Câmara aprova regime de urgência para proposta de plebiscito sobre o Acquario


Câmara aprova regime de urgência para proposta de plebiscito sobre o Acquario

Após a aprovação do regime de urgência o projeto vai para a Comissão de Legislação para receber o parecer e ser encaminhado para votação na Casa.

Por Jackson Pereira em Fortaleza

3 de julho de 2013 às 16:48

Há 6 anos

A Câmara Municipal de Fortaleza aprovou, na sessão ordinária desta quarta-feira (3), o requerimento de autoria do vereador João Alfredo (PSOL) que pede regime de urgência do Projeto de Decreto Legislativo que convoca a realização de um plebiscito para consulta popular sobre a aprovação ou rejeição do Acquario do Ceará. O único vereador contra o requerimento foi Carlos Mesquita do PMDB.

Confira a opinião > A moda plebiscitária chegou ao Ceará

Cid Gomes, já declarou que é a favor da realização de plebiscitos sobre os temas levantados durante os protestos (FOTO: Divulgação)

Cid Gomes, já declarou que é a favor da realização de plebiscitos sobre os temas levantados durante os protestos (FOTO: Divulgação)

Segundo João Alfredo. “O projeto já tramita há um ano, portanto é urgente sua votação, ainda mais nesse momento em que as pessoas estão realizando manifestações contra o uso dos recursos públicos para as obras da Copa. Nós sabemos dos prejuízos ambientais, sociais e financeiros dessa obra, portanto o povo deve ser consultado”, frisou.

O Governador do Estado, Cid Gomes, já declarou que é a favor da realização de plebiscitos sobre os temas levantados durante os protestos, o que inclui o Acquario. O vereador Carlos Mesquita justificou seu voto contrário afirmando que a competência sobre a convocação de um plebiscito seria da Assembleia Legislativa do Ceará.

“Nós sabemos que a obra já está sendo feita, portanto não se faz necessário um Plebiscito. Este deve ser feito antes da construção da obra, quando ela já está em andamento o que se pode fazer é um referendo, mas ainda assim não é competência de Município, e sim do governo”, frisou.

Após a aprovação do regime de urgência o projeto vai para a Comissão de Legislação para receber o parecer e ser encaminhado para votação na Casa.

Publicidade

Dê sua opinião

Câmara aprova regime de urgência para proposta de plebiscito sobre o Acquario

Após a aprovação do regime de urgência o projeto vai para a Comissão de Legislação para receber o parecer e ser encaminhado para votação na Casa.

Por Jackson Pereira em Fortaleza

3 de julho de 2013 às 16:48

Há 6 anos

A Câmara Municipal de Fortaleza aprovou, na sessão ordinária desta quarta-feira (3), o requerimento de autoria do vereador João Alfredo (PSOL) que pede regime de urgência do Projeto de Decreto Legislativo que convoca a realização de um plebiscito para consulta popular sobre a aprovação ou rejeição do Acquario do Ceará. O único vereador contra o requerimento foi Carlos Mesquita do PMDB.

Confira a opinião > A moda plebiscitária chegou ao Ceará

Cid Gomes, já declarou que é a favor da realização de plebiscitos sobre os temas levantados durante os protestos (FOTO: Divulgação)

Cid Gomes, já declarou que é a favor da realização de plebiscitos sobre os temas levantados durante os protestos (FOTO: Divulgação)

Segundo João Alfredo. “O projeto já tramita há um ano, portanto é urgente sua votação, ainda mais nesse momento em que as pessoas estão realizando manifestações contra o uso dos recursos públicos para as obras da Copa. Nós sabemos dos prejuízos ambientais, sociais e financeiros dessa obra, portanto o povo deve ser consultado”, frisou.

O Governador do Estado, Cid Gomes, já declarou que é a favor da realização de plebiscitos sobre os temas levantados durante os protestos, o que inclui o Acquario. O vereador Carlos Mesquita justificou seu voto contrário afirmando que a competência sobre a convocação de um plebiscito seria da Assembleia Legislativa do Ceará.

“Nós sabemos que a obra já está sendo feita, portanto não se faz necessário um Plebiscito. Este deve ser feito antes da construção da obra, quando ela já está em andamento o que se pode fazer é um referendo, mas ainda assim não é competência de Município, e sim do governo”, frisou.

Após a aprovação do regime de urgência o projeto vai para a Comissão de Legislação para receber o parecer e ser encaminhado para votação na Casa.