Para Capitão Wagner, população recusou a "velha política" ao rejeitar Eunício Oliveira

O MAIOR DERROTADO

Para Capitão Wagner, população recusou a “velha política” ao rejeitar Eunício Oliveira

O deputado federal mais votado do Ceará associou a perda de Eunício Oliveira (MDB) ao desgaste da Lava Jato

Por Tribuna Bandnews FM em Eleições 2018

10 de outubro de 2018 às 15:16

Há 2 meses
Capitão Wagner em entrevista para Tribuna Band News

Capitão Wagner foi o deputado federal mais votado do Ceará (Foto: Daniel Rocha)

Capitão Wagner (Pros), deputado federal mais votado do Ceará, afirmou que a população recusou a “velha política” e não elegeu políticos “tradicionais”, como o senador Eunício Oliveira (MDB). Em entrevista à Rádio Tribuna Band News, o parlamentar avalia que os desgastes do governo Temer e o envolvimento de Eunício na operação Lava Jato foram fatores decisivos para que o presidente do Senado não fosse reeleito.

“A votação do candidato Eunício mostrou que o desgaste do governo Temer, a questão da operação Lava Jato e as delações que o envolviam foram decisivos para que tivesse a vitória de Eduardo Girão, além da competência de Eduardo”, avaliou Capitão Wagner, em entrevistaà Tribuna Band News.

Nestas eleições, Eduardo Girão (Pros), candidato recém-chegado à política cearense, conseguiu uma vaga no Congresso Nacional junto com Cid Gomes (PDT), tirando a vaga de Eunício Oliveira. O presidente do Senado ficou em 3º lugar na disputa por uma vaga, com 16,93% dos votos válidos. Com a derrota, o senador Eunício perde o foro privilegiado e o direito de ser julgados somente pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

O deputado acrescentou também que outros candidatos que havia tido eleições expressivas nas eleições passadas não tiveram a mesma quantidade de votos nestas eleições. Para ele, esse resultado deve-se a rejeição da “velha política” do eleitorado.

“Acho que as urnas deram uma lição para a velha política. Quem imaginava que iria voltar a Brasília, conforme suas conveniência e seus interesses, e que a população não iria notar, deu seus ‘burros n’água'”, afirmou.

Publicidade

Dê sua opinião

O MAIOR DERROTADO

Para Capitão Wagner, população recusou a “velha política” ao rejeitar Eunício Oliveira

O deputado federal mais votado do Ceará associou a perda de Eunício Oliveira (MDB) ao desgaste da Lava Jato

Por Tribuna Bandnews FM em Eleições 2018

10 de outubro de 2018 às 15:16

Há 2 meses
Capitão Wagner em entrevista para Tribuna Band News

Capitão Wagner foi o deputado federal mais votado do Ceará (Foto: Daniel Rocha)

Capitão Wagner (Pros), deputado federal mais votado do Ceará, afirmou que a população recusou a “velha política” e não elegeu políticos “tradicionais”, como o senador Eunício Oliveira (MDB). Em entrevista à Rádio Tribuna Band News, o parlamentar avalia que os desgastes do governo Temer e o envolvimento de Eunício na operação Lava Jato foram fatores decisivos para que o presidente do Senado não fosse reeleito.

“A votação do candidato Eunício mostrou que o desgaste do governo Temer, a questão da operação Lava Jato e as delações que o envolviam foram decisivos para que tivesse a vitória de Eduardo Girão, além da competência de Eduardo”, avaliou Capitão Wagner, em entrevistaà Tribuna Band News.

Nestas eleições, Eduardo Girão (Pros), candidato recém-chegado à política cearense, conseguiu uma vaga no Congresso Nacional junto com Cid Gomes (PDT), tirando a vaga de Eunício Oliveira. O presidente do Senado ficou em 3º lugar na disputa por uma vaga, com 16,93% dos votos válidos. Com a derrota, o senador Eunício perde o foro privilegiado e o direito de ser julgados somente pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

O deputado acrescentou também que outros candidatos que havia tido eleições expressivas nas eleições passadas não tiveram a mesma quantidade de votos nestas eleições. Para ele, esse resultado deve-se a rejeição da “velha política” do eleitorado.

“Acho que as urnas deram uma lição para a velha política. Quem imaginava que iria voltar a Brasília, conforme suas conveniência e seus interesses, e que a população não iria notar, deu seus ‘burros n’água'”, afirmou.