Tasso diz que Camilo "revela fraqueza de caráter" para "defender aliança inexplicável"

APÓS ATAQUES DO GOVERNADOR

Tasso diz que Camilo “revela fraqueza de caráter” para “defender aliança inexplicável”

O senador do PSDB disse que Camilo foi “falso” e “desleal” com ele e com o senador José Pimentel e expôs desentendimento entre o petista e Eunício

Por Jéssica Welma em Eleições 2018

4 de outubro de 2018 às 11:22

Há 1 mês
Camilo não tem citado suporte nem de Tasso Jereissati nem do correligionário José Pimentel. ( Foto Gerdan Wesley / PSDB)

Camilo não tem citado suporte nem de Tasso Jereissati nem do correligionário José Pimentel. ( Foto Gerdan Wesley / PSDB)

O senador Tasso Jereissati (PSDB) rebateu acusações do governador e candidato à reeleição, Camilo Santana (PT) de que não recebeu ajuda do senador durante gestão. Tasso disse que ataques do petista durante debate revelam “fraqueza de caráter” para “defender uma aliança inexplicável”.

No debate promovido pela TV Verdes Mares, na terça-feira (2), Camilo afirmou que Tasso “nunca ajudou em nada” e teceu elogios ao aliado informal Eunício Oliveira (MDB), presidente do Senado e candidato à reeleição.

Tasso julgou “lamentável” a atitude do governador e disse que Camilo “revelou falsidade” em relação a ele, e “deslealdade” em relação ao senador José Pimentel (PT). Pimentel, além de não ser citado por Camilo em nenhum momento, ainda que seja correligionário, foi preterido pelo PT para disputar reeleição ao cargo por estratégia do grupo aliado de Camilo Santana.

O ex-governador pontuou que, desde 2015, quando assumiu o segundo mandato como senador, recebeu “por inúmeras vezes” Camilo em seu gabinete, “sendo absolutamente solidário a todos os seus pleitos em relação ao Ceará”.

Tasso disse ainda que foi testemunha de igual esforço de Pimentel com tais interesses e projetos. O tucano evidencia, inclusive, conflitos entre Camilo e Eunício nos últimos anos.

O petista derrotou Eunício em 2014, em um disputa acirrada no segundo turno, com uma diferença de cerca de 303 mil votos. Somente em 2017 eles começaram a publicizar uma reaproximação. O auge aconteceu em 2018, quando Camilo decidiu apoiar informalmente a campanha de Eunício pela reeleição ao Senado.

Em 2016, encontro de Tasso e Camilo no Palácio da Abolição. (Foto: Divulgação)

Em 2016, encontro de Tasso e Camilo no Palácio da Abolição. (Foto: Divulgação)

“A leviandade das afirmações do Governador, entretanto, me obriga a trazer a público conversas particulares que mantivemos, em que ele, pessoalmente, me relatava que um outro Senador do Ceará, seu então adversário e agora aliado, em tudo tentava obstaculizar projetos do interesse do Ceará, apenas para prejudicar seu governo”, diz a nota de Tasso.

A postura de Camilo chamou atenção diante da série de elogios e encontros institucionais com Tasso, todos registrados pela imprensa e pelo próprio candidato nas redes sociais. Na nota, o senador lembra das vezes em que Camilo se referiu, publicamente, a ele como “o Senador com quem podia contar” e “o Senador do Estado do Ceará”.

“Essa sua atitude durante o debate revela uma fraqueza de caráter com o objetivo de defender uma aliança inexplicável”, ressaltou Tasso.

Confira a nota na íntegra:

Em respeito ao povo do Ceará

Considerei lamentável a atitude do Governador Camilo durante debate realizado na TV Verdes Mares, especialmente ao referir-se à atuação dos Senadores do Ceará.

Em relação à minha pessoa, o Governador revelou falsidade. Em relação ao Senador José Pimentel, seu companheiro de partido, revelou deslealdade.

Desde que assumi o segundo mandato de Senador, em fevereiro de 2015, recebi por inúmeras vezes o governador em meu gabinete, sendo absolutamente solidário a todos os seus pleitos em relação ao Ceará. Ao longo de todo esse tempo, mantivemos uma relação de inteira colaboração em tudo que se fez necessário para a defesa dos interesses do Estado. Ao mesmo tempo, sou testemunha da atuação do Senador José Pimentel, que igualmente se mostrou inteiramente comprometido com tais interesses e projetos.

A leviandade das afirmações do Governador, entretanto, me obriga, a bem verdade, a trazer a público conversas particulares que mantivemos, em que ele, pessoalmente, me relatava que um outro Senador do Ceará, seu então adversário e agora aliado, em tudo tentava obstaculizar projetos do interesse do Ceará, apenas para prejudicar seu governo.

O comportamento atual do governador Camilo me leva a lembrá-lo que, em diversos momentos, ele publicamente a mim se referiu como “o Senador do Estado do Ceará” ou “o Senador com quem podia contar”.

Essa sua atitude durante o debate revela uma fraqueza de caráter com o objetivo de defender uma aliança inexplicável.

Senador Tasso Jereissati.

Publicidade

Dê sua opinião

APÓS ATAQUES DO GOVERNADOR

Tasso diz que Camilo “revela fraqueza de caráter” para “defender aliança inexplicável”

O senador do PSDB disse que Camilo foi “falso” e “desleal” com ele e com o senador José Pimentel e expôs desentendimento entre o petista e Eunício

Por Jéssica Welma em Eleições 2018

4 de outubro de 2018 às 11:22

Há 1 mês
Camilo não tem citado suporte nem de Tasso Jereissati nem do correligionário José Pimentel. ( Foto Gerdan Wesley / PSDB)

Camilo não tem citado suporte nem de Tasso Jereissati nem do correligionário José Pimentel. ( Foto Gerdan Wesley / PSDB)

O senador Tasso Jereissati (PSDB) rebateu acusações do governador e candidato à reeleição, Camilo Santana (PT) de que não recebeu ajuda do senador durante gestão. Tasso disse que ataques do petista durante debate revelam “fraqueza de caráter” para “defender uma aliança inexplicável”.

No debate promovido pela TV Verdes Mares, na terça-feira (2), Camilo afirmou que Tasso “nunca ajudou em nada” e teceu elogios ao aliado informal Eunício Oliveira (MDB), presidente do Senado e candidato à reeleição.

Tasso julgou “lamentável” a atitude do governador e disse que Camilo “revelou falsidade” em relação a ele, e “deslealdade” em relação ao senador José Pimentel (PT). Pimentel, além de não ser citado por Camilo em nenhum momento, ainda que seja correligionário, foi preterido pelo PT para disputar reeleição ao cargo por estratégia do grupo aliado de Camilo Santana.

O ex-governador pontuou que, desde 2015, quando assumiu o segundo mandato como senador, recebeu “por inúmeras vezes” Camilo em seu gabinete, “sendo absolutamente solidário a todos os seus pleitos em relação ao Ceará”.

Tasso disse ainda que foi testemunha de igual esforço de Pimentel com tais interesses e projetos. O tucano evidencia, inclusive, conflitos entre Camilo e Eunício nos últimos anos.

O petista derrotou Eunício em 2014, em um disputa acirrada no segundo turno, com uma diferença de cerca de 303 mil votos. Somente em 2017 eles começaram a publicizar uma reaproximação. O auge aconteceu em 2018, quando Camilo decidiu apoiar informalmente a campanha de Eunício pela reeleição ao Senado.

Em 2016, encontro de Tasso e Camilo no Palácio da Abolição. (Foto: Divulgação)

Em 2016, encontro de Tasso e Camilo no Palácio da Abolição. (Foto: Divulgação)

“A leviandade das afirmações do Governador, entretanto, me obriga a trazer a público conversas particulares que mantivemos, em que ele, pessoalmente, me relatava que um outro Senador do Ceará, seu então adversário e agora aliado, em tudo tentava obstaculizar projetos do interesse do Ceará, apenas para prejudicar seu governo”, diz a nota de Tasso.

A postura de Camilo chamou atenção diante da série de elogios e encontros institucionais com Tasso, todos registrados pela imprensa e pelo próprio candidato nas redes sociais. Na nota, o senador lembra das vezes em que Camilo se referiu, publicamente, a ele como “o Senador com quem podia contar” e “o Senador do Estado do Ceará”.

“Essa sua atitude durante o debate revela uma fraqueza de caráter com o objetivo de defender uma aliança inexplicável”, ressaltou Tasso.

Confira a nota na íntegra:

Em respeito ao povo do Ceará

Considerei lamentável a atitude do Governador Camilo durante debate realizado na TV Verdes Mares, especialmente ao referir-se à atuação dos Senadores do Ceará.

Em relação à minha pessoa, o Governador revelou falsidade. Em relação ao Senador José Pimentel, seu companheiro de partido, revelou deslealdade.

Desde que assumi o segundo mandato de Senador, em fevereiro de 2015, recebi por inúmeras vezes o governador em meu gabinete, sendo absolutamente solidário a todos os seus pleitos em relação ao Ceará. Ao longo de todo esse tempo, mantivemos uma relação de inteira colaboração em tudo que se fez necessário para a defesa dos interesses do Estado. Ao mesmo tempo, sou testemunha da atuação do Senador José Pimentel, que igualmente se mostrou inteiramente comprometido com tais interesses e projetos.

A leviandade das afirmações do Governador, entretanto, me obriga, a bem verdade, a trazer a público conversas particulares que mantivemos, em que ele, pessoalmente, me relatava que um outro Senador do Ceará, seu então adversário e agora aliado, em tudo tentava obstaculizar projetos do interesse do Ceará, apenas para prejudicar seu governo.

O comportamento atual do governador Camilo me leva a lembrá-lo que, em diversos momentos, ele publicamente a mim se referiu como “o Senador do Estado do Ceará” ou “o Senador com quem podia contar”.

Essa sua atitude durante o debate revela uma fraqueza de caráter com o objetivo de defender uma aliança inexplicável.

Senador Tasso Jereissati.