5) na Tribuna BandNews. O situação foi criticada pelo vereador Capitão Wagner Sousa (PR), que esteva na rádio.

Do mesmo modo que a falta de equipamentos dos policiais chamou a atenção, o sumiço de parte deles também entrou em pauta (FOTO: Aline Lima)

Do mesmo modo que a falta de equipamentos dos policiais chamou a atenção, o sumiço de parte deles também entrou em pauta (FOTO: Aline Lima)

O vereador afirmou que recebeu diversas ligações no último sábado (2) relatando a falta de armas e coletes. Tendo em vista à situação, a Associação dos Profissionais de Segurança (APS) denunciou o caso para a Procuradoria e para o Ministério Público, a fim de identificar o responsável pelo ocorrido. “É inconcebível que coloquem PM na rua sem armamento, rádio e colete”, disse Wagner.

Ele afirma, inclusive, que houve diversas ocorrências sem atendimento porque não tinha como os PMs atender. Para o vereador, “isso é falta de organização e planejamento” e questiona: “Se agora eles (policiais) estão com equipamento, onde eles (equipamentos) estavam antes?”. O parlamentar aproveita para denunciar a situação da PM no interior, onde, segundo ele, faltam coletes, viaturas, rádio e armamento.

‘Sumiço’ de equipamentos

Do mesmo modo que a falta de equipamentos dos policiais chamou a atenção, o sumiço de parte deles também entrou em pauta. O Tribuna do Ceará mostrou que os patinetes elétricos, conhecidos como Segway, adquiridos para o patrulhamento da Avenida Beira Mar, não estão sendo utilizados. O capitão Wagner ratificou a informação apurada pela reportagem, afirmando que os equipamentos foram retirados para manutenção e não foram mais vistos.

Para complementar, ele cita o caso dos aparelhos de som que sumiram das viaturas da PM dentro da própria Secretaria de Segurança do Estado. De acordo com o vereador, os aparelhos foram retirados e vendidos, mas até hoje ninguém sabe o destino do dinheiro.

Ele reclamou ainda da quantidade de policiais investigadores no policiamento da comunidade e ressaltou a importância de melhorar o quadro. “Aumentou a população e a criminalidade, mas o número de investigadores diminuiu”. Além disso, ele aponta o despreparo da equipe do Ronda a principal causa para que o órgão perdesse o prestígio no Estado. “A primeira turma de 2004 se formou em apenas três meses”.

Eleições 2014

Sobre as eleições do próximo ano, o vereador disse que provavelmente será candidato, mas ainda não sabe para qual cargo exatamente. “Nosso nome está à disposição e bem cotado”.

Ele garante que o partido irá apoiar a presidenta Dilma Rousseff, entretanto não fará aliança com o Pros. O vereador destaca que um dos aspectos positivos observados até agora é o fortalecimento da oposição e cita o funcionamento da prefeitura no momento. “A gente vê o prefeito pedir autorização do governador para fazer algo”, conclui.

Publicidade

Dê sua opinião

“É inconcebível que coloquem PM na rua sem armamento”, diz Capitão Wagner

Em visita ao Tribuna Bandnews, o vereador capitão Wagner abordou temas como a falta de equipamentos para PM, situação do Ronda do Quarteirão e eleições de 2014

Por Aline Lima em Fortaleza

5 de novembro de 2013 às 10:56

Há 5 anos

A ausência de equipamentos junto aos policiais recém-formados foi debatida nesta terça-feira (5) na Tribuna BandNews. O situação foi criticada pelo vereador Capitão Wagner Sousa (PR), que esteva na rádio.

Do mesmo modo que a falta de equipamentos dos policiais chamou a atenção, o sumiço de parte deles também entrou em pauta (FOTO: Aline Lima)

Do mesmo modo que a falta de equipamentos dos policiais chamou a atenção, o sumiço de parte deles também entrou em pauta (FOTO: Aline Lima)

O vereador afirmou que recebeu diversas ligações no último sábado (2) relatando a falta de armas e coletes. Tendo em vista à situação, a Associação dos Profissionais de Segurança (APS) denunciou o caso para a Procuradoria e para o Ministério Público, a fim de identificar o responsável pelo ocorrido. “É inconcebível que coloquem PM na rua sem armamento, rádio e colete”, disse Wagner.

Ele afirma, inclusive, que houve diversas ocorrências sem atendimento porque não tinha como os PMs atender. Para o vereador, “isso é falta de organização e planejamento” e questiona: “Se agora eles (policiais) estão com equipamento, onde eles (equipamentos) estavam antes?”. O parlamentar aproveita para denunciar a situação da PM no interior, onde, segundo ele, faltam coletes, viaturas, rádio e armamento.

‘Sumiço’ de equipamentos

Do mesmo modo que a falta de equipamentos dos policiais chamou a atenção, o sumiço de parte deles também entrou em pauta. O Tribuna do Ceará mostrou que os patinetes elétricos, conhecidos como Segway, adquiridos para o patrulhamento da Avenida Beira Mar, não estão sendo utilizados. O capitão Wagner ratificou a informação apurada pela reportagem, afirmando que os equipamentos foram retirados para manutenção e não foram mais vistos.

Para complementar, ele cita o caso dos aparelhos de som que sumiram das viaturas da PM dentro da própria Secretaria de Segurança do Estado. De acordo com o vereador, os aparelhos foram retirados e vendidos, mas até hoje ninguém sabe o destino do dinheiro.

Ele reclamou ainda da quantidade de policiais investigadores no policiamento da comunidade e ressaltou a importância de melhorar o quadro. “Aumentou a população e a criminalidade, mas o número de investigadores diminuiu”. Além disso, ele aponta o despreparo da equipe do Ronda a principal causa para que o órgão perdesse o prestígio no Estado. “A primeira turma de 2004 se formou em apenas três meses”.

Eleições 2014

Sobre as eleições do próximo ano, o vereador disse que provavelmente será candidato, mas ainda não sabe para qual cargo exatamente. “Nosso nome está à disposição e bem cotado”.

Ele garante que o partido irá apoiar a presidenta Dilma Rousseff, entretanto não fará aliança com o Pros. O vereador destaca que um dos aspectos positivos observados até agora é o fortalecimento da oposição e cita o funcionamento da prefeitura no momento. “A gente vê o prefeito pedir autorização do governador para fazer algo”, conclui.