Pais produzem histórias em quadrinhos em que filhos são os próprios personagens

Pais produzem histórias em quadrinhos em que filhos são os próprios personagens

Renato, Daniel e Marcela fazem da prática da leitura um estilo de vida. Pais-corujas, eles retrataram as vivências dos filhos em histórias em quadrinhos

Por Roberta Tavares em Educação

4 de outubro de 2015 às 07:00

Há 2 anos
Daniel Brandão criou histórias em quadrinhos a partir de vivências da filha Liz (FOTO: Arquivo pessoal)

Daniel Brandão criou histórias em quadrinhos a partir de vivências da filha Liz (FOTO: Arquivo pessoal)

Qual criança nunca quis ser personagem de uma história em quadrinho? Seria a dentuça Mônica a única privilegiada, com a personagem criada por Maurício de Sousa? Não mais. Liz, de 11 anos, é a mais nova pequena a ter o rosto retratado em páginas coloridas.

Fã incondicional de desenhos, o cearense Daniel Brandão decidiu registrar em quadrinhos a vida da filha. Em meio às brincadeiras da menina, o pai estudava o comportamento dela e decidiu arriscar. “Achava as tiradas muito engraçadas e inteligentes. Como adoro o trabalho do Bill Watterson [autor da tirinha Calvin e Hobbes] e do Maurício de Sousa, senti-me inspirado”, conta.

No início, a intenção era fazer algo apenas para a família. Desenhava cartões de datas comemorativas com os diálogos de Liz. Depois de divulgar os primeiros materiais na internet, percebeu o quanto universal eles eram. Encorajou-se a produzir cada vez mais histórias da filha. “Em 2012, lancei uma pequena revista, que esgotou rapidamente. Por isso, decidi fazer um livro independente, e o lancei no ano seguinte, em Minas Gerais. Foi um enorme sucesso”, lembra. Em 2014, o material foi lançado na Bienal do Livro, em Fortaleza. “Pelo que sei, está indo super bem”, comemora. Para fazer a edição e produzir os mil exemplares, desembolsou R$ 8 mil.

A pequena Liz, no entanto, não se limita a ser apenas personagem. Ela também já atuou como editora e co-roteirista em algumas tirinhas. Chegou, inclusive, a produzir a arte-final e escolher as cores. O pai, quadrinista e ilustrador, que já trabalhou para o mercado americano na Marvel e DC Comics, também é personagem na história em quadrinhos, junto à esposa. O livro ‘Liz’ é composto de tiras e histórias com expressões, piadas e visões de mundo da garota, dentro do seu universo familiar, escolar e da imaginação. “As histórias são mostradas primeiro para ela e, se não gostar, não são publicadas. Liz e eu adoramos essa parceria e interação. Dessa forma, o trabalho vira um evento familiar”, conta.

O resultado não poderia ser melhor: o livro está disponível em várias escolas, inclusive na da própria personagem. “Ela adorou. Isso está registrado no prefácio, que foi escrito por ela. Já conversamos muitas vezes, e ela adora ser a Liz. Tanto a de verdade, quanto a personagem”, brinca o pai-coruja. Com o sucesso da primeira história, a ideia de Daniel é lançar, daqui a um ano, um novo livro da Liz. “Me sinto realizado. Sou apaixonado pela minha profissão, e contar histórias em quadrinhos é o que mais gosto de fazer. Se eu posso criar e contar essas histórias para a Liz, isso me deixa muito feliz”, conclui.

LIZ
1/13

LIZ

Livro retrata o dia a dia da garota, a partir de observações do pai-coruja Daniel Brandão (IMAGEM: Arquivo pessoal)

LIZ
2/13

LIZ

Livro retrata o dia a dia da garota, a partir de observações do pai-coruja Daniel Brandão (IMAGEM: Arquivo pessoal)

LIZ
3/13

LIZ

Livro retrata o dia a dia da garota, a partir de observações do pai-coruja Daniel Brandão (IMAGEM: Arquivo pessoal)

LIZ
4/13

LIZ

Livro retrata o dia a dia da garota, a partir de observações do pai-coruja Daniel Brandão (IMAGEM: Arquivo pessoal)

LIZ
5/13

LIZ

Livro retrata o dia a dia da garota, a partir de observações do pai-coruja Daniel Brandão (IMAGEM: Arquivo pessoal)

LIZ
6/13

LIZ

Livro retrata o dia a dia da garota, a partir de observações do pai-coruja Daniel Brandão (IMAGEM: Arquivo pessoal)

LIZ
7/13

LIZ

Livro retrata o dia a dia da garota, a partir de observações do pai-coruja Daniel Brandão (IMAGEM: Arquivo pessoal)

LIZ
8/13

LIZ

Daniel Brandão, apaixonado por quadrinhos, criou um livro com histórias da filha Liz (FOTO: Arquivo pessoal)

LIZ
9/13

LIZ

Daniel Brandão, apaixonado por quadrinhos, criou um livro com histórias da filha Liz (FOTO: Arquivo pessoal)

LIZ
10/13

LIZ

Liz é co-autora do livro (FOTO: Arquivo pessoal)

LIZ
11/13

LIZ

Livro retrata o dia a dia da garota, a partir de observações do pai-coruja Daniel Brandão (IMAGEM: Arquivo pessoal)

LIZ
12/13

LIZ

Daniel Brandão, apaixonado por quadrinhos, criou um livro com histórias da filha Liz (FOTO: Arquivo pessoal)

LIZ
13/13

LIZ

Daniel Brandão, apaixonado por quadrinhos, criou um livro com histórias da filha Liz (FOTO: Arquivo pessoal)

Medo do escuro

E Daniel não é o único a usar a criatividade para demonstrar o amor e o cuidado pelo filho. O designer Renato Carvalho contava histórias para Clarice dormir. Inventava na hora, usando a imaginação. Algumas ficavam mais elaboradas, com o passar do tempo, após a adição de detalhes e de experiências vivenciadas pela garota, agora com 15 anos.

“Os personagens dela foram ganhando vida e se tornaram tão reais e importantes quanto os da Disney ou os do Maurício de Sousa”. O ritual das historinhas na hora de dormir durou cerca de três anos, até o dia em que a menina começou a preferir ler livros e quadrinhos sozinha ou a pegar no sono assistindo a filmes. Preocupado em não deixar cair no esquecimento, o pai resolveu registrar no papel as preferidas de Clarice, para que ela pudesse relembrar no futuro.

“Os personagens dela foram ganhando vida e se tornaram tão reais quanto os da Disney ou os do Maurício de Sousa”. (Renato Carvalho, designer)

Tinha o ‘Indiozinho Curumim’, a ‘Estrelinha Triste’ e a ‘Duda e o Bichinho do Medo’. Entretanto, com uma dessas histórias aconteceu algo especial. “Ela estava na fase em que acordava de madrugada e ficava com medo do escuro e de ficar sozinha no próprio quarto. Eu inventei, então, a Duda, que era uma menininha que estava passando por esse mesmo problema”, relata.

Renato Carvalho escreveu livro para a filha perder o medo do escuro (FOTO: Arquivo pessoal)

Renato Carvalho escreveu livro para a filha perder o medo do escuro (FOTO: Arquivo pessoal)

A partir daí surgiu o Bichinho do Medo, que – segundo a imaginação de Renato – ficava escondido debaixo da cama da garota, fazendo com que a menina descobrisse que o sentimento é útil e importante para ajudar a evitar situações perigosas, mas também é brincalhão e a faz se assustar à toa. “Assim, ela entende que, ao sentir medo, é preciso refletir sobre a situação e se proteger se for um perigo real, mas superar o sentimento, se não for”, conta.

A história criada pelo pai ajudou não apenas Clarice, mas muitos filhos de conhecidos de Renato, que também passavam pela mesma fase. “Enviava por e-mail para os pais lerem a história, e muitos retornaram dizendo que o material cumpriu o objetivo: as crianças passaram a superar esse medo”.

Devido às respostas positivas, Renato e a esposa desenvolveram e publicaram o e-book “Duda e o Bichinho do Medo”. Contrataram um ilustrador, diagramaram e fizeram a locução (o material tem narração em áudio para quando os pais não puderem ler para a criança). “O e-book foi feito de surpresa para Clarice. Ela se emocionou bastante por ver a historinha dela ganhar corpo e poder ser lida por outras pessoas. Mesmo já sendo adolescente, quando o material ficou pronto, ela baixou no iPod e mostrou para os amigos”.

O retorno foi excelente, fazendo com que o livro ficasse entre os mais vendidos na iBookstore da Apple, no Brasil, na categoria infantil. “Há ainda outras historinhas preferidas da Clarice escritas por mim. Quem sabe também virem e-book algum dia”, espera.

Quando atualmente o hábito da leitura de pai para filho parece ser cena somente de filmes e novelas, Renato, Daniel e Marcela fazem da prática um estilo de vida. A diferença é que a leitura deles é a leitura da própria história e criatividade. Com os filhos em quadrinho, fica bem mais divertido.

Duda e o Bichinho do Medo
1/3

Duda e o Bichinho do Medo

Renato Carvalho criou história para ajudar a filha Clarice a superar o medo de dormir sozinha no quarto (IMAGEM: Arquivo pessoal)

Duda e o Bichinho do Medo
2/3

Duda e o Bichinho do Medo

Renato Carvalho criou história para ajudar a filha Clarice a superar o medo de dormir sozinha no quarto (IMAGEM: Arquivo pessoal)

Duda e o Bichinho do Medo
3/3

Duda e o Bichinho do Medo

Renato Carvalho criou história para ajudar a filha Clarice a superar o medo de dormir sozinha no quarto (IMAGEM: Arquivo pessoal)

Festinha de aniversário

Com a intenção de fazer uma lembrancinha de aniversário diferente para o filho Antônio, Marcela Cavalcante resolveu homenageá-lo escrevendo uma história cujo pequeno era o protagonista. “Eu queria fazer uma lembrancinha de aniversário diferente, que não entupisse as crianças de açúcar, que trouxesse algo de bom para elas e que pudesse ser guardada e usada muitas vezes”, lembra a publicitária.

O livrinho brinca com a questão do crescimento, já que o filho – que agora tem quatro anos – tem baixa estatura. “Todo mundo fala em crescer, mas o que é ser grande? Os gigantes existem? Onde eles moram? O livro foi feito para responder algumas perguntas dos pequenos e para ajudá-los a criar interrogações (…) Queria escrever algo que deixasse ele tranquilo com relação a isso”.

Marcela Cavalcante escreveu livro para servir como lembrancinha de aniversário do filho (FOTO: Arquivo pessoal)

Marcela Cavalcante escreveu livro para servir como lembrancinha de aniversário do filho (FOTO: Arquivo pessoal)

Para produzir a história, Marcela contratou um ilustrador, que se baseou em fotos de Antônio e do pai Kleyton. “Meu filho amou! Achou o máximo se reconhecer na história, ver os pais. Levou para a escola e ‘leu’ várias vezes para os amiguinhos. A escola, inclusive, solicitou um exemplar para fazer parte do acervo. Foi muito gratificante”. A intenção da mãe é acompanhar o crescimento dos filhos e se inspirar em cada fase que viverem. “Quero poder registrar esses momentos de alguma forma. O modo como o Antônio reagiu me faz ver o quanto vale a pena ter escrito e reforça a importância de continuar escrevendo”.

Quando atualmente o hábito da leitura de pai para filho parece ser cena somente de filmes e novelas, Renato, Daniel e Marcela fazem da prática um estilo de vida. A diferença é que a leitura deles é a leitura da própria história e criatividade. Com os filhos em quadrinhos, fica bem mais divertido.

Serviço:

Livro ‘Liz’
Autores: Liz Brandão e Daniel Brandão
Venda: Espaço O Povo de Cultura e Arte; Livraria Cultura e Saraiva / Também é possível comprar no link
Preço: R$ 31

Livro ‘Duda e o Bichinho do Medo’
Autor: Renato Carvalho
Disponível para iPad, iPhone, iPod e Mac, na iBookstore da Apple
Link para download: Duda e o Bichinho do Medo

Publicidade

Dê sua opinião

Pais produzem histórias em quadrinhos em que filhos são os próprios personagens

Renato, Daniel e Marcela fazem da prática da leitura um estilo de vida. Pais-corujas, eles retrataram as vivências dos filhos em histórias em quadrinhos

Por Roberta Tavares em Educação

4 de outubro de 2015 às 07:00

Há 2 anos
Daniel Brandão criou histórias em quadrinhos a partir de vivências da filha Liz (FOTO: Arquivo pessoal)

Daniel Brandão criou histórias em quadrinhos a partir de vivências da filha Liz (FOTO: Arquivo pessoal)

Qual criança nunca quis ser personagem de uma história em quadrinho? Seria a dentuça Mônica a única privilegiada, com a personagem criada por Maurício de Sousa? Não mais. Liz, de 11 anos, é a mais nova pequena a ter o rosto retratado em páginas coloridas.

Fã incondicional de desenhos, o cearense Daniel Brandão decidiu registrar em quadrinhos a vida da filha. Em meio às brincadeiras da menina, o pai estudava o comportamento dela e decidiu arriscar. “Achava as tiradas muito engraçadas e inteligentes. Como adoro o trabalho do Bill Watterson [autor da tirinha Calvin e Hobbes] e do Maurício de Sousa, senti-me inspirado”, conta.

No início, a intenção era fazer algo apenas para a família. Desenhava cartões de datas comemorativas com os diálogos de Liz. Depois de divulgar os primeiros materiais na internet, percebeu o quanto universal eles eram. Encorajou-se a produzir cada vez mais histórias da filha. “Em 2012, lancei uma pequena revista, que esgotou rapidamente. Por isso, decidi fazer um livro independente, e o lancei no ano seguinte, em Minas Gerais. Foi um enorme sucesso”, lembra. Em 2014, o material foi lançado na Bienal do Livro, em Fortaleza. “Pelo que sei, está indo super bem”, comemora. Para fazer a edição e produzir os mil exemplares, desembolsou R$ 8 mil.

A pequena Liz, no entanto, não se limita a ser apenas personagem. Ela também já atuou como editora e co-roteirista em algumas tirinhas. Chegou, inclusive, a produzir a arte-final e escolher as cores. O pai, quadrinista e ilustrador, que já trabalhou para o mercado americano na Marvel e DC Comics, também é personagem na história em quadrinhos, junto à esposa. O livro ‘Liz’ é composto de tiras e histórias com expressões, piadas e visões de mundo da garota, dentro do seu universo familiar, escolar e da imaginação. “As histórias são mostradas primeiro para ela e, se não gostar, não são publicadas. Liz e eu adoramos essa parceria e interação. Dessa forma, o trabalho vira um evento familiar”, conta.

O resultado não poderia ser melhor: o livro está disponível em várias escolas, inclusive na da própria personagem. “Ela adorou. Isso está registrado no prefácio, que foi escrito por ela. Já conversamos muitas vezes, e ela adora ser a Liz. Tanto a de verdade, quanto a personagem”, brinca o pai-coruja. Com o sucesso da primeira história, a ideia de Daniel é lançar, daqui a um ano, um novo livro da Liz. “Me sinto realizado. Sou apaixonado pela minha profissão, e contar histórias em quadrinhos é o que mais gosto de fazer. Se eu posso criar e contar essas histórias para a Liz, isso me deixa muito feliz”, conclui.

LIZ
1/13

LIZ

Livro retrata o dia a dia da garota, a partir de observações do pai-coruja Daniel Brandão (IMAGEM: Arquivo pessoal)

LIZ
2/13

LIZ

Livro retrata o dia a dia da garota, a partir de observações do pai-coruja Daniel Brandão (IMAGEM: Arquivo pessoal)

LIZ
3/13

LIZ

Livro retrata o dia a dia da garota, a partir de observações do pai-coruja Daniel Brandão (IMAGEM: Arquivo pessoal)

LIZ
4/13

LIZ

Livro retrata o dia a dia da garota, a partir de observações do pai-coruja Daniel Brandão (IMAGEM: Arquivo pessoal)

LIZ
5/13

LIZ

Livro retrata o dia a dia da garota, a partir de observações do pai-coruja Daniel Brandão (IMAGEM: Arquivo pessoal)

LIZ
6/13

LIZ

Livro retrata o dia a dia da garota, a partir de observações do pai-coruja Daniel Brandão (IMAGEM: Arquivo pessoal)

LIZ
7/13

LIZ

Livro retrata o dia a dia da garota, a partir de observações do pai-coruja Daniel Brandão (IMAGEM: Arquivo pessoal)

LIZ
8/13

LIZ

Daniel Brandão, apaixonado por quadrinhos, criou um livro com histórias da filha Liz (FOTO: Arquivo pessoal)

LIZ
9/13

LIZ

Daniel Brandão, apaixonado por quadrinhos, criou um livro com histórias da filha Liz (FOTO: Arquivo pessoal)

LIZ
10/13

LIZ

Liz é co-autora do livro (FOTO: Arquivo pessoal)

LIZ
11/13

LIZ

Livro retrata o dia a dia da garota, a partir de observações do pai-coruja Daniel Brandão (IMAGEM: Arquivo pessoal)

LIZ
12/13

LIZ

Daniel Brandão, apaixonado por quadrinhos, criou um livro com histórias da filha Liz (FOTO: Arquivo pessoal)

LIZ
13/13

LIZ

Daniel Brandão, apaixonado por quadrinhos, criou um livro com histórias da filha Liz (FOTO: Arquivo pessoal)

Medo do escuro

E Daniel não é o único a usar a criatividade para demonstrar o amor e o cuidado pelo filho. O designer Renato Carvalho contava histórias para Clarice dormir. Inventava na hora, usando a imaginação. Algumas ficavam mais elaboradas, com o passar do tempo, após a adição de detalhes e de experiências vivenciadas pela garota, agora com 15 anos.

“Os personagens dela foram ganhando vida e se tornaram tão reais e importantes quanto os da Disney ou os do Maurício de Sousa”. O ritual das historinhas na hora de dormir durou cerca de três anos, até o dia em que a menina começou a preferir ler livros e quadrinhos sozinha ou a pegar no sono assistindo a filmes. Preocupado em não deixar cair no esquecimento, o pai resolveu registrar no papel as preferidas de Clarice, para que ela pudesse relembrar no futuro.

“Os personagens dela foram ganhando vida e se tornaram tão reais quanto os da Disney ou os do Maurício de Sousa”. (Renato Carvalho, designer)

Tinha o ‘Indiozinho Curumim’, a ‘Estrelinha Triste’ e a ‘Duda e o Bichinho do Medo’. Entretanto, com uma dessas histórias aconteceu algo especial. “Ela estava na fase em que acordava de madrugada e ficava com medo do escuro e de ficar sozinha no próprio quarto. Eu inventei, então, a Duda, que era uma menininha que estava passando por esse mesmo problema”, relata.

Renato Carvalho escreveu livro para a filha perder o medo do escuro (FOTO: Arquivo pessoal)

Renato Carvalho escreveu livro para a filha perder o medo do escuro (FOTO: Arquivo pessoal)

A partir daí surgiu o Bichinho do Medo, que – segundo a imaginação de Renato – ficava escondido debaixo da cama da garota, fazendo com que a menina descobrisse que o sentimento é útil e importante para ajudar a evitar situações perigosas, mas também é brincalhão e a faz se assustar à toa. “Assim, ela entende que, ao sentir medo, é preciso refletir sobre a situação e se proteger se for um perigo real, mas superar o sentimento, se não for”, conta.

A história criada pelo pai ajudou não apenas Clarice, mas muitos filhos de conhecidos de Renato, que também passavam pela mesma fase. “Enviava por e-mail para os pais lerem a história, e muitos retornaram dizendo que o material cumpriu o objetivo: as crianças passaram a superar esse medo”.

Devido às respostas positivas, Renato e a esposa desenvolveram e publicaram o e-book “Duda e o Bichinho do Medo”. Contrataram um ilustrador, diagramaram e fizeram a locução (o material tem narração em áudio para quando os pais não puderem ler para a criança). “O e-book foi feito de surpresa para Clarice. Ela se emocionou bastante por ver a historinha dela ganhar corpo e poder ser lida por outras pessoas. Mesmo já sendo adolescente, quando o material ficou pronto, ela baixou no iPod e mostrou para os amigos”.

O retorno foi excelente, fazendo com que o livro ficasse entre os mais vendidos na iBookstore da Apple, no Brasil, na categoria infantil. “Há ainda outras historinhas preferidas da Clarice escritas por mim. Quem sabe também virem e-book algum dia”, espera.

Quando atualmente o hábito da leitura de pai para filho parece ser cena somente de filmes e novelas, Renato, Daniel e Marcela fazem da prática um estilo de vida. A diferença é que a leitura deles é a leitura da própria história e criatividade. Com os filhos em quadrinho, fica bem mais divertido.

Duda e o Bichinho do Medo
1/3

Duda e o Bichinho do Medo

Renato Carvalho criou história para ajudar a filha Clarice a superar o medo de dormir sozinha no quarto (IMAGEM: Arquivo pessoal)

Duda e o Bichinho do Medo
2/3

Duda e o Bichinho do Medo

Renato Carvalho criou história para ajudar a filha Clarice a superar o medo de dormir sozinha no quarto (IMAGEM: Arquivo pessoal)

Duda e o Bichinho do Medo
3/3

Duda e o Bichinho do Medo

Renato Carvalho criou história para ajudar a filha Clarice a superar o medo de dormir sozinha no quarto (IMAGEM: Arquivo pessoal)

Festinha de aniversário

Com a intenção de fazer uma lembrancinha de aniversário diferente para o filho Antônio, Marcela Cavalcante resolveu homenageá-lo escrevendo uma história cujo pequeno era o protagonista. “Eu queria fazer uma lembrancinha de aniversário diferente, que não entupisse as crianças de açúcar, que trouxesse algo de bom para elas e que pudesse ser guardada e usada muitas vezes”, lembra a publicitária.

O livrinho brinca com a questão do crescimento, já que o filho – que agora tem quatro anos – tem baixa estatura. “Todo mundo fala em crescer, mas o que é ser grande? Os gigantes existem? Onde eles moram? O livro foi feito para responder algumas perguntas dos pequenos e para ajudá-los a criar interrogações (…) Queria escrever algo que deixasse ele tranquilo com relação a isso”.

Marcela Cavalcante escreveu livro para servir como lembrancinha de aniversário do filho (FOTO: Arquivo pessoal)

Marcela Cavalcante escreveu livro para servir como lembrancinha de aniversário do filho (FOTO: Arquivo pessoal)

Para produzir a história, Marcela contratou um ilustrador, que se baseou em fotos de Antônio e do pai Kleyton. “Meu filho amou! Achou o máximo se reconhecer na história, ver os pais. Levou para a escola e ‘leu’ várias vezes para os amiguinhos. A escola, inclusive, solicitou um exemplar para fazer parte do acervo. Foi muito gratificante”. A intenção da mãe é acompanhar o crescimento dos filhos e se inspirar em cada fase que viverem. “Quero poder registrar esses momentos de alguma forma. O modo como o Antônio reagiu me faz ver o quanto vale a pena ter escrito e reforça a importância de continuar escrevendo”.

Quando atualmente o hábito da leitura de pai para filho parece ser cena somente de filmes e novelas, Renato, Daniel e Marcela fazem da prática um estilo de vida. A diferença é que a leitura deles é a leitura da própria história e criatividade. Com os filhos em quadrinhos, fica bem mais divertido.

Serviço:

Livro ‘Liz’
Autores: Liz Brandão e Daniel Brandão
Venda: Espaço O Povo de Cultura e Arte; Livraria Cultura e Saraiva / Também é possível comprar no link
Preço: R$ 31

Livro ‘Duda e o Bichinho do Medo’
Autor: Renato Carvalho
Disponível para iPad, iPhone, iPod e Mac, na iBookstore da Apple
Link para download: Duda e o Bichinho do Medo