"Novo candidato do PT não terá a mesma votação de Lula", diz Alckmin após decisão do TSE

MUDANÇA DE CENÁRIO

“Novo candidato do PT não terá a mesma votação de Lula”, diz Alckmin após decisão do TSE

O tucano analisou o novo cenário nas eleições deste ano, após a decisão do TSE, e apontou o nome de Fernando Haddad como o provável novo candidato do PT à Presidência da República

Por Tribuna do Ceará em Eleições 2018

1 de setembro de 2018 às 11:20

Há 3 semanas
Geraldo Alckmin concedeu entrevista ao Sistema Jangadeiro neste sábado (FOTO: Roberta Tavares/Tribuna do Ceará)

Geraldo Alckmin concedeu entrevista ao Sistema Jangadeiro neste sábado (FOTO: Roberta Tavares/Tribuna do Ceará)

O candidato à Presidência da República pelo PSDB, Geraldo Alckmin, disse que a decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de barrar a candidatura de Lula gera um novo cenário na disputa.

“Evidente que o candidato do PT, não sendo o ex-presidente Lula, não terá a mesma votação. Então é um quadro diferente”, disse em visita ao Sistema Jangadeiro neste sábado (1).

O julgamento do petista foi concluído na madrugada deste sábado, com 6 votos a 1. Por maioria, os ministros também proibiram Lula de fazer campanha como candidato no horário eleitoral. O PT terá agora 10 dias para substituí-lo.

“O aspecto positivo é que clareou o problema, porque estamos no início da campanha eleitoral e ninguém sabia quem era o candidato. Ficou claro que deve ser o Fernando Haddad [candidato a vice-presidente pelo PT]”, analisou Alckmin. Lula está preso desde abril deste ano, por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. 

A propaganda eleitoral de rádio e TV começa neste sábado (1º) para os presidenciáveis. Para Alckmin, o mês de setembro é crucial para a decisão dos eleitores. “A campanha eleitoral agora que vai começar. A atenção das pessoas, a presença na TV e no rádio, os debates, o interesse pela eleição: setembro é o mês da definição dos votos. As últimas eleições nos mostraram que o que vale mesmo é o final”.

Slogan

Na entrevista concedida ao Sistema Jangadeiro, o tucano ainda comentou sobre o vídeo divulgado pela campanha, com o slogan “Não é na bala que se resolve”. Indagado pela reportagem sobre uma possível indireta ao candidato Jair Bolsonaro (PSL), conhecido pelo posicionamento a favor do armamento de civis, o tucano, no entanto, explicou que procura falar com o eleitor. “O objetivo é mostrar que sempre houve um esforço conciliatório no Brasil. Não será na bala que vai melhorar o hospital, saúde, creche, geração de mais empregos. O Brasil não pode perder tempo. O Brasil tem pressa”, concluiu.

Publicidade

Dê sua opinião

MUDANÇA DE CENÁRIO

“Novo candidato do PT não terá a mesma votação de Lula”, diz Alckmin após decisão do TSE

O tucano analisou o novo cenário nas eleições deste ano, após a decisão do TSE, e apontou o nome de Fernando Haddad como o provável novo candidato do PT à Presidência da República

Por Tribuna do Ceará em Eleições 2018

1 de setembro de 2018 às 11:20

Há 3 semanas
Geraldo Alckmin concedeu entrevista ao Sistema Jangadeiro neste sábado (FOTO: Roberta Tavares/Tribuna do Ceará)

Geraldo Alckmin concedeu entrevista ao Sistema Jangadeiro neste sábado (FOTO: Roberta Tavares/Tribuna do Ceará)

O candidato à Presidência da República pelo PSDB, Geraldo Alckmin, disse que a decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de barrar a candidatura de Lula gera um novo cenário na disputa.

“Evidente que o candidato do PT, não sendo o ex-presidente Lula, não terá a mesma votação. Então é um quadro diferente”, disse em visita ao Sistema Jangadeiro neste sábado (1).

O julgamento do petista foi concluído na madrugada deste sábado, com 6 votos a 1. Por maioria, os ministros também proibiram Lula de fazer campanha como candidato no horário eleitoral. O PT terá agora 10 dias para substituí-lo.

“O aspecto positivo é que clareou o problema, porque estamos no início da campanha eleitoral e ninguém sabia quem era o candidato. Ficou claro que deve ser o Fernando Haddad [candidato a vice-presidente pelo PT]”, analisou Alckmin. Lula está preso desde abril deste ano, por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. 

A propaganda eleitoral de rádio e TV começa neste sábado (1º) para os presidenciáveis. Para Alckmin, o mês de setembro é crucial para a decisão dos eleitores. “A campanha eleitoral agora que vai começar. A atenção das pessoas, a presença na TV e no rádio, os debates, o interesse pela eleição: setembro é o mês da definição dos votos. As últimas eleições nos mostraram que o que vale mesmo é o final”.

Slogan

Na entrevista concedida ao Sistema Jangadeiro, o tucano ainda comentou sobre o vídeo divulgado pela campanha, com o slogan “Não é na bala que se resolve”. Indagado pela reportagem sobre uma possível indireta ao candidato Jair Bolsonaro (PSL), conhecido pelo posicionamento a favor do armamento de civis, o tucano, no entanto, explicou que procura falar com o eleitor. “O objetivo é mostrar que sempre houve um esforço conciliatório no Brasil. Não será na bala que vai melhorar o hospital, saúde, creche, geração de mais empregos. O Brasil não pode perder tempo. O Brasil tem pressa”, concluiu.