Projeto social oferece capacitação a jovens de comunidades rurais no Ceará

EMPREENDEDOR RURAL

Projeto social oferece capacitação a jovens de comunidades rurais no Ceará

O projeto incentiva adolescentes a descobrirem seus talentos, contribuindo para o desenvolvimento social e econômico das comunidades

Por lya.cardoso em Educação

9 de Abril de 2018 às 07:15

Há 7 meses
Pessoas em aula do projeto jovem empreendedor rural

São cerca de 200 empreendimentos rurais criados e mais de 1000 jovens em situação de vulnerabilidade apoiados (FOTO: Divulgação)

O projeto Jovens Empreendedores e Protagonistas Rurais nas Escolas faz parte do portfólio de ações do Programa Jovem Empreendedor Rural (PJER) que atua em colégios dos municípios cearenses. O programa foi criado pela Agência de Desenvolvimento Econômico Rural (Adel) e visa a formação empreendedora de jovens que vivem em comunidades rurais sob situação de vulnerabilidade.

A partir de março deste ano, em sua nova fase, o programa ampliou sua abrangência para atender cerca de 400 adolescentes de 14 a 17 anos de escolas públicas do interior do Ceará.

O projeto consiste em oficinas com estudantes e professores de escolas formais do Semiárido Cearense, a partir da estratégia de introduzir temas como convivência sustentável, desenvolvimento local, empreendedorismo rural de jovens, protagonismo social, direitos humanos e convivência com o clima da região.

São apresentados conceitos, ferramentas e abordagens, com o intuito de incorporar nos conteúdos formais e no dia a dia escolar valores e práticas relacionadas aos temas citados. 

Trabalho, renda e mobilidade social são temas que, desde cedo, os jovens que vivem em comunidades rurais começam a refletir. A escola, enquanto instituição de socialização e formação de futuros profissionais e cidadãos, deve cumprir o papel de se aproximar das comunidades.

Assim, a Adel, em parceria com a Secretaria de Estado de Educação (Seduc), inclui a escola como espaço essencial estratégico no PJER, aproximando estudantes, professores, gestores educacionais e toda a comunidade escolar.

O programa apoia jovens rurais, que, comumente, se veem obrigados a deixar suas comunidades em busca do que seria um futuro melhor.

O PJER os auxilia na descoberta de novas possibilidades dentro de seus próprios territórios, por meio de projetos que estimulam o empreendedorismo e o desenvolvimento local. “Um dos nossos principais objetivos é que os jovens permaneçam no meio rural, como agentes de transformações positivas”, afirma Adriano Batista, cofundador e diretor executivo da Adel.

Alcançar adolescentes na escola formal é uma estratégia para iniciar a discussão sobre trajetórias e projetos de vida desde cedo. Entre 14 e 17 anos, eles e elas já são influenciados sobre as perspectivas relacionadas à vida no meio rural.

“É um investimento estratégico na preparação de jovens, enquanto ainda são estudantes do fim do ensino fundamental e do ensino médio, para que possam ter acesso a mais informação e, assim, fazer, melhores escolhas para o futuro”, destaca Glaúcio Gomes, diretor de desenvolvimento da Adel.

Publicidade

Dê sua opinião

EMPREENDEDOR RURAL

Projeto social oferece capacitação a jovens de comunidades rurais no Ceará

O projeto incentiva adolescentes a descobrirem seus talentos, contribuindo para o desenvolvimento social e econômico das comunidades

Por lya.cardoso em Educação

9 de Abril de 2018 às 07:15

Há 7 meses
Pessoas em aula do projeto jovem empreendedor rural

São cerca de 200 empreendimentos rurais criados e mais de 1000 jovens em situação de vulnerabilidade apoiados (FOTO: Divulgação)

O projeto Jovens Empreendedores e Protagonistas Rurais nas Escolas faz parte do portfólio de ações do Programa Jovem Empreendedor Rural (PJER) que atua em colégios dos municípios cearenses. O programa foi criado pela Agência de Desenvolvimento Econômico Rural (Adel) e visa a formação empreendedora de jovens que vivem em comunidades rurais sob situação de vulnerabilidade.

A partir de março deste ano, em sua nova fase, o programa ampliou sua abrangência para atender cerca de 400 adolescentes de 14 a 17 anos de escolas públicas do interior do Ceará.

O projeto consiste em oficinas com estudantes e professores de escolas formais do Semiárido Cearense, a partir da estratégia de introduzir temas como convivência sustentável, desenvolvimento local, empreendedorismo rural de jovens, protagonismo social, direitos humanos e convivência com o clima da região.

São apresentados conceitos, ferramentas e abordagens, com o intuito de incorporar nos conteúdos formais e no dia a dia escolar valores e práticas relacionadas aos temas citados. 

Trabalho, renda e mobilidade social são temas que, desde cedo, os jovens que vivem em comunidades rurais começam a refletir. A escola, enquanto instituição de socialização e formação de futuros profissionais e cidadãos, deve cumprir o papel de se aproximar das comunidades.

Assim, a Adel, em parceria com a Secretaria de Estado de Educação (Seduc), inclui a escola como espaço essencial estratégico no PJER, aproximando estudantes, professores, gestores educacionais e toda a comunidade escolar.

O programa apoia jovens rurais, que, comumente, se veem obrigados a deixar suas comunidades em busca do que seria um futuro melhor.

O PJER os auxilia na descoberta de novas possibilidades dentro de seus próprios territórios, por meio de projetos que estimulam o empreendedorismo e o desenvolvimento local. “Um dos nossos principais objetivos é que os jovens permaneçam no meio rural, como agentes de transformações positivas”, afirma Adriano Batista, cofundador e diretor executivo da Adel.

Alcançar adolescentes na escola formal é uma estratégia para iniciar a discussão sobre trajetórias e projetos de vida desde cedo. Entre 14 e 17 anos, eles e elas já são influenciados sobre as perspectivas relacionadas à vida no meio rural.

“É um investimento estratégico na preparação de jovens, enquanto ainda são estudantes do fim do ensino fundamental e do ensino médio, para que possam ter acesso a mais informação e, assim, fazer, melhores escolhas para o futuro”, destaca Glaúcio Gomes, diretor de desenvolvimento da Adel.