Sobral assume liderança nacional no ranking da educação básica do 1° ao 9° ano

REFERÊNCIA EM EDUCAÇÃO

Sobral assume liderança nacional no ranking da educação básica do 1° ao 9° ano

O Ceará, que já era referência, tem 19 cidades entre as 100 com as melhores médias do Brasil nos anos iniciais, segundo o Ideb 2017

Por Tribuna do Ceará em Educação

4 de setembro de 2018 às 07:15

Há 2 meses
Em 2016, o Tribuna do Ceará conheceu escolas bem avaliadas no Ideb, no Ceará. (Foto: Jéssica Welma / Tribuna do Ceará)

Em 2016, o Tribuna do Ceará conheceu escolas bem avaliadas no Ideb, no Ceará. (Foto: Jéssica Welma / Tribuna do Ceará)

O Ceará se mantém como referência no desenvolvimento da educação básica no Brasil. A cidade de Sobral, na Região Norte, além de manter a liderança no desempenho dos anos iniciais da educação básica (2° ao 5°), alcançou a primeira posição no Ideb também nos anos finais, do 6° ao 9° ano.

> Confira a reportagem Vale da Rapadura que conheceu a realidade das melhores escolas em 2016

Nesta segunda-feira (3), o Ministério da Educação divulgou o Ideb 2017 (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica), indicador produzido a cada dois anos para o ensino fundamental e o ensino médio. O ranking considera a taxa de aprovação das escolas e a média de desempenho dos alunos em matemática e português conforme avaliação do Saeb (Sistema de Avaliação da Educação Básica).

Em 2015, o Ceará teve 77 das 100 melhores escolas avaliadas, dentre as quais os 24 primeiros lugares nos primeiros anos do ensino fundamental. Em 2017, o município manteve a liderança no anos iniciais, com a média 9,1.

O destaque, dessa vez, está na liderança de Sobral também nos anos finais. A educação na cidade atingiu a média de 7,2 e superou a cidade de Nova Ponte (MG), primeira colocada em 2017.

No novo ranking, entre as 100 cidades com maiores médias nos anos iniciais, 19 são do Ceará. O estado mais rico do país, São Paulo, tem 26 cidades entre as 100 maiores médias.

No anos finais, o Ceará tem 14 cidades no Top 100. São Paulo tem 32 municípios na lista.

Ensino médio

O Ideb 2017 mostra que somente dois em cada dez municípios no Brasil conseguiram avançar e superar as metas ao fim do ensino fundamental. No anos iniciais, até o 5° ano, mais da metade das redes municipais teve sucesso.

A situação reflete uma tendência já apontada no país: os índices ganham destaque nos primeiros anos, caem no final do ensino fundamental e praticamente estagnam no ensino médio.

O Ideb da rede pública nos anos finais avançou de 4,2 para 4,4, mas não chegou na meta de 4,7. Já nos anos iniciais, a média cresceu de 5,3 para 5,5 e bateu a meta de 5,2.

No ensino médio, a situação é grave. O Ideb estagnou em 3,5. A etapa é apontada como maior desafio no Brasil.

O ministro da Educação, Rossieli Soares, em coletiva de imprensa, disse que o nível de aprendizagem médio do país ainda se situa no limite inferior do nível básico, apesar de poucos avanços.

“O ensino médio está no fundo do poço. É inaceitável que mais de 70% dos estudantes do ensino médio estejam no nível insuficiente tanto em língua portuguesa quanto em matemática, após 12 anos de escolaridade”, destacou.

Segundo os dados do MEC, só 9 das 27 redes estaduais de ensino conseguiram evoluir no desempenho dos estudantes do ensino médio em português e matemática. São eles: Ceará, Sergipe, Acre, Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Alagoas, Espírito Santo e Tocantins. Com informações da Folha de S. Paulo.

Publicidade

Dê sua opinião

REFERÊNCIA EM EDUCAÇÃO

Sobral assume liderança nacional no ranking da educação básica do 1° ao 9° ano

O Ceará, que já era referência, tem 19 cidades entre as 100 com as melhores médias do Brasil nos anos iniciais, segundo o Ideb 2017

Por Tribuna do Ceará em Educação

4 de setembro de 2018 às 07:15

Há 2 meses
Em 2016, o Tribuna do Ceará conheceu escolas bem avaliadas no Ideb, no Ceará. (Foto: Jéssica Welma / Tribuna do Ceará)

Em 2016, o Tribuna do Ceará conheceu escolas bem avaliadas no Ideb, no Ceará. (Foto: Jéssica Welma / Tribuna do Ceará)

O Ceará se mantém como referência no desenvolvimento da educação básica no Brasil. A cidade de Sobral, na Região Norte, além de manter a liderança no desempenho dos anos iniciais da educação básica (2° ao 5°), alcançou a primeira posição no Ideb também nos anos finais, do 6° ao 9° ano.

> Confira a reportagem Vale da Rapadura que conheceu a realidade das melhores escolas em 2016

Nesta segunda-feira (3), o Ministério da Educação divulgou o Ideb 2017 (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica), indicador produzido a cada dois anos para o ensino fundamental e o ensino médio. O ranking considera a taxa de aprovação das escolas e a média de desempenho dos alunos em matemática e português conforme avaliação do Saeb (Sistema de Avaliação da Educação Básica).

Em 2015, o Ceará teve 77 das 100 melhores escolas avaliadas, dentre as quais os 24 primeiros lugares nos primeiros anos do ensino fundamental. Em 2017, o município manteve a liderança no anos iniciais, com a média 9,1.

O destaque, dessa vez, está na liderança de Sobral também nos anos finais. A educação na cidade atingiu a média de 7,2 e superou a cidade de Nova Ponte (MG), primeira colocada em 2017.

No novo ranking, entre as 100 cidades com maiores médias nos anos iniciais, 19 são do Ceará. O estado mais rico do país, São Paulo, tem 26 cidades entre as 100 maiores médias.

No anos finais, o Ceará tem 14 cidades no Top 100. São Paulo tem 32 municípios na lista.

Ensino médio

O Ideb 2017 mostra que somente dois em cada dez municípios no Brasil conseguiram avançar e superar as metas ao fim do ensino fundamental. No anos iniciais, até o 5° ano, mais da metade das redes municipais teve sucesso.

A situação reflete uma tendência já apontada no país: os índices ganham destaque nos primeiros anos, caem no final do ensino fundamental e praticamente estagnam no ensino médio.

O Ideb da rede pública nos anos finais avançou de 4,2 para 4,4, mas não chegou na meta de 4,7. Já nos anos iniciais, a média cresceu de 5,3 para 5,5 e bateu a meta de 5,2.

No ensino médio, a situação é grave. O Ideb estagnou em 3,5. A etapa é apontada como maior desafio no Brasil.

O ministro da Educação, Rossieli Soares, em coletiva de imprensa, disse que o nível de aprendizagem médio do país ainda se situa no limite inferior do nível básico, apesar de poucos avanços.

“O ensino médio está no fundo do poço. É inaceitável que mais de 70% dos estudantes do ensino médio estejam no nível insuficiente tanto em língua portuguesa quanto em matemática, após 12 anos de escolaridade”, destacou.

Segundo os dados do MEC, só 9 das 27 redes estaduais de ensino conseguiram evoluir no desempenho dos estudantes do ensino médio em português e matemática. São eles: Ceará, Sergipe, Acre, Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Alagoas, Espírito Santo e Tocantins. Com informações da Folha de S. Paulo.