Professora desenvolve sorvete de planta do Sertão Central

INOVAÇÃO

Professora desenvolve sorvete de planta do Sertão Central

O sorvete é feito do fruto das palmas forrageiras. “É delicioso e ainda tem uma cor rosa linda, que é totalmente natural e atrativa”, afirma a professora Liliana Fernandes

Por Tribuna do Ceará em Educação

28 de novembro de 2018 às 07:15

Há 2 semanas
O sorvete foi criado pela professora Liliana Fernandes, da Fatec (FOTO: Divulgação)

O sorvete foi criado pela professora Liliana Fernandes, da Fatec (FOTO: Divulgação)

Uma professora desenvolveu um sorvete de uma planta no Sertão de Quixeramobim, no interior do Ceará. Liliana Fernandes observou as palmas forrageiras ao redor da Faculdade de Tecnologia Centec (Fatec), uma planta rica em nutrientes e utilizada tradicionalmente para a alimentação de animais – e pensou: por que não utilizá-las na alimentação humana?

Foi o bastante para colher espécimes, levar ao laboratório de Tecnologia em Alimentos e iniciar os testes e análises sensoriais. 

Um dos principais resultados foi apresentado no stand do Instituto Centec, na Feira do Conhecimento 2018: o sorvete do fruto da palma. Tanto o fruto, como a palma em si, foram aproveitados em recheios de salgados, doces, brigadeiros e bolinho de arroz.

“Infelizmente, existe muito preconceito alimentar contra a palma. Mas ela é extremamente rica em nutrientes e abundante no nosso sertão. O nosso objetivo é demonstrar que ela pode ser utilizada na alimentação humana e estimular o seu uso no dia a dia. O sorvete é delicioso e ainda tem uma cor rosa linda, que é totalmente natural e atrativa para todos os públicos”, conclui Liliane.

Sorvete feita por professora (FOTO: Divulgação)

Tanto o fruto, como a palma em si, foram aproveitados em recheios de salgados, doces, brigadeiros e bolinho de arroz (FOTO: Divulgação)

Publicidade

Dê sua opinião

INOVAÇÃO

Professora desenvolve sorvete de planta do Sertão Central

O sorvete é feito do fruto das palmas forrageiras. “É delicioso e ainda tem uma cor rosa linda, que é totalmente natural e atrativa”, afirma a professora Liliana Fernandes

Por Tribuna do Ceará em Educação

28 de novembro de 2018 às 07:15

Há 2 semanas
O sorvete foi criado pela professora Liliana Fernandes, da Fatec (FOTO: Divulgação)

O sorvete foi criado pela professora Liliana Fernandes, da Fatec (FOTO: Divulgação)

Uma professora desenvolveu um sorvete de uma planta no Sertão de Quixeramobim, no interior do Ceará. Liliana Fernandes observou as palmas forrageiras ao redor da Faculdade de Tecnologia Centec (Fatec), uma planta rica em nutrientes e utilizada tradicionalmente para a alimentação de animais – e pensou: por que não utilizá-las na alimentação humana?

Foi o bastante para colher espécimes, levar ao laboratório de Tecnologia em Alimentos e iniciar os testes e análises sensoriais. 

Um dos principais resultados foi apresentado no stand do Instituto Centec, na Feira do Conhecimento 2018: o sorvete do fruto da palma. Tanto o fruto, como a palma em si, foram aproveitados em recheios de salgados, doces, brigadeiros e bolinho de arroz.

“Infelizmente, existe muito preconceito alimentar contra a palma. Mas ela é extremamente rica em nutrientes e abundante no nosso sertão. O nosso objetivo é demonstrar que ela pode ser utilizada na alimentação humana e estimular o seu uso no dia a dia. O sorvete é delicioso e ainda tem uma cor rosa linda, que é totalmente natural e atrativa para todos os públicos”, conclui Liliane.

Sorvete feita por professora (FOTO: Divulgação)

Tanto o fruto, como a palma em si, foram aproveitados em recheios de salgados, doces, brigadeiros e bolinho de arroz (FOTO: Divulgação)