Policial ganha prêmio por projeto social para jovens da periferia de Fortaleza

GENTE QUE FAZ

Policial ganha prêmio por projeto social para jovens da periferia de Fortaleza

Leonardo Márcio conquistou o 1º lugar nacional na categoria Inovação do Prêmio Heróis Reais, com o projeto Guardião Juvenil

Por Daniel Rocha em Educação

16 de Janeiro de 2018 às 06:45

Há 1 mês

O projeto Guardião Juvenil foi criada em 2011 (Foto: Reprodução/Facebook)

Com o intuito de oferecer uma perspectiva diferente para adolescentes e jovens da periferia de Fortaleza, o policial militar Leonardo Márcio teve a iniciativa de criar um projeto social que ofereça aulas sobre cidadania, ética, primeiros socorros e acompanhamento escolar.

O primeiro trabalho iniciou em 2011 com dois alunos. Hoje, o militar já conta com quase 200 jovens no projeto social Guardião Juvenil. No último mês de novembro, Leonardo conquistou o 1º lugar do País na categoria Inovação do Prêmio Heróis Reais.

Segundo ele, o seu trabalho concorreu com outros 200 de todas as regiões do Brasil. Passou pela etapa local, regional e, por fim, chegou a etapa nacional, conquistando o primeiro lugar na categoria.

A premiação Heróis Reais objetiva valorizar iniciativas de policiais e agentes de segurança. Segundo o evento, os vencedores foram escolhidos por meio de voto popular por meio do site oficial da premiação. O trabalho do policial do militar visa desenvolver a cidadania nos adolescentes e jovens de Fortaleza.

“A gente quer dá um norte para esses jovens. No projeto, temos instruções de primeiro socorro, ética, cidadania e acompanhamento escolar”, ressalta Leonardo. Segundo o idealizador, todo semestre, o projeto recebe uma turma com cerca de 140 adolescentes em que terão aulas duas vezes por semana durante cinco meses.

Os voluntários do projeto irão ensinar aos jovens assuntos que não ofertados em sala de aula ou reforçar aquilo que já foi dado. As aulas acontecem aos sábados e aos domingos.

“A gente divulga o nosso projeto nas escolas públicas da capital. O projeto atende jovens de 13 a 21 anos. Eles vêm de vários bairros da Grande Fortaleza para poder participar do projeto Guardião Juvenil”, explica. Por se tratar de uma Organização Não-Governamental (ONG), o Guardião Juvenil depende de doações para funcionar.

O policial decidiu doar seu tempo para combater a criminalidade (Foto: Reprodução/Facebook)

Além disso, os familiares dos jovens são convidados a contribuir com uma quantia de R$ 5 para ajudar na execução das atividades. “Caso não consiga, não há problema. O estudante vai participar do mesmo jeito”,  pontua.

Segundo o policial, a iniciativa surgiu para dar mais oportunidade aos jovens da periferia que estão mais vulneráveis à violência. Foi uma forma de dar continuidade a um trabalho social que já havia participado há 30 anos.

“Antigamente, participei de um projeto semelhante. O tempo passou e tive a vontade de dar continuidade. Eu decidi doar meu tempo para alguém porque a violência está demais. Dar uma oportunidade aos jovens da periferia”, concluiu.

Por ter ficado em primeiro lugar no prêmio, o policial militar ganhou uma viagem para os Estados Unidos, para a maior feira de armas do mundo, em Las Vegas. Após esse período, Leonardo e sua esposa irão conhecer e participar de um treinamento da unidade da Swat, no Texas. A viagem está prevista para acontecer no dia 16 de janeiro deste ano.

Publicidade

Dê sua opinião

GENTE QUE FAZ

Policial ganha prêmio por projeto social para jovens da periferia de Fortaleza

Leonardo Márcio conquistou o 1º lugar nacional na categoria Inovação do Prêmio Heróis Reais, com o projeto Guardião Juvenil

Por Daniel Rocha em Educação

16 de Janeiro de 2018 às 06:45

Há 1 mês

O projeto Guardião Juvenil foi criada em 2011 (Foto: Reprodução/Facebook)

Com o intuito de oferecer uma perspectiva diferente para adolescentes e jovens da periferia de Fortaleza, o policial militar Leonardo Márcio teve a iniciativa de criar um projeto social que ofereça aulas sobre cidadania, ética, primeiros socorros e acompanhamento escolar.

O primeiro trabalho iniciou em 2011 com dois alunos. Hoje, o militar já conta com quase 200 jovens no projeto social Guardião Juvenil. No último mês de novembro, Leonardo conquistou o 1º lugar do País na categoria Inovação do Prêmio Heróis Reais.

Segundo ele, o seu trabalho concorreu com outros 200 de todas as regiões do Brasil. Passou pela etapa local, regional e, por fim, chegou a etapa nacional, conquistando o primeiro lugar na categoria.

A premiação Heróis Reais objetiva valorizar iniciativas de policiais e agentes de segurança. Segundo o evento, os vencedores foram escolhidos por meio de voto popular por meio do site oficial da premiação. O trabalho do policial do militar visa desenvolver a cidadania nos adolescentes e jovens de Fortaleza.

“A gente quer dá um norte para esses jovens. No projeto, temos instruções de primeiro socorro, ética, cidadania e acompanhamento escolar”, ressalta Leonardo. Segundo o idealizador, todo semestre, o projeto recebe uma turma com cerca de 140 adolescentes em que terão aulas duas vezes por semana durante cinco meses.

Os voluntários do projeto irão ensinar aos jovens assuntos que não ofertados em sala de aula ou reforçar aquilo que já foi dado. As aulas acontecem aos sábados e aos domingos.

“A gente divulga o nosso projeto nas escolas públicas da capital. O projeto atende jovens de 13 a 21 anos. Eles vêm de vários bairros da Grande Fortaleza para poder participar do projeto Guardião Juvenil”, explica. Por se tratar de uma Organização Não-Governamental (ONG), o Guardião Juvenil depende de doações para funcionar.

O policial decidiu doar seu tempo para combater a criminalidade (Foto: Reprodução/Facebook)

Além disso, os familiares dos jovens são convidados a contribuir com uma quantia de R$ 5 para ajudar na execução das atividades. “Caso não consiga, não há problema. O estudante vai participar do mesmo jeito”,  pontua.

Segundo o policial, a iniciativa surgiu para dar mais oportunidade aos jovens da periferia que estão mais vulneráveis à violência. Foi uma forma de dar continuidade a um trabalho social que já havia participado há 30 anos.

“Antigamente, participei de um projeto semelhante. O tempo passou e tive a vontade de dar continuidade. Eu decidi doar meu tempo para alguém porque a violência está demais. Dar uma oportunidade aos jovens da periferia”, concluiu.

Por ter ficado em primeiro lugar no prêmio, o policial militar ganhou uma viagem para os Estados Unidos, para a maior feira de armas do mundo, em Las Vegas. Após esse período, Leonardo e sua esposa irão conhecer e participar de um treinamento da unidade da Swat, no Texas. A viagem está prevista para acontecer no dia 16 de janeiro deste ano.