Greve de motoristas e cobradores causou prejuízo de R$ 4,1 milhões, diz Sindiônibus - Noticias


Greve de motoristas e cobradores causou prejuízo de R$ 4,1 milhões, diz Sindiônibus

A greve dos motoristas e cobradores de ônibus de Fortaleza causou prejuízo de R$ 4,1 milhões, segundo o presidente do Sindiônibus, Dimas Barreira

Por Felipe Lima e Thamiris Treigher em Fortaleza

25 de junho de 2012 às 12:53

Há 5 anos

Durante os quatro dias de greve, foram vários ônibus com pneus furados (Foto: Igor Gadelha/ Jangadeiro) Online)

R$ 4,1 milhões. Esse foi o prejuízo causado durante os quatro dias da greve dos motoristas e cobradores de ônibus de Fortaleza, segundo o presidente do Sindicato das Empresas de Transporte e Passageiros do Estado do Ceará (Sindiônibus), Dimas Barreira, em entrevista ao Jangadeiro Online nesta segunda-feira (25).

Apesar dos danos causados pelas depredações e prisões de grevistas terem gerado repercussão social, Dimas afirma que o principal prejuízo financeiro foi a receita perdida (R$ 3,5 milhões). “O passageiro que eu não transportei ontem, eu nunca mais vou transportar”, afirma. De acordo ainda com ele, os estragos estão sendo pagos pelas próprias empresas de ônibus.

Acordo

A greve dos motoristas e cobradores chegou ao fim no último sábado (23), após audiência entre o Sindiônibus e o Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários no Estado (Sintro), na sede da Procuradoria Regional do Trabalho, em Fortaleza. O acordo fechado prevê reajuste salarial de 8,5%, aumento do vale refeição de R$ 7 para R$ 8 e da cesta básica de R$ 60 para R$ 70.

“Ao final, fica a lição de que a mesa de negociação é sempre o melhor caminho. Todas essas consequências negativas poderiam ter sido evitadas, pois a proposta aceita pelo Sintro já havia sido apresentada pela Superintendência Regional do Trabalho e Emprego (SRTE), antes do início da greve”, disse o presidente do Sindiônibus.

Multa

Dimas Barreira informou ainda que nenhuma companhia de ônibus chegou a ser multada pela Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor), por não estar com pelo menos 70% da frota circulando durante a greve – conforme a prefeita Luizianne Lins tinha declarado que iria ocorrer, durante entrevista à imprensa na última quinta-feira (21).

Publicidade

Dê sua opinião

Greve de motoristas e cobradores causou prejuízo de R$ 4,1 milhões, diz Sindiônibus

A greve dos motoristas e cobradores de ônibus de Fortaleza causou prejuízo de R$ 4,1 milhões, segundo o presidente do Sindiônibus, Dimas Barreira

Por Felipe Lima e Thamiris Treigher em Fortaleza

25 de junho de 2012 às 12:53

Há 5 anos

Durante os quatro dias de greve, foram vários ônibus com pneus furados (Foto: Igor Gadelha/ Jangadeiro) Online)

R$ 4,1 milhões. Esse foi o prejuízo causado durante os quatro dias da greve dos motoristas e cobradores de ônibus de Fortaleza, segundo o presidente do Sindicato das Empresas de Transporte e Passageiros do Estado do Ceará (Sindiônibus), Dimas Barreira, em entrevista ao Jangadeiro Online nesta segunda-feira (25).

Apesar dos danos causados pelas depredações e prisões de grevistas terem gerado repercussão social, Dimas afirma que o principal prejuízo financeiro foi a receita perdida (R$ 3,5 milhões). “O passageiro que eu não transportei ontem, eu nunca mais vou transportar”, afirma. De acordo ainda com ele, os estragos estão sendo pagos pelas próprias empresas de ônibus.

Acordo

A greve dos motoristas e cobradores chegou ao fim no último sábado (23), após audiência entre o Sindiônibus e o Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários no Estado (Sintro), na sede da Procuradoria Regional do Trabalho, em Fortaleza. O acordo fechado prevê reajuste salarial de 8,5%, aumento do vale refeição de R$ 7 para R$ 8 e da cesta básica de R$ 60 para R$ 70.

“Ao final, fica a lição de que a mesa de negociação é sempre o melhor caminho. Todas essas consequências negativas poderiam ter sido evitadas, pois a proposta aceita pelo Sintro já havia sido apresentada pela Superintendência Regional do Trabalho e Emprego (SRTE), antes do início da greve”, disse o presidente do Sindiônibus.

Multa

Dimas Barreira informou ainda que nenhuma companhia de ônibus chegou a ser multada pela Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor), por não estar com pelo menos 70% da frota circulando durante a greve – conforme a prefeita Luizianne Lins tinha declarado que iria ocorrer, durante entrevista à imprensa na última quinta-feira (21).